Archive for November 2011

Tutorial Thundurus

Vasculhando os cantos mais profundos do Aventuras em Sinnoh acabei por deparar-me com uma antiga atração que por algum tempo rendeu alguns comentários, os tutoriais de desenho. Comecei a desenhar os Pokémons na Thunders, e pouco a pouco fui melhorando minha técnica com novas criaturas. Hoje decidi reviver essa atração e trazer um desenho bem inesperado para todos os fãs: O Poderoso Thundurus! Estou jogando o game White, faziam quase dois anos que eu não pegava um game de Pokémon para zerar de verdade, meu último foi o Platinum. Voltar a esses bons tempos me trouxe um bocado de inspiração, e por isso decidi criar este tutorial para os fãs da região de Unova! Mãos à obra!

1° Passo: Thundurus apresenta uma forma humanoide, então, para desenhar essa criatura lendária será necessário um pouco de conhecimento sobre forma humana. Vamos começar pela base, esboce a cabeça e o corpo de forma bem básica, você pode usar os círculos para delimitar onde ficarão as mãos e a altura dos ombros. Embaixo do corpo de Thundurus você desenhe uma forma circular que mais tarde dará o formato da nuvem desse Pokémon. Neste passo vamos ficar só com a base do desenho mesmo.


2° Passo: Neste ponto já notamos uma grande diferença! Formulando a cabeça com mais precisão, aos poucos a musculatura de Thundurus vai tomando forma. Aqueles círculos ao lado são parte integrante do rabo dele, e será seu maior desafio para quem não está acostumado a desenhar círculos à mão livre. *risos* Embora pareça difícil, se você traçar as linhas de seu corpo com calma o desenho já ficará muito bonito.


3° Passo: Olha que beleza! Por mais que você seja torto e não tenha a mínima noção de desenho a nuvem poderá ser facilmente desenhada, você só precisa ser torto. No corpo do Thundurus você vai aos poucos colocando aquelas manchas e desenhando os detalhes, como os olhos, as bocas, os músculos, etc. Para mim, o maior desafio nesse ponto é a mão, que por sinal também é o que eu mais odeio nos desenhos. Argh, malditas mãos, tenha paciência nessa parte!


4° Passo: As partes que estão pintadas de preto são as mais escuras no desenho. Depois que você terminar seria uma boa passar tudo à caneta, desse modo seu Thundurus ficará mais limpo e pronto para causar tempestades em volta do mundo!


Parabéns! O Thundurus agora é seu! O desenho em si não é muito difícil, mas quem não tem nenhuma noção de corpo humano terá algumas dificuldades... Eu diria que a dificuldade seja por volta de 8, mas nada impossível par quem estiver determinado a ter um desses na equipe! No White em que estou jogando o Thundurus está entre os principais de meu time, não gosto de usar lendários na jogada, mas eu curti muito a aparência desse cara! Voador e Elétrico... Do trio dos Gênios me arrisco a dizer que ele é o mais poderoso, com altíssimos níveis de Sp. Attack e Speed

Foi uma vontade repentina de criar um novo tutorial, e agora estamos aqui voltando às origens. Quem sabe ainda possam surgir novos desenhos, mas não garanto nada, por enquanto espero que tenha curtido este tutorial, não deixem de comentar!

Nota: Créditos à Xous54, autor da arte do Thundurus utilizado na realização deste Tutorial.

Capítulo 24


Eleito o melhor capítulo pelo público 
no The Omascar da Saga Pérola!

Lukas já estava de pé quando os fracos raios do sol passavam por entre as luxuosas cortinas do quarto do Hotel Deluxe Heart. O garoto levantou-se de sua cama e partiu em direção ao banheiro para trocar-se, andando lentamente no quarto para não acordar seu irmão que dormia no sofá. Ele entrou no local e fechou a porta para começar a trocar-se, Lukas dava uma rápida ajeitada em seu cabelo quando pôde ouvir alguém batendo na porta, ele abriu-a e deparou-se com Vivian, que mantinha um belo sorriso estampado em seu rosto ao deparar-se com o jovem.
— Bom dia meu fofinho, campeão de torneios. — disse ela, abraçando Lukas de modo que ele ficasse sem reação — Sabia que o ser humano precisa de dez abraços diários para sentir-se bem?
— Acho que o Luke deve estar com um saldo negativo de abraços então, ele vai precisar de uns cem por dia para alcançar essa meta. — brincou — Bom dia para você também Vivian, o que faz acordada à essa hora?
— Eu sou uma treinadora de Pokémons inseto, eu acordo junto com o amanhecer, como eles! — disse a garota — Brincadeira, eu cai da cama sem querer. Definitivamente, não estou acostumada com camas gigantes como essa, eu pensei que fosse uma arena de batalha.
— Ahh... Então tá.
Lukas deu uma leve risada e então andou em direção da pia para escovar seus dentes, Vivian sentou-se próxima do balcão da banheira e passou a fitá-lo de modo sereno. Lukas sentia-se envergonhado em ter alguém observando-o o tempo todo, mas logo a ruiva passou a prolongar um assunto.
— Me diga Lukas-kun, você e o Lucky-chan se dão bem? — perguntou Vivian, que recebeu um olhar confuso do garoto. 
Lukas refletiu por um momento enquanto observava seu próprio reflexo no espelho. Era complicado ter um irmão gêmeo, acabou por lembrar-se do início de sua jornada em que os dois estavam frequentemente discutindo para ver quem era o melhor. Momentos bons em que Luke o protegia parecendo ser um irmão mais velho e responsável, mas ao mesmo tempo algumas vezes ele agia de forma imatura em que aparentava ser o mais novo.
— Refere-se ao Luke? Ah, sei lá. Irmãos, né... Eu preciso aturá-lo e ele precisa me aturar. É de família, acho que todos irmãos brigam.
— Sinto saudade de minha família também, fazem três anos desde que saí em minha jornada em Johto, para depois vir para Sinnoh. Eu tinha só dez anos naquela época... — comentou Vivian com um sorriso em seu rosto como se lembrasse de todos os momentos pelos quais passara em sua jornada — Eu tenho quatro irmãos, minha família sempre foi grande, então você encontra meus primos em qualquer canto. Ah, eu tenho uma foto deles, você quer ver?
A garota saltou do balcão e pegou um pequeno caderno amontoado de fotografias dentro, ela sentou-se ao lado de Lukas no banheiro e passou a mostrar sua família para o garoto.
— Que legal Vivian, eu não sabia que você tinha uma família bonita assim.
— Essa prima começou jornada comigo, acho que agora ela está nas Ilhas Laranjas. Essa outra ficou em Johto mesmo, a maioria da família é de mulheres. Nós nunca tivemos muita condição financeira, mas sempre fomos bem felizes. Eu sempre agradeço pela família perfeita que eu tenho, por isso perguntei sobre o Lucky-chan. — disse Vivian.
— Sempre me dei bem com meus pais, mas acho que eu e o Luke somos meio... opostos demais. Às vezes sinto que ele queria ter um irmão melhor do que eu. Eu queria poder ser diferente, queria que ele se orgulhasse de mim... — disse o garoto com uma tonalidade chateada.
— Olha Lukas-kun, eu não levo jeito pra dar conselho encorajador pros outros, mas se eu fosse sua irmã eu iria me orgulhar de ter você do meu lado todos os dias. — disse Vivian, abraçando o garoto e encostando sua cabeça em seu ombro — É sério, você é gentil, cavalheiro, humilde, inteligente, simpático, bonito... Você deve acreditar mais em si mesmo e em seu irmão, é a igualdade dos dois, um completa o outro.
Lukas olhou profundamente nos olhos da ruiva que agora o encaravam de forma singela. A garota segurou seu rosto de modo que os dois ficassem frente a frente, em seguida dando um beijo em seu rosto.
— Lindo!! Agora deixa de se preocupar com isso e vamos descer para tomar café da manhã!
Lukas levantou-se e então foi em direção da pia para escovar seus dentes. Vivian saltou do balcão do banheiro e começou a tirar a blusa de seu pijama. Lukas arregalou os olhos ao ver a garota despindo-se atrás de você pelo espelho, ele se virou e soltou um grito apontando para ela.
— O quê você está fazendo?!
— Ué, eu estou me trocando. Tem algum problema? — perguntou ela.
— L-Lógico que tem!! Eu ainda estou no banheiro!! — gritou Lukas.
— Mas você estava de costas...
— Tinha um espelho bem na minha frente!
— Ahh, pega nada, nós já somos quase casados.

Lukas passou a mão em seu rosto e saiu do banheiro sem saber como respondê-la, Vivian deu uma leve risada e continuou a trocar-se como se nada houvesse acontecido. Lukas foi em direção do quarto feminino para acordar Dawn e chamá-la para que pudessem tomar o café da manhã, mas a garota parecia já estar acordada, penteando seus longos cabelos negros. Ela deu um leve beijo na cabeça de Lukas e desejou-lhe bom dia, mas alertou que iria esperar Luke e Stanley acordarem para em seguida descerem e tomassem café.
Lukas saiu do quarto na companhia de Vivian e andou pelos longos corredores do hotel até chegarem ao restaurante, e após uma reforçada refeição eles saíram para aproveitar dos melhores recursos da grandiosa cidade de Hearthome. Os dois andavam pelas longas avenidas da cidade de Hearthome quando Lukas pode ver de relance um estranho pássaro que o acompanhava. Ao virar-se, ele viu um pequeno Murkrow escondido nas sombras de uma varanda.
— Ei Vivian, aquele Murkrow não é mesmo que trouxe o ovo Pokémons ontem?
— Para mim todos os Murkrows parecem iguais...
— Sério? Mas esse parece diferente. Ele tem um chapéu maior e uma cicatriz no olho direito, eu reparei isso ontem e lembro-me claramente desse olhar. — comentou Lukas, em seguindo virando-se para continuar seu caminho, mas o pensamento continuava em sua mente: Será que esse Murkrow pertence ao Marshall?
O sol brilhava intensamente, Vivian segurou a mão de Lukas e sorriu para o garoto, em seguida caminhando alegremente pela cidade na companhia de seu querido amigo que tanto apreciava. Os dois seguiram em direção da mesma sorveteria que haviam ido no último dia, o local era bem tranquilo e no momento não estava muito movimentado por localizar-se em uma rua fechada.


As mesas e cadeiras eram revestidas de madeira dando um clima agradável à sorveteria que era um dos pontos mais antigos da cidade, localizando-se próximo à casa de Poffins. Vivian pediu um grande sundae para dois, cobertura de calda de chocolate com sorvete de creme e morango, acompanhado de chantilly, granola, e uma pequena cereja no topo; com o calor que estava não demorou para que os dois devorassem o sorvete. Vivian e Lukas ficaram por um longo tempo jogando conversa fora, pareciam mais dois grandes amigos do que um casal.
Uma leve brisa passava pela cidade fazendo as cortinas das casas dançarem ao toque suave vento. De repente, um garoto que caminhava na calçada entrou na sorveteria e encarou os dois amigos que jaziam sentados em uma mesa. Ele tinha uma feição de descaso e sobrancelhas franzidas como alguém que parecia irritado com algo, ele tinha um ar metido e esnobe, logo causando um certo receio em Lukas por tratar-se daqueles garotos mal encarados que sempre estão procurando confusão. 
— Você é o garoto que apareceu ontem na televisão disputando um Contest aqui na cidade. — concluiu o rapaz.
— Foi o meu querido sim, você viu como ele estava lindo fazendo as suas apresentações no concurso? — perguntou Vivian com um sorriso, antes de ser surpreendida pelo que o garoto estava para dizer:
— ...Pois eu achei uma merda.
Lukas rapidamente cessou seu sorriso e se pôs a observar o rapaz que agora estava de pé ao seu lado, Vivian havia percebido que ele não parecia estar brincando e se diriga à eles com severidade, embora os dois ainda não entendiam o motivo da ignorância.
— Olha aqui garoto, minha prima tava naquela competição e você não merecia ganhar aquele prêmio nem um pouco, ela foi bem melhor do que você. Acho que você pagou os juízes para comprar a vitória só porque seus pais são conhecidos.
Lukas manteve-se calado. Ele não havia feito nada daquilo pois sabia que havia conquistado sua vitória com muito esforço e treino, porém, sua natureza não lhe permitia discutir com algum desconhecido, e sua timidez apenas o fazia abaixar a cabeça e ouvir os desaforos com atenção.
— Ei!! Seu idiota, quem você pensa que é pra sair por aí falando mal dos outros? Você nem nos conhece pra sair por aí chingando qualquer um! — disse Vivian.
— Fica na sua metidinha, eu tô falando com esse moleque otário. — retrucou ele.
Vivian cerrou seus punhos e sentiu a adrenalina subir sobre seu corpo. Em momento algum ela permitiria alguém falar mal daqueles que amava, e por isso avançou na direção do rapaz para desferir-lhe um soco, mas ele era mais rápido, e rudemente segurou as pequenas mãos da garota e jogou-a contra o chão. Vivian chocou-se bruscamente batendo seu ombro com força no concreto, Lukas saltou de sua cadeira para ajudá-la e em seguida mandou um olhar ameaçador para o garoto ao seu lado que continuava a observá-los com desprezo.
— Eu sou Lúcio, da cidade de Veilstone. — disse ele.


— Ninguém perguntou seu nome, seu idiota. — resumungou Vivian, ainda sentindo dores pela força que o rapaz jogara ela contra o chão. Lukas continuava com a garota em seu colo, mas não sabia o que fazer. Não haviam muitas pessoas na rua no momento, e as que passavam evitavam intrometer-se.
— Você não era digno de ganhar aquela fita, haviam pessoas muito melhores do que você. E aquele seu Pachirisu idiota? Ele era uma porcaria! Da próxima vez que eu te encontrar num torneio eu acabo com sua cara.
— Quem você pensa que é para sair por aí falando mal das pessoas? — continuou Lukas.
— Eu tenho quatro insígnias, sou bem melhor do que qualquer um de vocês. Eu só não permito que gente fraca como vocês fiquem por aí tirando a glória de quem realmente merece. — disse Lúcio — Olha só pra você garoto, volta pra mamãe, você é um idiota mesmo.
— Ele é educado, bem diferente de um certo idiota que está de pé na minha frente! Agora quer fazer o favor de sumir daqui? — completou a ruiva.
Lukas mantinha sua cabeça baixa enquanto parecia nem mesmo ter coragem de encará-lo. Vivian não poderia fazer nada, não havia como uma simples garota como ela fazer qualquer coisa contra Lúcio, e por ele ter quatro insígnias ele provavelmente era muito mais experiente.      
— Deixa eu ir embora porque já acabou a diversão. Foi muito legal encontrar vocês. — debochou ele, partindo lentamente enquanto Vivian continuava caída no chão ao lado de Lukas.

Lukas ficou quieto por um momento, fitando o nada, mergulhado em pensamentos contrapostos que cercavam seu coração; medo, raiva, insegurança, tristeza, ódio, não era possível explicar como se sentia naquele instante, até que Vivian tornou a chamá-lo:
— Por que você não falou nada...? — perguntou ela com uma feição que lutava para não deixar as lágrima caírem. Lukas suspirou e tampou o rosto com suas mãos.
— Eu não pude encará-lo porque tive medo... — sussurrou.
Lukas não queria encarar o mundo ao seu redor. Às vezes parecia ser difícil demais continuar seguindo a vida, queria largar a mão de tudo e voltar para sua família, ter os mimos de sua infância e seus pais ao redor para sempre lhe proteger. Por um momento foi como se seus sonhos não importassem mais nada, sempre haveria alguém tentando destruí-los.

O sol foi brevemente tampado, Lukas levantou seu olhar e deparou-se com uma figura que caminhava de modo austero. Os raios do sol atrapalhavam sua visão, mas o garoto caído no chão sabia muito bem de quem se tratava. Sem desviar seu olhar, uma feição de frieza e ódio cobria aquele indivíduo de modo que ele não dirigisse nenhuma palavra ao garoto caído. Era Luke, que parecia ter visto todo o ocorrido.
Dawn rapidamente correu em direção de Lukas e Vivian para ajudá-los a se levantarem, enquanto do outro lado, Stanley permanecia enconstado em uma parede apenas observando-os. Dawn estava preocupada, mas Lukas estava ainda mais por ver seu irmão aproximando-se cada vez mais de Lúcio que se distanciava aos poucos. Luke tocou com seu indicador sobre o ombro do desconhecido que virou-se bruscamente com um semblante de desaforo:
— O que é garoto, veio chorar no meu ombro? — provocou Lúcio, que foi interrompido por um soco que lhe acertara a face com todas as suas forças.
Tarde demais. Lúcio chocou-se bruscamente contra o chão, atordoado pela impacto que recebera. Por um momento ele pensou em não se levantar pelo medo que sentia do olhar ameaçador que o acertara, um olhar que exalava ódio, e que provavelmente não estava nem um pouco contente com o que vira.
— Você cometeu três pecados que eu não posso perdoar: Primeiro, você nasceu; segundo, você fez uma mulher chorar; e terceiro, você mexeu com a minha família. — disse Luke, apontando para Lúcio que continuava caído no chão.
— De onde você tirou tanta força, garoto?! — perguntou o rapaz, percebendo logo em seguida que Lukas estava caído ao longe, notando só então que os dois eram gêmeos. Lúcio deu uma leve risada e então levantou-se passando a mão na ferida em seu rosto.
 — Então quer dizer que você não consegue arranjar as coisas sozinho e tem que chamar o irmãozinho para resolver ? Que imaturo. — provocou Lúcio.
Luke ergueu Lúcio pela gola da blusa e encarou-o com um olhar capaz de intimidar qualquer pessoa.
— Eu te desafio para uma batalha. — disse Luke.
Um rápido olhar de vitória surgiu em Lúcio, ele sabia que teria total vantagem, pois tinha orgulho de suas quatro insígnias. Vivian ficara pasma, não acreditava na proposta que seu amigo acabara de fazer. Provavelmente Luke não imaginava que seu adversário já estava em um nível mais avançado que o seu, pois ele nem mesmo havia conquistado sua terceira insígnia na cidade.
— Então quer dizer que você está me desafiando para uma batalha? — perguntou Lúcio de forma provocativa, mas não houve resposta por parte de Luke que deu as costas e preparou sua Dusk Ball.
— Esse garoto têm quatro insígnias!! — comentou Vivian preocupada.
Nesse momento, Stanley que estava encostado em uma das parede ousou se pronunciar:
— A insígnia é apenas um objeto representativo que não prova em nada a sua verdadeira força. A verdadeira força de cada um está dentro daquilo que é especial para você, sejam seus sonhos, sua família ou seus amigos... Você tem que ter um motivo para seguir em frente. — explicou o loiro — Fica tranquila, Vivian. Esse cara já era. 
Luke mantinha sua feição séria enquanto o rapaz do outro lado já parecia sentir a vitória. A rua estava deserta, e agora apenas os dois garotos se encaravam com severidade. Luke apontou para Lúcio fazendo um sinal que indicava “dois”  o que provocou uma certa curiosidade em seu adversário.
— O que é isso?
— Dois. Com dois Pokémons eu acabo com você. — disse Luke.
— Apenas dois? Contra o meu time inteiro? É o que vamos ver. — provocou Lúcio.
O rapaz lançou sua primeira pokébola no ar que colocou em jogo um Floatzel. A raposa parecia ser bem rápida e com certeza já havia passado por vários desafios ao lado de seu treinador.

Luke encarou a criatura ainda sem mudar sua feição, e em seguida lançou sua Dusk Ball em campo. O dragão espreguiçou-se e então tomou posição de combate, ele lançou um rápido olhar para Luke que mantinha seu rosto escondido na sombra da boina que usava.
— Gabite, esse cara falou mal do Lukas e do Pachirisu. E uma das coisas que eu não perdôo é que critiquem a minha família. — disse Luke — Acabe com ele.
O dragão voltou seu olhar para seu adversário como se entendesse perfeitamente a mensagem dada por seu mestre. Lúcio não esperou mais e ordenou um ataque:
— Floatzel, utilize o Aqua Jet!
Luke nem mesmo precisou ordenar para que seu Pokémon fizesse qualquer movimento, os dois pareciam conhecer-se perfeitamente trabalhando em sincronia perfeita. Gabite acertou o chão com força de modo que um grande pedaço de concreto formasse um escudo em sua frente, Floatzel acertara sua cabeça diretamente na pedra. O Pokémon ficou atordoado por um momento, e antes mesmo de retomar a consciência Gabite usou suas garras afiadas aplicando-lhe um Slash e imediatamente tirando Floatzel de combate. 
O dragão parecia mais enfurecido do que nunca. Ele costumava levar as lutas na brincadeira, mas sabia muito bem quando deveria exercer uma função séria. Criticar seus amigos era algo imperdoável, e falar mal de Pachirisu era o suficiente para que o dragão terrestre se tornasse uma verdadeira arma.
— D-De onde você tirou um Pokémon tão poderoso?! — indagou Lúcio, surpreso pela derrota fácil de seu companheiro Floatzel — As coisas não vão ficar tão baratas. Ponyta, vá e utilize o Stomp!



O rapaz recolheu seu Pokémon nocauteado e no mesmo instante colocou o cavalo de fogo em atividade. O Pokémon avançou em direção de Gabite que defendeu-se do golpe habilmente, a forte patada parecia não ter-lhe causado danos, suas escamas azuis eram duras como o diamante das cavernas. Gabite imediatamente preparou um novo ataque.
 Rock Slide. — ordenou Luke.
O dragão pulara habilmente sobre alguns escombros retirando grandes pedras pontudas, e em seguida lançando-as em direção do cavalo que nem mesmo teve chances de escapar do golpe super efetivo. Ponyta estava soterrada, deixando Lúcio cada vez mais irritado. Luke parecia ter total controle da batalha. Era como se seu próprio pai estivesse em uma batalha. Walter estava sempre calmo e paciente, os dois tinham o mesmo olhar, a mesma forma de agir com seus Pokémons. Era a primeira vez que Lukas via seu irmão batalhar de forma tão perfeita.
O próximo Pokémon lançado por Lúcio era um Sudowoodo. A árvore de pedra tinha uma forte defesa e tentaria copiar os golpes de Gabite para usá-los contra ele.

— Não pense que dessa vez serei tão descuidado. Tenho uma tática muito melhor para meu Pokémon e não deixaria que você vencesse tão fácil.
— Gabite, utilize o Sand Tomb no Sudowoodo. — disse Luke, como se já previsse qualquer movimento de seu oponente.
O dragão rapidamente avançou em direção de Sudowoodo que encontrou-se trancafiado na armadilha de areia, a árvore tentava atacar seu oponente, mas seus movimentos eram prejudicados pela tumba de areia que ele mesmo criara cada vez que tentava se livrar. Gabite tomou distância e pulou em cima do Pokémon, e ao parar sobre sua cabeça, lançou um Dragon Rage diretamente deixando-o fora de combate.
Lúcio manteve-se quieto, mas em seguida deu uma leve risada debochante. Retornando seu Pokémon derrotado ele pareceu não ter mais saídas, mas parecia que ele tinha um trunfo na manga. Luke preferiu não contestar, até que o rapaz tornou a dizer:
— Acho que está na hora de eu usar meu Pokémon mais poderoso que me rendeu essas quatro insígnias. E com ele, eu poderei acabar facilmente com esse seu Gabite de merda. — disse Lúcio, lançando uma pokébola para o alto — Empoleon, vai!!
Todos que assistiam a batalha se surpreenderam ao ver a grandiosidade do Pokémon imperador. Dawn nunca havia visto um Empoleon em sua frente, era uma criatura bela,  por um momento ela almejou evoluir seu pequeno Piplup, bastava tirar a Everstone que o pinguim carregava, embora o medo dele tornar-se uma criatura diferente de sua natureza a evitara de tal ação há vários anos.
O Pokémon imperador era revestido de uma forte armadura metálico, seu andar exalava autoridade e poder, parecia ter uma coroa de prata em sua cabeça, vestindo um manto digno de reis. Aquele era provavelmente o inicial escolhido por Lúcio, e também viria a ser seu Pokémon mais poderoso.

— Um Empoleon. — concluiu Luke — Retorne por hora, Gabite.
— Oh, então você vai tirar seu dragãozinho e colocar algum Pokémon que tenha vantagem? Mas é um covarde mesmo, não tem coragem de enfrentar-me frente a frente?
Luke manteve-se quieto e em seguida lançou uma simples pokébola. Lúcio se surpreendeu ao ver o tamanho do Pokémon, uma serpente de pedra enrolava-se em volta de seu treinador como se o protegesse de qualquer perigo. Era Titânia quem disputaria a batalha final. Lúcio ficou surpreso ao ver um Pokémon em total desvantagem sendo escolhido, mas com isso sentiu a vitória ainda mais próxima de seu alcance.
— Você é louco? Não pensa nas estratégias antes de enfrentar alguém? Seu idiota!!
Luke interrompeu o rapaz novamente apontando para ele e fazendo o sinal de dois com sua mão direita:
— Dois. Com dois Pokémons eu acabaria com você, só estou cumprindo minha palavra.
Lúcio deu uma risada muito alta, em seguida começando a lançar várias críticas à Luke que parecia não dar a mínima. O garoto apenas tocou levemente no rosto de Titânia que parecia ouvir atentamente cada palavra de seu treinador.
— Esse garoto me dá nos nervos. — disse Titânia.
— Eu sei que ainda estamos em um processo de treino Titânia, e que você normalmente não costuma me obedecer, mas esse cara me irritou. Criticou meu irmão e seus Pokémons, e eu não permito que pessoa alguma fale mal de minha família. — explicou Luke.
— Vejo que você finalmente encontrou um propósito para realizar uma batalha, não tem mais aquele frenesi por lutar e ser o mais poderoso treinador do mundo. Estou feliz que tenha aprendido a lição. — disse a serpente.
— Que seja, só quero chutar a cara desse maluco de novo.
A serpente deu uma leve risada.
 Quais são as ordens, Senhor?
— Ordens, Titânia? Mas não era sempre você quem mandava ataques sem o meu menor sinal? — perguntou o treinador.
 Estou de bom humor hoje, considere-se abençoado.
 — Então vamos fazer do seu jeito. Que tal acabar com a batalha logo de cara?
— Eu adoro essa tática. Earthquake!!
A gigantesca serpente tomou distânia e em seguida lançou seu enorme corpo contra o chão, causando um leve terremoto na cidade que chacoalhou casas e rachou calçadas. Empoleon estava gravemente ferido sem a menor chance de ter escapado daquele poderoso golpe. Lúcio não acreditava de onde aquele garoto tirara tanta força e por um momento sentiu-se intimidado por seu olhar. 
— E-Empoleon, levante-se! — ordenou ele para seu Pokémon, de modo que o hábil pinguim se levantasse ainda que com dificuldade.
— Um oponente tão poderoso como ele não cairia com um simples Earthquake. Fazia muito tempo que eu não tinha uma batalha decente, agora quais são as ordens, Senhor? — sorriu Titânia.
— Utilize o Sandstorm. — acompanhou Luke.
— Empoleon, avance e utilize o Whirpool naquele Onix!!
O pinguim rapidamente avançou em direção da serpente que se concentrava na criação de uma tempestade de areia, e sem que ele ao menos pudesse perceber já estava cercado por uma forte tempestade. O golpe ajudava o próprio Empoleon, mas pelas dunas de areia criadas por Titânia a serpente locomovia-se como uma sombra no abismo. A visão de Empoleon era afetada e seu golpe aquático acabou por acertar apenas areia. Enquanto distraído, a serpente rapidamente enrolou-se em volta de seu adversário e apertou-o até que toda sua armadura metálica trincasse. Aqueles que assistiam pareciam pasmos pela fúria que a criatura carregava.
— Já chega, Titânia. — disse Luke de modo calmo.

A serpente apenas largou seu adversário no chão que caiu com força contra o concreto. Logo a tempestade de areia cessou, e Lúcio permanecia imóvel pela derrota que obtera. Luke não se deu no trabalho de olhar para seu oponente, de modo que apenas falasse de relance:
— Da próxima vez que mexer com a minha família vai estar mexendo comigo. Dá o fora daqui.
— Seu desgraçado!! Da próxima vez eu vou acabar com você e com esses seus Pokémons otários, e fica esperto moleque, da próxima vez o seu irmãozinho pode não estar do teu lado pra te proteger! — gritou Lúcio, retornando seu Empoleon .
— Proteger? — pronunciou Luke — O Lukas não precisa de minha ajuda pra acabar com otários como você, já que ele é até mais forte do que eu! Sorte que ele é muito educado, eu só fiz isso para que ele não precisasse perder o tempo dele com merdas.
— Eu queria poder afundar a cara dele no concreto. — comentou Stanley, que assistia a batalha.
Titânia rastejou lentamente em direção de seu mestre e parou ao seu lado, Luke tocou levemente em sua face e deu um sorriso, em seguida a serpente parabenizou-o pela batalha.
— Boa batalha, Senhor. — sorriu ela, fazendo com que Luke revelasse um singelo sorriso — Mas não pense que vai conseguir sair por aí mandando em mim, você ainda tem que melhorar.
— Eu adoro quando você me chama de Senhor. Me sinto mais forte e importante, sabe? A gente poderia treinar assim mais algumas vezes. — brincou o garoto.
— Tolinho. — riu a serpente.
— Você e o Gabite fizeram um excelente trabalho. Agora já podem descansar. — disse Luke, retornando seu pokémon.
Luke caminhou em direção de seu irmão ainda de modo sério. Lukas manteve-se quieto como se quisesse abraçá-lo e agradecer tudo que fizera. Luke manteve-se calado por um momento, mas em seguida deu uma leve risada e falou alegremente.
— Acabei com ele.
Lukas levantou-se no mesmo instante e correu para abraçar o irmão que ficou um pouco sem graça, Dawn sorriu e andou em direção dos dois garotos abraçando-os em seguida. Vivian já parecia recuperada de modo que ela quase beijasse Luke por ter derrotado Lúcio, enquanto Stanley apenas ria da situação.
— Obrigado irmão, de verdade, não sei como agradecer. — disse Lukas.
— Você vencia ele fácil cara, mas pena que essa sua educação superior à minha não te permitiu dar um soco no meio da cara dele como eu fiz. Pelo menos deu tudo certo, deixa o trabalho sujo pra mim e continua assim, maninho. — brincou Luke, tampando o rosto do garoto com sua boina.
— Ohh, você foi tãooo fofênho protegendo seu irmão!! Foi tipo assim, MUITO style, tá ligado?! A-R-R-A-S-O-U. — disse Vivian.

Gabite e Pachirisu que haviam saído de suas pokébolas agora assistiam a confraternização de seus treinadores. O dragão olhou para o pequeno esquilo e tocou em sua cabeça como se dissesse: Você também é o meu irmãozinho, meu dever é te proteger. O esquilo abraçou com força o dragão que ficou meio sem jeito, Gabite sempre tentava manter a pose de malvado, mas o que mais lhe preocupava era sua família, e ele faria de tudo para protegê-la. Cada Pokémon que entrava na equipe passava a tornar-se um novo membro da família, um completava o outro, e apesar de todas as diferenças era isso que a tornava completa.
— Achei muito nobre de sua parte você proteger o Lukas. — comentou Dawn, segurando de leve nos braços de Luke — Porém, você sabe que foi totalmente errado bater em alguém no meio da rua. Vocês deveriam ter conversado antes, isso podia vir a ser caso de polícia!
— Se nós formos parar na delegacia você será o culpado. — brincou Stanley.
— Seu bando de mal agradecido, pelo menos eu resolvi as coisas, demorô? E o importante mesmo é que o Lukas ficou bem, detesto esses caras metidos que ficam se gabando para as pessoas.
Dawn deu um leve sorriso e tocou suavemente no rosto de Luke:
— Heh, heh, heh... Por outro lado, veja que bonito, você nunca mais chamou seu irmão de pivete. Pelo visto vocês dois aprenderam a conviver em harmonia. — disse Dawn.
— Não seja por isso. Pivete. — brincou Luke, agarrando o irmão e batendo em sua cabeça com força — E eu continuo sendo três minutos mais velho que você cara, e isso me dá poder!
— Meu Arceus, lá vem ele com essa conversa de novo... — retrucou Lukas. — Mas sabe, Luke, eu tenho orgulho de ter você como irmão!
Luke deu um leve sorriso, e em seguida retribuiu o abraço. Ele queria poder dizer o mesmo, mas suas palavras não conseguiam sair de sua boca. Mesmo que ele não houvesse dito nada, seu sorriso já transmitia a mensagem de seu coração: Eu também me orgulho de você, irmãozinho.
Gabite aproximou-se de seu treinador e olhou para Luke com um sorriso de canto, o dragão parecia perguntar para o garoto: Por quê você não fala o que sente para seu irmão? Luke apenas ri e fala brincando:
— Pô, Gabite... É que pega mal eu falar assim na frente de todo mundo! E meu orgulho, aonde fica?!
Os dois riram e por fim continuaram seguindo o grupo. Era por volta de meio dia, e com esse treino adiantado Luke estaria pronto para enfrentar a líder Fantina naquela mesma manhã. Stanley também pretendia agendar uma batalha, então provavelmente ainda haveriam duas batalhas ainda mais excitantes em Hearthome.

Lukas percebera que apesar de todas as brigas sua família ainda era o tesouro mais precioso em sua vida. Luke mudara muito, a viagem parecia amadurecê-los de forma a encarar o mundo de forma mais abrangente e madura. Sempre sofremos derrotas, a vida nos derruba, mas cabe a cada um decidir se vai levantar ou não. O Ginásio Fantasma os aguarda.

      

Notas do Autor (Capítulo 24)

    Cara, esse era um dos capítulos que eu mais esperei para postar. Tipo, não tem toda essa comédia, romance, aventura, personagens novos, acontecimentos fantásticos, não é nada tão grande assim, mas esse capítulo falou muito da amizade entre irmãos, sem contar a melhor luta até agora!! Nossa, eu adorei a escrita nesse aqui, foi muito gostoso escrevê-lo. Acabei de colocar umas imagens para dar uma descontraída. Quer uma dica para a leitura? Leia tudo atentamente cara, sem pular parágrafos e ir direto aos travessões. (Tem vezes que isso é quase automático, os parágrafos são tão atraentes *risos*) Mas é sério, cada linha vale a pena. Eu adoro esse capítulo, a luta é fantástica, repleto de frases marcantes e aquelas cenas épicas!! Se você ler com atenção vai visualizar tudo certinho, e garanto, será um dos melhores capítulos que você terá lido.

    Foquei nos dois irmãos, acho que vocês também perceberam, mas eles andavam muito afastados ultimamente. Acho que as mulheres afastavam o Luke, enquanto o Lukas se escondia mais para não atrapalhar o irmão. Eu não sei quanto à vocês, muitos devem odiar seus irmãos e irmãs, mas eu particularmente sempre dei muito bem. Não tem como mudar, escolher outra pessoa, isso é de sangue, sabe?  É a família, cada um tem que valorizar isso ao máximo. Acho que com esse capítulo a aproximação dos personagens só aumentou, e por isso, eu realmente espero que vocês tenham gostado dele!! Comentem, por favor, terei um fim de semana muito massante e espero poder ter a ajuda de vocês para aliviar essa dor um pouco, o blog sempre me ajudou muito.

Novidades da Semana
Olha, eu tinha um especial supimpa pra postar. (Supimpa? Alguém ainda fala isso?) Mas enfim, eu decidi adiá-lo para o fim do ano. Esse especial irá falar sobre a atual elite, os caras que apareceram no hotel. Eu adiei para o fim do ano porque o capítulo fala muito sobre "começar uma nova vida" essas coisas de fim de ano, então quero deixar para todos vocês uma sensação final quando lerem esse episódio.

Quanto à segunda parte do Ex-Elite 4: O Fim de um Legado, quero tentar postar na próxima semana. Esses dias estão corridos para todos, e eu sinceramente espero que esse seja o motivo da queda nos comentários. Fim de ano, provas, vestibulares, trabalhos... Eu também estou nessa vida, e daqui para frente só piora. Olha que legal, minhas aulas terminam dia 19 de dezembro. Vou levar o Papai Noel, fogos de artifício, champanhe, vou fazer a ceia de natal na escola... Desgraçados, terminando a última prova eu desapareço, e quem sabe eu consigo me dedicar um pouco mais ao blog nesse tempo. 

Fuvest
É pessoal, esse domingo é dia do vestibular mais zicado da minha vida... Fiquem tranquilos porque essa fase chega pra todo mundo! *risos* Brincadeira, os vestibulares justificam a minha ausência do blog nos últimos tempos, mas depois que essa fase acabar eu espero ter alguns leitores de volta, a opinião do pessoal dessa idade é muito importante! Me desejem sorte, amanhã o bicho pega...

E mais uma vez me desculpem a ausência, é que sem comentários, sem inspiração. Estou numa séria crise nos últimos tempos, preciso urgentemente criar algo inovador... Mas não deixem de cumprir a parte de vocês também pessoal, comentem bastante, se você leu esse capítulo inteiro o que custa comentar? Isso sempre é bom para os autores de fanfictions, nos ajuda muito, e faz toda a diferença!

Uow, essa for apertada, mas pelo visto tivemos uma vitória do pessoal da antiga Elite! Eu adoro as duas ligas, de um lado tenho o pessoal da Aliança e do outro meus personagens favoritos, não importa quem tenha conquistado a vitória, nós sabemos que seus integrantes são os melhores de Sinnoh. Meus parabéns ao Glenn, Marshall, Selena e Erick. Vocês ganharam essa vitória!
EDIT: A página Recurring Characters foi atualizada. Lúcio foi adicionado.

Notas do Autor (Capítulo 23)

       Vigésimo terceiro capítulo postado com sucesso! Sexta feira, grande dia para ficar de bobeira e escrever um pouco de fanfictions, não acham? Bom, esse capítulo foi inteiramente voltado para os contests, o que na minha opinião nunca foi algo muito legal. Vocês já devem estar acostumados com as competições de minha história, faço tudo como nos jogos e não como no Anime, e isso às vezes pode causar uma certa revolta nos leitores. Mas eu tentei dar tudo de mim, então de certo modo eu espero que vocês tenham curtido toda a adrenalina! Algumas pessoas podem não gostar da Marley, mas acho que quando ela fica do lado da Vivian tudo fica mais engraçado! As duas são tão opostas que isso até rendeu o título do capítulo: Seriedade e Diversão

        Esse capítulo saiu mais cedo porque quero tentar postar um especial por volta da quarta feira, até o fim do ano pretendo ter terminado a temporada com perfeição, quero dar o último capítulo da Saga Pérola como um presente de natal para todos vocês, então preciso dar uma agilizada! Enfim, espero que tenham curtido esse episódio, e logo, logo, vocês poderão conferir o Capítulo 24, ele está simplesmente fantástico!! Mereço comentários? Se as coisas forem bem nesse fim de semana eu prometo fazer do 24 ainda melhor que o 19!! (Bater o recorde do 19?? Isso vai ser muuuuito difícil *risos*) Continue acompanhando a Aliança Aventuras, crescendo a cada dia com vocês!

Novidades da Semana
Uhuul! Adoro falar das novidades da semana quando não tem nada novo!! Mentira, eu queria falar do sucesso que foram as Ilhas Laranjas. Pelo visto as visitas e os comentários por lá andam ótimos, e o Thiago até postou seu segundo capítulo! Lá em Unova o Sui está trabalhando em uma AttackDex bacana dos golpes dos Pokémons, então podem esperar por algo novo nesse fim de semana por parte de Unova e Hoenn!

    Hearthome City, o berço dos corações. Eu sabia que essa cidade seria lembrada por todos os fãs, sem sombra de dúvidas a estadia nesse local seria a melhor, mas acho que a única cidade que seria melhor, é Sunyshore, cidade natal de nossos jovens protagonistas! Eterna e Oreburgh tiveram uns acontecimentos legais, mas a vitória foi mais do que merecida para Hearthome. O pessoal me deu ideias de enquetes nas últimas notas, então já tenho uma outra a caminho! É isso pessoal, nos vemos na próxima.




EDIT: O cartão do treinador de Lukas, Vivian e Marley foram atualizados.

Capítulo 23

Uma singela voz mecânica anunciava o início da segunda competição que o jovem Lukas estaria participando, era por volta das  três da tarde, e o sol ainda brilhava no belo céu da cidade Hearthome. Vivian continuou a observar seu amigo entrar junto com os outros participantes, sendo que agora, tudo que ela poderia lhe desejar era boa sorte. Lukas olhou para seus amigos que o apoiavam a encarar mais uma disputa, ele sabia que no Super Contest Hall ele teria um público bem maior do que em Jubilife, e provavelmente poderia até estar sendo observado por profissionais da área que sempre buscam novos talentos de coordenadores iniciantes.
O salão estava cheio, realmente um público maior estava presente para assistir as apresentações dos competidores da categoria Normal Contest. Lukas parecia tão apreensivo que nem tinha coragem de olhar para seus lados à procura de seus amigos, ele precisava concentrar-se na batalha. Ao subir no palco eram três outros jurados, dessa vez, um homem e duas garotas, sendo que uma delas era a mesma que havia conversado com Lukas pela manhã.
— Oh, você é o garotinho que estava fazendo a inscrição hoje de manhã! Eu estarei sendo a jurada deste evento, desejo-te muita sorte! — sorriu a mulher, passando a mão no cabelo de Lukas.
— O-Obrigado, senhorita...
Lukas saiu e entrou em seu camarim para preparar seus pokémons, ele tinha algumas ideias em mente e provavelmente já tinha planejado como faria cada série de apresentação. Assim como eles haviam planejado nos treinos, Roselia começaria na categoria de Moda e estilo, Mothim faria a dança, enquanto Pachirisu finalizaria a apresentação no quesito da batalha. Assim que os juízes anunciaram a entrada dos competidores, Lukas pôde ver cada adversário com cuidado. Com certeza eles já não pareciam ser tão novatos como seu último torneio, alguns aparentavam experiência em seu olhar, sendo que seus pokémons também transmitiam confiança.
— Sejam bem vindos, senhoras e senhores! Meu nome é Ellen, e declaro iniciado o Normal Contest da cidade de Hearthome neste fim de semana! Esperamos que essa temporada possa render bons resultados e que todos os competidores possam dar o seu melhor! — disse a mulher.
— A primeira categoria será a de Moda e Estilo. Competidores, preparem seus pokémons em um tempo de cinco minutos e tragam para que os juízes e o público avaliem. — explicou um outro jurado.

Lukas rapidamente lançou sua Roselia que parecia animada com a competição, a pequena estava disposta a dar o seu melhor nessa categoria, embora ainda não tivesse experiência naquela categoria.
— Vamos lá Roselia, você é linda, e eu sei que seu charme fará com que todos os jurados fiquem boquiabertos! — elogiou Lukas.
Nas preparações de seu pokémon, Lukas também lançou seu Pachirisu, Mothim e Shellos para que eles ajudassem seu treinador. Shellos parecia um pouco atrapalhado com toda a pressão exercida pelo público, mas aquela era uma forma de fazer com que ele fosse se acostumando aos poucos com competições e torneios do tipo.
O tempo havia esgotado e cada um dos competidores revelou seus respectivos pokémons, Lukas estava com a pequena Roselia vestindo um manto de folhas e acessórios delicados. Além de ser um ótimo cozinheiro, Lukas aparentava também ter um ótimo senso de moda por conta da convivência com sua mãe. Haviam Staravias, Luxios e Bidoofs, além de Pokémons que como Geodudes e Zubats que apesar de parecerem estranhos por fora, ainda assim tinham um grande potencial em torneios. 
A pequena Roselia desfilava com toda sua graça, a evolução fizera com que a flor se tornasse mais carismática e bela. Seu rebolado fascinava os Pokémons em volta, e mesmo que ainda fosse um Pokémon jovem, quando ela se tornasse adulta seria ainda mais atraente. Lukas sabia desde cedo que Roselia daria muito trabalho quando crescesse, ela era como uma filha, e sendo dever de todo pai, Lukas deveria educá-la. Durante seus dias de treinamento Roselia havia dado duro para aperfeiçoar seu recém aprendido golpe Giga Drain, mas mesmo que nesse torneio ela não fizesse uso de tal movimento, ela sentia-se feliz, pois a área de beleza era a sua favorita.
Cada juiz aplicou suas respectivas aos coordenadores acompanhados de seus Pokémons. Lukas estava confiante de sua conquista, por um momento ele olhou para o público à procura de seus amigos quando de repente avistou um homem vestido de terno observando-o. O homem estava afastado das outras pessoas em um canto vazio, ele arrumou seu chapéu de forma breve e continuou observando a disputa.
— M-Marshall... — sussurrou Lukas, que em seguida foi repreendido por Roselia para que prestasse atenção na competição.
Ele tinha certeza que aquele vulto era Marshall, mas por qual motivo o homem continuava na cidade? Lukas estava ansioso para que pudesse terminar logo a competição e falar com o tio que não via há tanto tempo. Pessoas importantes assistiam aquela disputa, e isso servia como forma de inspiração para que ele continuasse dando seu melhor.

A segunda categoria seria dado pela sincronia na dança de seus pokémons. Lukas ordenou que Mothim participasse na categoria, e com o suave bater de suas asas, a mariposa pareceu sair-se muito bem. Lukas parecia não estar tendo dificuldades para chamar atenção, por algum motivo o garoto já era alvo dos olheiros principalmente por tratar-se de um dos filhos  da lendária Melyssa, uma das melhores coordenadoras de sua época. 
Com as notas aplicadas na dança, o último quesito seria a apresentação de golpes. Normalmente aquela categoria sempre inovava em algum aspecto, desde utilizar diversos pokémons em uma única apresentação ou até participar de uma batalha com algum adversário, mas tudo dependia dos juízes que organizariam a competição.
— As regras estabelecidas para esta categoria será do uso de um único Pokémon para a apresentação. Não haverão batalhas ou coisas do tipo, e são proibidos golpes que sacrifiquem o usuário como Selfdestruct ou Explosion. O treinador deverá aproveitar dos golpes de seu próprio pokémon para criar uma apresentação objetiva. Podem começar a preparar-se! — disse a juíza.
Lukas lançou Pachirisu que subiu no ombro do garoto e encarou o público, o esquilo também parecia ansioso para a apresentação, mas assim como seu treinador, ele estava disposto a encarar todos desafios e conquistar a vitória.
— Vamos lá garoto, tudo conforme o combinado. — sorriu Lukas.
— Por ordem numérica, cada treinador apresentará uma série de ataques, e nós, aplicaremos uma nota.
Chegada a hora de Lukas, seu Pachirisu colocou-se em posição de ataque e dando rápidos giros fez uma singela entrada na arena. Ellen apoiou seus braços sobre a arquibancada e se pôs a observar o garoto, não porque o achava bonito, mas porque sabia que ele tinha potencial para tornar-se um ótimo coordenador no futuro.
— Pachirisu, comece a apresentação utilizando o Quick Attack, e suba em uma das pilastras, em seguida lance um Spark para o alto!! — ordenou Lukas.
O pequeno esquilo escalou a pilastra como uma árvore e ao chegar no topo lançou um ataque elétrico que pareceu tomar conta de seu corpo, o golpe lançou faíscas para o chão que pareceram dançar na sincronia que eram lançadas. A combinação rendeu aplausos, mas sua apresentação só estava começando.
— Pachirisu, lance um Swift o mais longe que puder e em seguida utilize o Spark em volta de seu corpo! — dito isto, o pokémon lançou uma série e estrelas para o alto que após um alguns segundos retornaram em direção do esquilo, mas aquele tempo fora o suficiente para que ele armazenasse energia o suficiente e lançasse o ataque elétrico que fez com as estrelas explodissem e liberassem pequenas pedrinhas preteadas.
— Para finalizar, Pachirisu utilize o Thuderbolt! — ordenou Lukas.
— Pachii, pachi!! — grunhiu o pokémon, preparando uma descara elétrica que em seguida foi lançada para o alto.
A arena foi brevemente tomada por um clarão seguido de uma explosão elétrica que cessou a energia do prédio por alguns segundos. O ataque pareceu surpreender os juízes, pois era muito incomum encontrar um ataque daquele nível em pokémons de iniciantes. 
— Obrigado pelo Thunderbolt, Tia Martha. — sussurrou Lukas.
As notas estavam dadas, assim como cada apresentador também já havia apresentando-se. Ellen levantou-se em andou em direção dos jovens anunciando o vencedor.
— Senhoras e Senhores, é com muito orgulho que anúncio o novo vencedor do Normal Contest! Este é Diego Kazue, que ficou em terceiro colocado, seguido de Fernanda Leinon em segundo. E o vencedor desta categoria foi Lukas Wallers, da cidade de Twinleaf!!
Lukas revelou um grande sorriso, em seguida abraçando seus Pokémons que haviam feito daquela ocasião tão especial, Pachirisu pulava em sua cabeça comemorando a vitória que aparentemente fora conquistada com facilidade, Shellos mal podia esperar o momento que finalmente fosse sua vez, enquanto Roselia e Mothim agradeciam os aplausos do público.
 Lukas estava feliz, mas a todo momento seus olhos procuravam pelo homem que o observava de longe. Mesmo que ele não tivesse tido a oportunidade de conversar, Lukas estava feliz por saber que alguém tão especial assistira sua batalha, mesmo que discretamente.
— Parabéns, criança. Você será um coordenador fenomenal. — sussurrou o homem para si mesmo.
Marshall o olhou e deu um leve sorriso, mas em seguida apenas arrumou seu chapéu e saiu da sala.

O garoto saiu do palco de apresentação e foi ao encontro de seus amigos que o aguardavam na saída. Sua nova fita viera com muita facilidade, e a cada competição Lukas mostrava ser um coordenador mais experiente e dedicado.
— Mandou bem, pivete! Show esse Thunderbolt do Pachirisu cara, aposto que ele também deve fazer mó estrago em uma batalha! — disse Luke.
— Lukas, sua apresentação foi realmente muito boa! Eu ainda não tinha visto a Roselia em ação, mas devo dizer que ela é muito meiga! Parece uma princesinha! — elogiou Dawn — Mas não podemos deixar de dar os devidos créditos ao Pachirisu e ao Mothim, eles também se saíram muito bem!
Dawn agachou na altura do pequeno esquilo que jazia ao lado do garoto, a criatura grunhiu de felicidade e subiu no colo da garota. O pelo fofo de Pachiriu era tão macio quanto um travesseiro, e ele também parecia apreciar o carinho que recebia. 
De repente, Vivian soltou um grito apontando para seu relógio.
— Ahh!! Minha competição estaria começando durante a apresentação do Lukas-kun! Se eu me atrasar serei desclassificada!! — gritou ela, correndo para dentro de uma das salas do torneio.

O público parecia estar inquieto, Vivian já não causara uma boa apreciação mostrando seu atraso. A garota correu em direção do palco e rapidamente recebeu seu número para entrar na fila dos candidatos.
— Senhoras e Senhores, a quarta competidora acaba de chegar, mesmo que com alguns minutos de atraso! Esta é Vivian, do continente de Johto! — apresentou uma das juradas.
Vivian suspirou aliviada por ter chegado à hora, ela arrumou brevemente suas roupas e enquanto aguardava o início da competição uma garota morena virou-se para ela e falou:
— Tome mais cuidado para não atrasar-se da próxima vez... Você quase foi desclassificada... — disse ela bem baixinho.
— Não se preocupe, foi só um descuid... AHH!! Você é a menina gótica que estava sentada ao lado do Lukas-kun hoje de manhã!! — gritou ela, apontando para a garota de modo eufórico.
— Marley. Meu nome é Marley... — respondeu ela indiferente.
— Quer dizer que nós duas seremos rivais no torneio de hoje? Que ótimo, vou poder mostrar ao Lukas-kun a minha vitória com grande pompa!!
— Você deve ser uma namorada muito irritante...
— Começa logo esse torneio, vou mostrar para todo mundo como tenho competência em uma competição. — retrucou Vivian já zangada com a presença da garota.

Lukas que estava sentado nas arquibancadas com seu Pachirisu no colo logo se deu conta que a garota ao lado de Vivian era Marley. Ele sabia que aquilo poderia render problemas, temendo o que sua amiga viesse a fazer para conquistar a vitória.
— Eu conheço aquela garota ao lado da Vivian. — comentou ele.
— Quem? — perguntou Dawn.
— Pra mim não tem ninguém lá no palco, as duas parecem uma tábua de passar roupas de lado! Hah, hah, hah!! Entendeu? Entendeu?! — brincou Luke, recebendo em seguida um olhar reprovador de seus amigos.
— Lucky, a gente podia ter ficado sem esse seu comentário. — disse Stanley.
— Quer dizer que você gosta de garotas turbinadas? — perguntou ela um pouco receosa.
— N-Não foi isso que eu quis dizeeeeer... — retrucou sem graça, percebendo a gafe que cometera e de modo que Dawn também não fosse muito diferente das duas.
— Shh... Vamos prestar atenção na competição que já vai começar! — disse Lukas, acariciando seu Pachirisu.
Todos os competidores da categoria entraram em seus camarins para que pudessem preparar seus pokémons na categoria de moda. Vivian mantinha seus olhos pregados em Marley que aparentava vestir seus pokémons com um gosto um tanto quanto peculiar. Ela tinha um Sneasel em suas mãos, enquanto Vivian preparava seu Ledian para a competição.
— Por quê você só fica quieta com essa cara de boba? Até parece que você não tem voz. — argumentou Vivian enquanto arrumava seu pokémon. Marley apenas respondeu sem tirar os olhos de seu Sneasel:
— Eu não gosto de falar... Escolho minhas palavras cuidadosamente, mas ainda assim elas podem machucar alguém mesmo que acidentalmente...
Vivian estranhou o estilo da garota, mas agora o tempo havia acabado, e elas precisavam levar seus pokémons para a apresentação. Os juízes pareciam ter gostado da vestimenta do Sneasel de Marley, assim como o Ledian de Vivian que parecia já ter mais experiência em competições.
— Você tem um gosto estranho para vestir seus pokémons. — provocou Vivian.
— Acho que os seus também... — respondeu Marley de modo sério, olhando para a Ledian de Vivian que vestia vários acessórios 100% cor-de-rosa.
Com a modalidade de dança as duas também pareciam disputar juntas, a Vespiqueen de Vivian de atrapalhava o Floatzel de Marley, sendo que agora as duas treinadores perdiam pontos na categoria por tentar atrapalhar um oponente. Lukas não acreditava que Vivian estava saindo-se tão mal só pelo fato de ter alguém que não gostava na competição.
            
— Nossa, a Vivian está muito pior dessa vez, nem parece a mesma pessoa que competiu com o Lukas em Jubilife. — disse Dawn.
— Acho que ela está tentando chamar atenção, e por isso está perdendo a concentração nas apresentações. A categoria de batalha será sua última chance de repercutir e garantir a vitória. — disse Stanley.
— Mas por que ela está fazendo isso? Não há necessidade de se mostrar, uma garota não precisa se mostrar para que alguém goste dela... — comentou Lukas chateado, observando a garota que estava no palco — Vocês acham que a Vivian ganharia uma batalha?
— Com pokémons insetos? Sinceramente, eu acho que não. — disse Luke.
— A Vivian possui bons pokémons, alguns que vocês nem conhecem do tempo que ela disputava nos ginásios de Johto. Porém, especializar-se em um único tipo pode ser perigoso. Temos que torcer para que ela enfrente algum treinador que não tenha vantagem sobre o tipo inseto. — explicou Stanley.

Um grande painel indicava os respectivos treinadores e seus adversários. O estilo sorteado seria a batalha em que os competidores lutavam com um companheiro na tentativa de criar combinações de ataques e sincronia de golpes, adquirindo desse modo a admiração dos jurados, mas sem o objetivo de derrotar o adversário. Os competidores deveriam olhar para seu lado direito, pois este seria o seu companheiro de batalha.
Vivian revelou um olhar sombrio como alguém que já imaginava quem seria seu parceiro. No mesmo instante ela se deu conta de era Marley quem enfrentaria. A garota deu uma risada maléfica e se pôs a falar com ironia:
— Oh, parece que vamos nos enfrentar. Vamos trabalhar juntinhas como duas amiguinhas que vão fazer golpes magníficos, não é mesmo? — disse Vivian, seguido de uma risada.
— Claro. Vamos nos esforçar. — assentiu Marley.
— Senhoras e Senhores, a regra que será realizada nessa batalha será a do uso de dois pokémons para cada competidor. Logo, serão um total de quatro pokémons no campo de batalha demonstrando seus golpes para o público. Façam suas melhores combinações e boa sorte, mas não se esqueçam, é proibido nocautear o pokémon do adversário! — disse a jurada.
Vivian andou até um pequeno ginásio onde seria realizada a sua batalha. Em seu rosto era evidente que ela não estava disposta a pegar leve com Marley, mesmo imaginando que ela era uma iniciante. 

Vivian era nova em Sinnoh, mas ela já tinha muita experiência pelos torneios de inseto em Johto. E mesmo que ninguém soubesse, ela participava de ginásios em seu continente. Vivian sonhava em se tornar um Mestre Pokémon como qualquer criança. Sendo nativa de Azalea Town ela era muito influenciada pelo líder Bugsy, que também possuía Pokémons insetos. Seu primeiro desafio seria contra o Líder Falkner, mas depois de ter sido derrotada tantas vezes ela acabou desistindo. 
Vivian queria provar de algum modo que os insetos eram fortes, e foi então que lhe surgiu a oportunidade de entrar nos torneios de insetos de Johto. Ela era uma treinadora com muito potencial, mas ninguém conhecia seus verdadeiros Pokémons até aquele momento. Agora era sua vez de reviver os momentos de treinadora do passado, escondendo aquele aparente jeito iniciante de coordenadora.

Lukas temia que Vivian pudesse ser derrotada facilmente, mas ao mesmo tempo se preocupava com Marley que poderia estar enfrentando uma adversária forte demais. Os Pokémons das duas garotas permaneciam em mistério, mas que estava para ser quebrado assim que suas pokébolas foram lançadas. 
Todos se surpreenderam ao perceber que Marley não era somente uma iniciante. Em sua frente jazia um majestoso Arcanine seguido de um Jolteon ao lado. Vivian também se surpreendeu, o que a fez presumir que Marley não era uma novata inexperiente em concursos.
O público estava muito surpreso com a equipe de Marley, mas os irmãos não podiam esconder a surpresa ao notar os dois Pokémons que Vivian escolhera. Pela primeira vez eles estavam vendo um Heracross e um Scizor em Sinnoh. Pokémons nativos de Johto e Kanto eram raros, e embora aparecessem algumas vezes naquela região eles ainda eram aclamados como criaturas raras e poderosas, e por isso, a plateia parecia ir à loucura por poder presenciar tais criaturas.
— V-Você não é iniciante! — concluiu Vivian.
— Vejo que você também não seja... Acho que fiz mal em julgar que você fosse apenas uma garota iniciante sem dote nenhum... Acho que será uma batalha mais difícil do que eu esperava... — respondeu Marley.
— Desde quando a Vivi tem esses Pokémons tão legais?! — gritou Luke, apontando para os poderosos insetos que estavam na arena.
— Vivian é nativa de Johto, não é de surpreender que ela tenha criaturas típicas dessa região. — afirmou Stanley.
— Um Scizor e um Heracross não seriam uma escolha muito boa para um contest... Acho que Vivian entendeu errado a parte de apenas apresentar os golpes do pokémon. Tenho uma estranha impressão de que ela irá batalhar seriamente. — concluiu Lukas.

Os jurados pareciam adorar a presença de estrangeiros nas competições. Aqueles Pokémons além de raros não eram muito vistos nas competições, e por isso todos sabiam que seria uma batalha espetacular.
— Vejam só, Senhoras e Senhores! Temos aqui quatro pokémons de nível aparentemente elevado das competidoras Vivian e Marley! Tenho certeza que essa apresentação renderá golpes fenomenais. Eu declaro essa batalha iniciada!!
— Arcanine, utilize o Flamethrower naquele Scizor. — ordenou Marley.
— Heracross, proteja-o com o Stone Edge! — aprontou-se Vivian.
O pokémon besouro rapidamente protegeu seu aliado em desvantagem criando uma parede de pedras que quase acertou o cão de fogo, que por sua vez esquivou-se com destreza. O ataque de fogo rendeu uma imensa parede pedras que brilhava como o magma fervente de um vulcão. O que deveria ser um ataque fatal acabou se tornando uma linda apresentação, mesmo que indiretamente. Vivian e Marley pareciam criar golpes que chamavam a atenção dos juízes.
— Scizor, derrube aquele Jolteon com o X-Scissors!
— Rápido Jolteon, revide com um Shock Wave e impessa este ataque.
A pequena raposa elétrica era mais rápida que Scizor, e com isso criou uma onda elétrica que ao deparar-se com o vento cortante lançado pelo pokémon inseto, rapidamente repercutiu em uma descarga elétrica para os dois lados. 
Seguindo as ordens de sua treinadora, Jolteon ainda criou uma forte chuva com o Rain Dance, para que dessa forma seu Thunder pudesse ter mais precisão ao atacar o oponente. A chuva molhava o salão inteiro, Lukas tentava proteger seu Pachirisu, Dawn reclamava de seu cabelo, enquanto Luke parecia não acreditar que aquelas duas estavam competindo entre "treinadores iniciantes".
— Elas são de que mundo cara?? Onde já se viu quatro pokémons desse nível se enfrentarem em uma batalha?! — disse Luke — Se eu soubesse que a Vivi era tão forte eu teria pedido ajuda para treinar!!

Vivian e Marley continuavam se encarando enquanto a chuva escorria por seus rostos.
— Eu vou ganhar essa batalha e mostrar para o Lukas-kun como sou uma boa coordenadora. — disse Vivian.
— Você fala muito... Concentre-se na batalha e leve em conta que tenho vantagem sobre seus pokémons. Jolteon, lance um Thunder na arena! — disse Marley.
Vivian sabia que aquele ataque poderia paralisar seus dois pokémons e a impediria de realizar qualquer movimento de primeira instância, facilitando um golpe de Arcanine para cima dos insetos que tinham enorme desvantagem. A garota precisava pensar em um plano, e rápido.
— Heracross, utilize o Earthquake na arena! — ordenou Vivian.
O besouro pulou com todas suas forças no chão e causou um terremoto que destruiu a arena, desse modo o solo seria alterado o que impediria a propagação do ataque elétrico de Jolteon na terra. Com o raio lançado, um enorme clarão surgiu pela explosão elétrica lançada. Os quatro pokémons permaneciam encarando-se até que uma das juízes levantou-se e aplaudiu.
— Esta batalha foi sensacional!! A perfeita combinação e o perigo em combinar golpes de pokémons tão opostos fizeram desta batalha uma das melhores! Eu declaro-a encerrada. — disse um juíz.
— Acabou...? — comentou Marley.
— Nãoooo, eu ainda não acabei com essa Gothitelle retardada!! Deixa a batalha continuar só por mais alguns minutos Senhor Jurado, prometo que ela não passa disso. — disse Vivian.
— Senhoritas, a batalha já foi encerrada. Vocês duas foram as melhores nesse quesito, agora peço que retornem para o palco para que possamos anunciar os resultados.
Vivian encarou Marley que apenas retornou seus pokémons e caminhou em direção ao palco, e mesmo que contra sua vontade, Vivian deveria fazer o mesmo.
— Graças a Arceus que acabou cara, essas duas iriam destruir o prédio inteiro. — comentou Luke, escondendo-se atrás de uma cadeira.
— Aaaaw... Agora vou ter que lavar meu cabelo de novo. — comentou Dawn, irritada pelo Rain Dance utilizado pelo Jolteon.

Lukas estava ansioso para os resultados. Ao mesmo tempo que ele queria que sua amiga ganhasse , ele também torcia por Marley que havia se mostrado uma coordenadora muito capaz. Essa tensão estava para terminar quando os jurados anunciariam os resultados.
— Que batalha eletrizante nós tivemos!! E para encerrar essa grande competição aproveito para anunciar nosso vencedor! Esta pessoa que saiu-se perfeitamente no estilo, arrasou na dança, e mesmo que de modo discreto na batalha ainda conquistou a vitória...! — dizia a juíza, hesitando em anunciar o vencedor para causar suspense na plateia.
— Vai ter que se contentar com a derrota, amiguinha. — provocou Vivian.
— E a grande vencedora foi Lucy!! Com seu amável e adorável Buneary!! — anunciou a juíza, o que fez com que Vivian e Marley ficassem surpresas com o resultado.
— O QUÊÊÊÊ?? Quem é essa mano?? Ela tava competindo com a gente?? — gritou Vivian.
— A-Acho que eu perdi também... — suspirou Marley um pouco sem graça.
— Minhas queridas, vocês duas deram um verdadeiro show na apresentação de golpes, mas sinceramente, saíram-se muito mal nas duas outras categorias. Agradecemos a participação de vocês, e esperamos vê-las no próximo torneio! — disse a jurada.
— Obrigada senhorita. — despediu-se Marley, deixando Vivian parada no meio do palco ainda não acreditando que havia perdido.
Lukas e os outros rapidamente correram em direção da garota que permanecia parada no meio do palco, a garota vencedora já recebera seu prêmio, mas Vivian ainda não acreditava que havia perdido novamente. Lukas estava chateado em ver sua amiga triste, mas ninguém ousava dizer nada para não chateá-la ainda mais.
— Hm... Foi uma boa batalha, Vivian... — comentou Luke sem graça.
— Não fique chateada, ainda vão haver outras oportunidades no torneio daqui há uma semana... — explicou Stanley, mas a garota continuava atônita e parecia não querer respondê-los. Vivian suspirou e levantou seu olhar de modo furioso.
— Cadê aquela gótica retardada? — perguntou Vivian.
— Acho que está na saída, mas o que você pretende fazer? — perguntou Dawn receosa, vendo a ruiva correr atrás da menina que estava para sair do salão — Meu Arceus, segura essa garota pra ela não matar alguém!!

Vivian parou ao lado de Marley e apontou em sua direção pedindo para que parasse, a menina apenas lançou um rápido olhar e parou. Vivian parecia furiosa, e seus amigos temiam que ela fizesse o pior do modo que era estressada.
— Marley!! — gritou Vivian, hesitando em responder pelo cansaço — Você não vai conseguir roubar o Lukas-kun de mim, tá ouvindo?!
Marley franziu o cenho de modo confuso,  mas quem realmente estava envergonhado era Lukas que agora não tinha como esconder-se da gafe que sua amiga o fazia passar.
— Você é minha rival a partir de agora!! Tanto no amor quanto nos torneios!! E da próxima vez que nos encontrarmos pode ter certeza que vou dar o meu melhor e acabar com você!! — gritou Vivian.
— Você é... muito irritante... Mas eu gosto. — comentou Marley de modo sério —  Espero poder encontrá-lo na próxima competição, e é bom tomar conta do seu namorado antes que alguém o roube. Nos vemos na próxima. — disse Marley, revelando um raro sorriso na sequência.
— Malditaaaaaaaaa, eu disse que ela tava dando em cima de você, Lukas-kun!! — afirmou Vivian.
— Ah... Na verdade é você que sempre entende as coisas errada... — brincou o garoto.

O céu logo começava a ficar em um tom alaranjado. Os torneios haviam sido bem cansativos, e Vivian continuava furiosa sem largar Lukas de seus braços. Os jovens agora retornariam para o o hotel depois de um dia bem cansativo, Luke olhava para o ginásio pensativo, ele pensava em um modo de vencer Fantina sem utilizar Titânia, sendo que sua Froslass poderia vir a tornar-se uma poderosa arma. Quais desafios ele teria em sua terceira batalha de ginásio?

Com a segunda fita em mãos, Lukas poderá começar a preparar-se para o seu próximo torneio, por outro lado, Vivian pareceu não ter a mesma sorte na competição, de quebra ainda ganhando uma nova rival para sua vida. Agora cabe a Luke e Stanley prepararem-se para a batalha de ginásio que será realizada no dia seguinte, mas será que os dois conseguiriam sair-se bem contra a habilidosa líder, Fantina?

      

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -