Posted by : CanasOminous May 2, 2014

RADIAÇÃO
Ilustrações feitas por Nyx.

Um estrondo terrível ecoou pela arena, um grito que mais parecia desfrutar da desilusão dos demais, rir da desgraça e alimentar-se de cada resíduo de esperança que restava em seus corações.
Aerus olhou para o campo de batalha, desolado. Viu o corpinho miúdo de Jade ajoelhado no chão quase sem vida, como se um pedaço seu tivesse sido levado embora no instante em que uma das poucas pessoas que amava lhe fora tirada. Yoshiki sangrava muito em seu abdômen onde fora perfurado, Sophie corria para curar sua ferida e certificar-se de que tudo ficaria bem aos demais enfermos. Alguns de seus amigos tinham ferimentos mais leves por conta do envenenamento causado por Atômico, e nada lhe tirava da cabeça de que General tinha suas energias mais e mais drenadas a cada segundo que se passava daquela batalha. No fim das contas, será que existia algum meio de combater aquele monstro indestrutível?
O dragão apoiou-se sobre seus joelhos, sua respiração estava exausta e seu coração apertava-se cada vez mais quando ouvia os gritos ou explosões distantes. Onde estavam seus amigos? Será que todos estariam bem?
— E-Eu não consigo protegê-los... — Aerus suspirou com os olhos fixos no chão de concreto. Suas mãos tremiam. — Eu não consigo protegê-los sozinho.
Pôde ouvir um caminhar lento perto de si, e ao virar-se foi como se um raio de sol em plena lua cheia ofuscasse a sua visão. Seth, o Cavaleiro Dourado, esticou uma das mãos para Aerus e sorriu.
— E quem disse que você está sozinho?
O dragão encontrou-se sentado e, por um instante, todo o som ao seu redor desapareceu. Não se ouvia absolutamente nada. O próprio ar que se respirava parecia ser malicioso por conta das toxinas de Atômico. Não havia mais platéia. Aerus nunca teria imaginado o quão assustador seria o silêncio, mas a partir daquele ponto sabia que o ouviria com uma frequência inimaginável. Atômico erguia-se imponente, aguardando um adversário à sua altura numa provocação sinistra feita por sua boca horrenda e olhos que a tudo observavam.
Quem de vocês ainda tem coragem de enfrentar o meu poder? Ou preferem sucumbir e colaborar para o fim de toda a nossa existência? — Suz voz sinistra era ouvida numa provocação constante.
Wiki carregava uma de suas armas, mas seus tiros elementares envolvidos pelo Tri Attack estavam acabando e ela precisava racionar até o fim da batalha, pois ainda havia um longo percurso pela frente. Atirar já parecia não ter efeito algum.
— Ele é como uma bomba. Quanto mais o atacamos, mais ele sugará nossa energia e utilizará contra a gente. Que tipo de habilidade é essa?
— É o fim — disse o pequeno Marco sem nenhuma esperança ao lado da moça, antes de levar um empurrão forte de Vista.
— Não dia besteiras, kid. Essa luta só acaba quando esse monstro for detido, ou todos nós estarem mortos.
— Ninguém aqui vai morrer — A voz de General pôde ser ouvida, austera e rígida. Por um momento ele levou a mão ao peito, como se estivesse sentindo uma dor intensa em seu coração, mas não demonstrou fraqueza em instante algum. — Porque eu não vou deixar.
General revelou que tinha em mãos uma pequena seringa com um líquido púrpuro, numa tonalidade próxima ao vinho. Quando Tashiki fora derrotada, a mulher entregou nas mãos de Yoshiki um antídoto capaz de curar qualquer veneno do mundo, e com uma eficiência ainda mais poderosa, ele também trazia à tona uma restauração completa para aquele que o utilizasse.
Yoshiki o entregou nas mãos do militar e confiou à ele toda a capacidade que a sua mentora lhe fornecera.
— Eu mal tenho forças para me levantar, e mesmo que o meu corpo quisesse, meu coração está destruído por dentro — Yoshiki falou com uma risada cínica no rosto, por mais que estivesse em um estado deplorável.
Sophie o silenciou e o acolheu melhor em seu colo.
— Poupe suas energias, Yoshiki. Ainda temos uma longa caminhada — assentiu a enfermeira.
— Farei o que estiver ao meu alcance — disse General naquele instante.
O militar vinha sofrendo com um envenenamento há muito, muito tempo. Desde que lutara contra Atômico pelo primeira vez um pedaço de si era dominado por uma maldade que lhe corroía por dentro aos pouquinhos. Castelo Branco tinha pesadelos todas as noites, mas os ocultava sempre que possível a menos que despertasse e acordasse Glaciallis ao seu lado, suando de frio. Ele ardia em febre, e nos últimos anos sentiu-se exatamente como seu companheiro Al Capone que sofria de insônias. A noite parecia ser a pior hora do dia. Em sua cabeça, ouvia a voz de um monstro disposto a devorá-lo com sua enorme boca, derrubando-o em um poço de almas onde seria esquecido e consumido pelas trevas
General segurou a seringa e olhou para Chaud que fez um aceno com a cabeça. Se até então General lutara com apenas uma fração de sua força, estava na hora de usá-la por inteiro.
— Vai precisar de um pouco? — indagou o militar em direção do guerreiro da máscara de ferro.
— Não preciso. Se o jovem Yoshiki entregou à você é porque tem algum motivo em especial, e talvez, principalmente, porque ele sabe que pode confiar em suas capacidades — respondeu Chaud.












          General aplicou a injeção em si e sentiu suas veias pulsarem. Para que um homem adulto como ele chegasse a gritar, a dor deveria ser inestimável. O homem gemeu e seus músculos quase estouraram, ele caiu no chão ajoelhado e Glaciallis correu para seu consolo. Todos imaginaram que o que havia naquele frasco poderia ser um veneno fatal, afinal, Tashiki era uma mulher traiçoeira e continuava sendo sua inimiga. Se ela quisesse ter derrubado um dos pilares da Fire Tales, aquele teria sido o momento.
— A-Aquela desgraçada envenenou o General! — gritou Mikau em uma revolta incontida.
— Castelo, Castelo! — gritou Glaciallis, abraçando o homem que apoiava um dos joelhos no chão, mas não fraquejou. General precisaria de apenas um tempo para recuperar-se, mas o verdadeiro poder ainda estava por vir.
— Realmente, foi uma estratégia arriscada aceitar de bom grado a ajuda de um inimigo — comentou Beliel. — Mas se não confiarmos, que chances teríamos? Algumas vezes os riscos são necessários.
Enquanto General mantinha os olhos fechados e todas as impurezas de seu corpo eram destruídas pelo antídoto, sua equipe precisava ganhar tempo para a batalha.
— Está na hora de dar um fim nessa aberração — confirmou Chaud.
— Permitam-me acertar algumas contas com meu ex-sub-administrador — disse Seth com um sorriso de canto, caminhando ao encontro de seu inimigo. — Eu já estava aguardando por isso há um longo tempo.
O Cavaleiro Dourado andou até que ficasse frente a frente com aquela aberração. Atômico não se movia mais. Não havia o que destruir, e seus soldados feitos de veneno nada poderiam fazer contra a capacidade da Fire Tales, os mais poderosos daquela região. Atômico gostava de jogos, e os seus em especial sempre exigiam paciência. Eva escondia-se perto de Chaud, pois temia o que mais uma vez aquela monstruosidade seria capaz de fazer.
A armadura de Seth brilhava. Atômico envergou-se como um enorme cano enferrujado que altera o fluxo da água, e sua boca ficou aberta exalando um bafo horrível bem no rosto do cavaleiro. Seth não se moveu, mas fechou os olhos tentando segurar a respiração daquele hálito nojento. Atômico algumas vezes sorria, nas outras parecia duvidar do que devia, mas sabia que chegara a hora de sua revanche.
Eu o obedeci por muito tempo, meu ex-chefe. Mas este tempo acabou.
 A voz terrível e assustadora teria intimidado qualquer um, mas quem estava ali de pé era Seth, o Lendário.
— Devo dizer que também nunca tive muito apreço por seus serviços, meu ex-companheiro. Você não seria digno de receber nem mesmo a menção de ser o braço direito de alguém. Sempre pensando em si mesmo, procurando uma forma de derrubar os outros para conseguir o seu lugar. Pena que sempre há pessoas mais capacitadas para superar aqueles que tentam trapacear de maneira injusta — Seth sorriu, erguendo seu punho contra o inimigo que sentiu-se profundamente insultado. — Mas, me diga, como é que você nunca se cansa de perder?
Atômico abriu sua enorme boca e devorou o cavaleiro por completo, mas de dentro daquele líquido roxo um brilho intenso emergiu e explodiu tudo ao seu redor. Pedaços do terrível Muk voaram para todos os lados, mas cada pedaço reergueu-se e tomou forma de pessoas que Seth conhecia muito bem. Ele estava cercado. Uma voz intimidante ecoou por todo o ginásio destruído:
Sempre dependendo dos outros... Essa é a maior fraqueza da amizade.
Seth viu-se cercado, mas seu braço estava preparado assim como a espada nunca abandona seu guerreiro. Um daqueles pedaços transformou-se no rosto de Malbora e Magnum, emergidos num corpo só. Sobre eles havia um parasita gigantesco, e eles pareciam chorar quando suas vozes eram ouvidas clamando por liberdade.
Meu senhor, por favor, ajude! Ajude a gente!
Seth reconheceu imediatamente a estratégia de Atômico. Ele conhecera seus demais companheiros tempo o suficiente para usar de sua memória contra aquele que um dia os liderou. Ali estavam os membros da Grande Criação, e o dragão lembrava-se perfeitamente do rosto de cada um de seus amigos. Estavam retorcidos, torturados, faltando pedaços. Ali existiam apenas memórias doloridas e palavras falsas que tentavam ser usadas para persuadi-lo.
 Chefe, como pôde nos abandonar? — clamou Delfort.
 Estamos mortos agora. Todos mortos. Eu, você, nós! Fomos abandonados, você nos deixou para trás para continuar sua própria vida — continuou o Barão Maximiliano.
 Você não tem honra. Você não tem coragem — assentiu Eleanor.
O Cavaleiro Dourado via o corpo deformado de cada um de seus velhos amigos, cercando-o e aproximando-se cada vez mais, mas um especial o fez morrer completamente por dentro:
 Chefe, chefe — disse a pequena Neon. — Agora estou tão triste e sozinha... Nós podíamos estar felizes e junto com você, mas não estamos. Você deixou a gente morrer.
— É mentira.
Seth mergulhou sua espada contra o corpo da criança perfurando o seu peito, mas as ilusões de Atômico continuavam vivas e cada vez mais o instigavam. Neon Photorine levou uma de suas mãozinhas até a espada em seu peito e sorriu maliciosamente.
— Por favor, não me deixe — rogou a voz da menininha, quase como se aquilo fosse uma ameaça.
Seth retirou sua espada dourada e cortou a cabeça do monstro que assumia a forma daquela garota que já fora tão especial para ele. Suas veias pulsavam, e ele sentia seu coração arder de um ódio que nunca antes imaginara.
— É mentira. Não vou acreditar em apenas um monte de clones mal feitos, pois não há espaço para ainda mais clones nesse mundo. Apenas nós somos a perfeição, a verdadeira Grande Criação.
As enormes asas de dragão abriram-se em suas costas, e os soldados investiram contra o guerreiro. Seth virou-se depressa e arrancou um dos braços de Delfort, fazendo um corte profundo na garganta de Eleanor e partindo o Barão ao meio. Ele arrancou o parasita de Malbora e Magnum, e aos poucos cada uma das ilusões foi se desfazendo até se transformarem em uma poça líquida e desagradável.
A voz de Atômico ainda podia ser ouvida.
Você esqueceu de um.
Seth virou-se com velocidade a tempo de ver algo que fez todo seu corpo estremecer. Ali estava Beliel, com os enormes chifres saindo de sua cabeça e uma sede por maldade a vazar pelas entranhas. Ele defendeu-se de golpes ágeis com garras envenenadas, quando pôde observar que a última ilusão criada certamente era um dos guerreiros mais temíveis entre todos os clones e dotado de uma malignidade sem limites.
 O Dragonite colocou-se em posição de ataque, mas antes que Beliel fizesse o primeiro movimento ele foi perfurado no peito e gemeu com um espasmo. Sentiu como se seu coração fosse arrancado, vendo que de trás dele estava o verdadeiro Beliel que o incinerava por dentro e mantinha-se inalterável diante de sua própria morte.
— Não permito que exista mais nenhum Beliel nesse mundo — disse o cão do inferno.
O último soldado da Grande Criação caiu e desapareceu em uma fumaça negra e sem cor. Atômico abriu sua enorme boca e rugiu, recuperando o que restara de seu corpo destruído e recompondo-se. Todos os demais soldados tóxicos que ainda residiam na arena foram sendo sugados aos poucos, fazendo com que ele dobrasse o seu tamanho original. Sua derrota para Seth o deixara irado, e dessa vez, seu golpe seria mortal.
Foi quando General abriu seus olhos.


Mesmo que Atômico soubesse que não poderia destruir todos naquele recinto, tinha certeza de que levaria alguns com ele. Aguardara a sua hora, juntando-se com a guilda Chernobyl somente para o dia em que sua vingança fosse completa.
A longa espera de sua luta chegava ao fim, pois seus oponentes já haviam chegado ao limite da paciência. General e Chaud foram os dois guerreiros que o fizeram provar de sua própria dor pela primeira vez. Foram eles que o mergulharam num oceano de esquecimento, esmagando seu corpo com o poder das águas e praticamente extinguindo sua existência deste mundo. Mas sua sede por vingança era voraz, e ele não se daria por vencido enquanto não roubasse uma última vida.
Atômico agora preparava-se para algo maior, um último ataque, o mais poderoso de todos.
— Ele vai vir para cima de nós, de novo — disse Chaud, dando de ombros.
General tentou levantar-se, mas precisou da ajuda de sua dama de gelo para conseguir ficar de pé.  Foi então que percebeu que sua respiração não estava mais ofegante. Seus músculos não doíam. Sentia que um peso desaparecera de suas costas e que tudo dentro de si estava renovado.
— Senhoritas, por favor, mantenham-se afastadas — disse o militar em direção de Glaciallis e da pequena Eva. — Está na hora de invertermos o tabuleiro. É a nossa vez de jogar.




O impacto do golpe fora tão grande que Atômico caiu no chão, destruindo bancadas e esmagando seus próprios soldados remanescentes que voltavam a fazer parte de seu corpo. Ele absorveu cada uma das criaturas restantes. Estava furioso, e não podia ser contido.
Seu corpo se decompunha aos poucos, e ao erguer o braço viu sua enorme mão cair no chão e sua boca desmanchar-se como se fosse farelo de pão. Atômico não teria muitas chances, e ele sabia disso. General estava de volta mais poderoso do que nunca, e aquele soco fora somente uma demonstração. O monstro estava disposto a absorver tudo e todos que pudesse para complementar sua força.
— Estão vendo?! — gritou General para que seus amigos o ouvissem. — O imortal pode morrer, e o invencível pode ser derrotado!
— Dê ao povo a arma, os motivos certos, a inspiração, a coragem, e principalmente a esperança da vitória; e verás como ele não foge a luta — comentou Seth em voz baixa, vendo que agora até mesmo Aerus ativava suas lâminas e preparava-se para a onda de ataques que viria.
A Fire Tales agora não o temia, e Atômico havia perdido sua arma mais poderosa: O medo.
Colocando toda a sua energia num último disparo, o monstro abriu sua boca e atacou com força descomunal, um golpe de dimensões colossais que consumiria tudo ao seu redor. Chaud ergueu seu escudo e colocou-se na frente dos demais, sabendo que agora colocaria um fim em seu maior inimigo de uma vez por todas.
Metal Burst.
O escuro de Chaud enrijeceu, suas veias pulsaram e a máscara de ferro prendeu-lhe o rosto a ponto de queimar. Sua armadura toda começou a trincar, os guerreiros surpreenderam-se ao imaginar que mesmo com sua defesa impenetrável aquele impacto parecia grande até mesmo para a fortaleza da guilda. Seria ele capaz de detê-lo?





O golpe havia retornado duas vezes mais intenso, e recebendo do próprio veneno, Atômico viu sua energia aumentar tanto que nem mesmo ele pôde suportar. Seu corpo aumentou de tamanho a ponto de que sua voz rouca e conturbada pudesse ser ouvida em cada canto da região num último grito de espasmo. Conforme ele se retorcia e seu corpo brilhava num tom metálico intenso, sendo tomado por uma camada de ferro, o líquido púrpuro enrijeceu até que se transformasse em pedra. Suas partes racharam, e ele cedeu. Sua mão desmontou, a boca partiu-se ao meio e cada pedaço foi se desintegrando até que seus olhos disparassem para as órbitas e ele explodisse por completo.
Os guerreiros se protegeram dos resquícios da explosão, mas estavam todos bens. Aerus levantou-se debaixo de algumas pedras junto de Watt, e até mesmo Seth surpreendeu-se com o nível que a Fire Tales chegara a ponto de derrotar Atômico, uma das maiores e mais terríveis monstruosidades que aquela geração de treinadores já vira.
— E-Ele se foi... — disse Eva, incrédula. — Nós o destruímos.




— Estão todos bem? — perguntou Milena, aliviada por ver que o público havia conseguido fugir sob a liderança de Drinian e Primia, sendo que Ereon e seus companheiros haviam feito bem em não influenciarem no destino que aquela batalha tomaria, ou Atômico poderia ter levado a luta adiante e colocado em perigo as cidades próximas
Aerus retraiu suas lâminas. Limpou o resto de veneno que a manchava, e agradeceu por aquilo não ser sangue, torcendo para que ele não fosse derramado tão cedo naquela guerra. Olhou para tudo ao seu redor e somente então deu-se conta do estrago no estágio da Primeira Casa da Elite.
— Maldição... O que fazemos agora?
— A guerra continua — respondeu Ereon, fazendo um pouso triunfal ao seu lado e caminhando em direção do dragão para um encontro amigável. — A batalha contra a Elite dos 4 não será interrompida por estes motivos, uma vez que não sofremos tantas baixas de nosso lado. Conseguimos colocar o público à salvo. O governo não pode permitir que vocês sejam eliminados do campeonato, e muito menos que a Elite seja interditada por um ocorrido como este. Atômico planejava isso desde o começo, e nós não poderíamos prever seus movimentos se não o detivéssemos.
— Então, quer dizer que somos heróis agora? — perguntou Watt.
— Poucos viram, e ainda menos acreditarão no que aconteceu aqui — explicou Ereon. — Vocês serão considerados destruidores e perturbadores da paz, além de terem de sofrer uma série de processos após terminarmos com tudo. Nada que não estejam acostumados, correto?
— Corretíssimo — Aerus sorriu, ainda não escondendo a exaustão.
Seth aproximou-se e consolou o pequeno Watt.
— Verdadeiros heróis não precisam ser reconhecidos. Eles simplesmente fazem o que fazem porque precisam fazer.
O esquilo acenou com a cabeça.
— Lamentamos pelo destino de Tashiki e alguns dos membros da Chernobyl — disse Watt.
— A luta de vocês deve continuar — continuou Ereon, antes de preparar-se para partir e tentar convencer o governo do que acontecera ali. — Todavia, não haverá mais pessoas para assistirem. O espetáculo acabou. Algum problema para vocês?
— Sem problemas. Não queremos audiência, não precisamos de um montão de gente para ver o que fazemos. A gente faz porque... porque a gente é foda — respondeu Aerus, forçando o melhor sorriso que conseguia após uma batalha daquelas. — Aí, velho. Só quero que você cuide da mídia e da imprensa lá fora, não deixa os caras se descontrolarem e fazerem merda, e deixe que nós fazemos a nossa parte.
Ereon concordou em permitir que Aerus e os demais partissem em direção da Segunda Casa, e por fim alçou voo em direção das estrelas antes de desaparecer nas nuvens negras que se formavam no céu. Enquanto a Fire Tales desejava comemorar sua primeira vitória, era terrível olhar para Jade aos prantos e imaginar qual era a sensação de perder um amigo, uma pessoa tão querida. Até mesmo Chaud e Eva sentiram pena do pobre Doraikem que não merecia tal destino, uma vez que o gatuno teria fugido e evitado qualquer problema ao menor perigo que aparecesse.
— A morte não perdoa ninguém... — disse o ferreiro, abraçando Eva e consolando a menina que chorava aos prantos em seu colo pela morte de pessoas que ela mal conhecia.
Glaciallis caminhou em direção de General que observava os restos de Atômico pelo estágio e descansou a cabeça sobre o ombro do homem, soltando um longo suspiro na sequência. Aerus estava logo ao lado, aproveitando o momento para agradecer o seu estrategista que guiara aquela batalha pelo caminho da vitória.
— Eu queria que essa guerra estivesse perto de terminar —  disse a dama de gelo.
— Vamos aguentar um pouco mais, Glaciallis — Aerus sorriu mesmo naquela situação. — Só um pouquinho mais...

A conclusão do conselho quanto à batalha na Primeira Casa foi que Luke Wallers não seria eliminado e que sua presença não seria interrompida. Walter Wallers e seus demais companheiros da Ex-Elite fariam o possível para conter a mídia do lado de fora, controlando o avanço da multidão, permitindo que o filho seguisse os objetivos e desse o seu melhor naquela demanda. As pessoas estavam preocupadas e demoraria até que Theo se recuperasse do choque que seu Pokémon causara. Por mais que ele tivesse sido derrotado, a casa dos tipos venenosos se aprofundaria em suas próprias malícias.
Muitas mudanças teriam de ser feitas, mudanças aquelas que somente o Campeão poderia tratar. Os membros da Elite levariam o caso para frente assim que tudo aquilo terminasse, mas ainda não era hora de descansar. O governo político da região de Sinnoh estava prestes a entrar em colapso, mas Walter tinha esperanças de que tudo poderia mudar, se o povo tivesse um pouquinho mais de paciência.
Apenas alguns poucos passaram adiante... Seu irmão, Lukas, não aceitou ficar de fora das lutas de Luke, e pediu ao pai que permitisse ao menos sua presença dali em diante. Ele fora um dos responsáveis por ajudar na luta contra Atômico, assim como Dawn, Vivian, Stanley, Cynthia... Mas prometeu não atrapalhar. Como Walter dissera, muitos haviam chegado até ali como curiosos ou interessados, outros desistiram no caminho, e agora somente os melhores e mais corajosos estariam presentes para ver o final.

      

{ 9 comments... read them below or Comment }

  1. FINALMENTE ! ACABOU, SE FUDEU, ATÔMICO !

    Pô, cara, essa luta me fez pular da cadeira de tanta agitação, primeiro, Seth mostrando que é fodão e mostrando que é o dono do mundo. Segundo, Chaud segurando a barra, resistindo a tudo. Ele abraçou a Eva <33 PÔ, EU LIGO PRA ESSES PEQUENOS DETALHES.

    E TERCEIRO: GENERAL, QUE REVIRAVOLTA FOI ESSA ?! Ele, com certeza, se destacou. Meu Deus, adoro esses feitos "bad ass" dos personagens, que do nada, ficam poderosos, e BAM!, detonam o inimigo *-*

    Pô, cara, de verdade, eu já tava ficando com medo do que aconteceria, tive medo de mais mortes. Mas, pelo amor de Arceus, estão vivos !

    "— Dê ao povo a arma, os motivos certos, a inspiração, a coragem, e principalmente a esperança da vitória; e verás como ele não foge a luta"

    Essa frase poderia sair se espalhando mundo a fora, fera! É tão, tão impressionante. Eu esperava isso do Seth :D
    Bem, o capítulo acabou de sair, mas, venha logo o próximo !
    Nyx mais uma vez dando ao capítulo imagens que empolgam a cada paragrafo lido. Parabéns mesmo, Nyx !
    Canas, não preciso comentar sobre sua escrita. É tão foda e estimuladora ao mesmo tempo :3

    Aguardando os próximos capítulos! E, boa sorte a Fire Tales, a guerra só começou. Força, pessoal !

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quando escrevi esse capítulo pela primeira vez há um bom tempo eu sentia que estava faltando algo, e só fui perceber isso depois que postei as outras duas partes: Esse Atômico precisava apanhar kkk Fiz questão de separar esse episódio inteiro para isso, e se dependesse de mim eu faria todo mundo dar pelo menos um soco no pâncreas dele. Se juntarmos as três partes do Capítulo 94 ele daria sem sombras de dúvida o maior de todos, mas acho que foi muito legal separá-lo, deu pra sentir e explorar esses pequenos detalhes como o momento em que o Chaud abraça a Eva ou a luta do Seth contra as criaturas tóxicas.

      Esse General voltou com tudo agora, ele é sem sombra de dúvidas um dos personagens mais importantes neste arco final. Ele é um dos pilares que sustentam a guilda né, sem ele tudo desaba. Gosto de fazer esses suspense básico sobre mortes, mas pode acreditar que o Atômico vai parecer uma criança perto do que os Remarkable Five podem fazer! :O Ahh, e muito obrigado pelos elogios. Essa frase do Seth veio ontem de madrugada de forma completamente inesperada, me baseei no hino nacional de nossa nação para trazer exatamente o significado que eu procurava! (:

      Espero continuar mantendo o nível elevado de cada episódio, agora continuarei minha rotina para escrever os próximos enquanto a Nyx manda ver nos desenhos! Posso afirmar que o Mangá ficará cada vez melhor, e a presença de vocês por aqui é o que continua nos inspirando. Beijos, muito obrigado! :D

      Delete
  2. CANAS TEU FELODAMÃE PQ NÃO AVISOU O HORÁRIO EU SIMPLESMENTE PULEI DO SOFÁ QUANDO PEGUEI O CELULAR E VI O AVISO DO POST, EU TAVA ACHANDO QUE IA SER DE NOITINHA DE NOVO!
    E BAD FEELINGS SOBRE ESSA IMAGEM QUE ABRIU O CAP, BAD FEELINGS Ç___Ç
    ENFIM ~respirando fundo cinco vezes para conseguir sair do modo caps lock~
    Mds gente a imagem da Jade junto do corpo da Tashiki mds nope nope nope ç________ç (e pq raios fui ver Ano Hana justo hoje os feels estão multiplicados infinitos agora ç_ç )
    No fim das contas, será que existia algum meio de combater aquele monstro indestrutível? > TEM QUE TER, ESSA COISA MERECE UMA SURRA MUITO GRANDE FLW
    Mds gente Aerus fraquejando eu já to me recolhendo no chão pq isso é demais se ele que é sempre animado fica assim ç___ç
    — E quem disse que você está sozinho? > EXATAMENTE! ESTAMOS TODOS COM A FIRE TALES! AGORA LEVANTA DAÍ, MEU LÍDER, E DÁ A SURRA QUE ESSA COISA MERECE!
    MDS O GENERAL DIZENDO QUE NÃO VAI DEIXAR NINGUÉM MORRER MESMO SENTINDO DOR TENDO SUAS ENERGIAS DRENADAS, MDS CARA TU É MEU HERÓI ;U;
    GRAÇAS AS DEUSAS, OBRIGADA TASHIKIIII, ESSE ANTÍDOTO É JUSTAMENTE O QUE O GENERAL PRECISA!
    (acho que aquela ideia de não fazer o review em caps foi pro ralo né mas enfim)
    Gente o General relembrando sobre as noites insones por causa desse monstro dos infernos ç.ç Eu quero tanto vê-lo recuperando suas forças e fazendo essa coisa pagar por cada pesadelo <3 <3 <3
    NÃO, NÃO DESCONFIEM DA TASHIKI, ELA NUNCA FARIA ALGO TÃO BAIXO FLW U----U
    SETH, TU TAMBÉM DEVE UMA SURRA A ESSA COISA, PQ TU DEVIA TER BANIDO ESSA EXISTÊNCIA FAZ TEMPO U-U
    — Mas, me diga, como é que você nunca se cansa de perder? > YOU BETTER TAKE A BURN HEAL
    NÃO, SETH, NÃO CAI NESSE JOGO SUJO, TU SABE QUE TODOS ESTÃO BEM, POR FAVOR Ç_Ç (e mds gente a pseudoneon doeu em mim confesso pq minha bbza eu consegui vê-la direitinho e ai <3 <3 <3
    — Está na hora de invertermos o tabuleiro. É a nossa vez de jogar. > GENTE MEU CORAÇÃO ELE DEU UM SALTO AQUI PQ SIM SIM SIM! *-------------------------*
    Dê ao povo a arma, os motivos certos, a inspiração, a coragem, e principalmente a esperança da vitória; e verás como ele não foge a luta > Pufavo gente imprimindo pq que frase mais épica mds <3 <3
    AIMDS CHAUD AGUENTA ESSE ATAQUE POR FAVOR Ç_Ç
    GENTE A DESINTEGRAÇÃO DO ATOMICO EU TO LENDO E RELENDO PQ MDS QUE COISA LINDAAAAAA <3 <3 TOMA DO PRÓPRIO VENENO, TEU NOJENTO \U-U/
    eu só não gostei nada de como o Chaud saiu dessa mds é só a primeira casa o escudo dele não pode ficar rachado assim ç.ç
    Vocês serão considerados destruidores e perturbadores da paz, além de terem de sofrer uma série de processos após terminarmos com tudo. Nada que não estejam acostumados, correto?
    — Corretíssimo > AHEAUHEUEHAUEHUAEHAUEHAUEHUAEHAUEAUE FT sendo FT xD (mas, pera, comassim poucos acreditarão??? antes de correr, a plateia não viu como não foram eles que saíram do controle???? )
    Oh, dears, não liguem pra essa plateia, vocês tem a nós, os fiéis leitores /o/
    — A morte não perdoa ninguém... > Ninguém mesmo ç.ç Tashikiiiiiiiiii ç_ç
    Btw, mó pena do Theo, vai ficar com uma péssima fama, mas como ele poderia saber o monstro que carregava na equipe? (e pior que os pokés de Veneno também vão ficar com má fama, que sacanagem, amo esse tipo)
    A JADE NO FINAL OLHANDO PRA LUA HAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHA meu pobre kokoro gente ç_____ç
    E, de fato, está apenas começando (mds só a primeira casa já me deixou assim to com muito muito medo do que virá nas próximas ç_ç )
    Ah, é, antes que eu esqueça: Nyx, seus desenhos <3 Divosos como sempre <3 Amorzinhos da vida <3

    ReplyDelete
    Replies
    1. Poxa, Anne! Ainda estou estudando qual é o melhor horário para se postar um capítulo, de manhãzinha como eu fazia nas outras temporadas, ou então assim que a noite cai para entrar no clima da batalha kk Vou ver como ficam os números, é que às vezes surpreendê-los é engraçado também kkkkkk

      Na próxima vez eu prometo avisar com antecedência, e vocês mal podem esperar pela Segunda Casa que está ainda melhor. Uma das coisas mais legais que esse novo template trouxe é o fato dessa imagem inicial ter que chamar atenção, afinal, ela é a primeira impressão que os leitores tem do capítulo! Vou ter que continuar mexendo com os feelings de vocês só mais um pouco, o que rolou nessa casa era só uma demonstração kk

      Foi uma experiência complicada ter de separar um único capítulo em três partes, mas é como eu falei para a Star-chan, isso me deu melhores oportunidades de trabalhar com muitos detalhes que mereciam importância. Fiz questão de dar o meu melhor na cena de destruição do Atômico kk Até mesmo eu estava morrendo de raiva dele, mas acho que todo autor tem pelo menos um pouquinho de compaixão por mais malvado que seja seu personagem, não é mesmo?

      A platéia é só um detalhe, acho que às vezes ela até atrapalha com toda a barulheira, o olho gordo pra cima dos outros, desejando que algo de ruim aconteça. O Luke agora poderá concentrar-se 100% na luta e sem deixar influenciar-se por mais nada, e no fim das contas, acho que cada leitor que continua aqui acompanhando é um vencedor, porque não é fácil continuar lendo um blog por tanto tempo. Vocês acreditaram que eu seria capaz de terminar essa fic, e por conta disso darei o meu melhor pra chegar lá em grande estilo! Tsuki, muito obrigado pelo comentário e pelos surtos que tanto me fazem rir kk Beijos, nos vemos logo mais! :D

      Delete
  3. CARACA, ESSE ATOMICO TAVA MERECENDO APANHAR!!!!
    Parabéns pra vocês dois, o mangá ta ficando SHOW demais!! *---* Manda logo o próximo oponente pra Fire Tales detonar geral. Fuuiz

    ReplyDelete
    Replies
    1. Estava merecendo mesmo cara, agora vou até sentir falta de fazer alguém apanhar tanto quanto ele kkkkkkk Mas o Atômico certamente pagou por suas maldades, e vamos ver se até o The Omascar no fim da Liga ele tem chances de ganhar como o melhor vilão da temporada! Pode deixar que continuaremos dando o nosso melhor, e a Segunda Casa será marcada por muitas emoções e carinho entre membros de família. Obrigado por comentar, meu caro. Continuem ligados!

      Delete
  4. Oiiiii estou adorando ver esses desenhos de Mangá, traz um ar completamente novo para a história! Sem contar que a qualidade está excelente, espero que continue assim!! Quando é que acha que vai ser o próximo? =^.^= Bjs Kallis~*

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, Kallis! As ilustrações do Mangá certamente eram a minha carta na manga para esse Arco final, foram longos meses de preparo, mas é sempre muito bom saber que os leitores estão aprovando, créditos à Nyx!

      Olha, ainda não tenho prazo para o lançamento da Segunda Casa, mas em termo de desenhos ela é relativamente menor, então conforme formos juntando ma quantidade bacana iremos liberando, mas pode ficar tranquila que eu estarei avisando vocês antes através do facebook ou aqui no blog mesmo. Continuaremos de olho nas sexta-feiras, o dia mais aguardado aqui de Sinnoh! kkkkkkkkk Muito obrigado pelo comentário, beijos! :D

      Delete
  5. Canas, adoro esses momentos que você seleciona pra nos lembrar de como seus personagens são FODAS! kkkkk Às vezes nos deixamos enganar pelo jeito cortês do General, mas quando ele se curou do veneno e se colocou de pé, eu até me arrepiei aqui, porque sabia que não ia sobrar nada do Atômico kkkk Eu já tinha visto aquela imagem do Shadow Punch e achado super foda, mas no meio do capítulo, vi com outros olhos.

    Mais uma vez nos despedimos do Atômico, e esperamos que dessa vez seja pra sempre kkkkk Ou será que ele nos dará o ar da graça mais uma vez e virá para explodir todo mundo, depois que o Luke estiver quase no topo? Cruzes, não, já tivémos veneno o suficiente por um tempo kkkkkk Agora só nos resta aguardar o que as próximas casas nos reservam. A segunda é Psychic, certo? Creio que contaremos com um reencontro de irmãos!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -