Posted by : CanasOminous Aug 22, 2014

Ilustrações do Mangá feitas por Nyx.

No labirinto de livros, uma criança estava perdida em meio àquelas palavras que não lhe transmitiam significado algum. Suas mãos gélidas foram em direção a um exemplar de capa dura que por algum motivo despertava atenção, mas ao abri-lo, nada via além de uma junção confusa de símbolos. Gostava mesmo era de ver as imagens, isso quando existiam. Feitas com nanquim reforçado em cada detalhe, ilustração por ilustração, e que ocasionalmente traziam cores para o deleite de seus olhos sempre admirados.
Assim que ouviu alguém entrar, a menina imediatamente guardou o livro na estante e correu para a vassoura. Não podia ser pega folheando nada, era proibido. Estava ali como uma serviçal, e sua função era servir.
Escondido atrás do corredor, um menino a observava.
— Eu vi o que você estava fazendo.
A garota virou-se depressa com o susto. Como poderia ter sido pega, e justo em seu primeiro dia? Aquilo jamais poderia ter acontecido, e muito menos pelo filho dos donos da casa. O rapaz era relativamente mais alto do que ela, deveria ser um pouco mais velho também. Os dois trocaram olhares discretos, mas nada lhe tirava uma pergunta da cabeça:
— Por que uma criança como você está trabalhando? — perguntou o jovem, desconfiado. Nunca a tinha visto antes. Teria lembrado daqueles olhos azuis que brilhavam como um lanterna quase apagada no corredor escuro da palavras sem sentido.
— E-Eu preciso... — a garota respondeu, assustada. — É para ajudar minha família. Eles precisam.
O rapaz continuava a observá-la, da cabeça aos pés. Via em sua frente uma menina loira com os cabelos na altura dos ombros, mas bagunçados de tal maneira que parecia que ela mesma havia pegado uma tesoura e tentando um corte sem sucesso. Vestia algo que deveria ter sido branco no passado, mas agora estava sujo e desgastado. Apesar da pobreza aparente, alguma aura encantadora a circundava, algo que não se via em qualquer pebleu daquele tempo.
— Ei, você gosta de doces? — perguntou o menino, levando a mão até o bolso e tirando dali uma porção de balas e alguns papéis rasgados.
A menina se afastou, enquanto o outro esticou mais a mão.
— Pode pegar, estou compartilhando com você.
Ela olhou para os lados, balançando a cabeça negativamente a todo instante.
— N-não quero... Não posso.
— Como assim? — ele sorriu. — Toda criança gosta de doces, você deveria pegar um. Vamos lá, sou eu que estou oferecendo, ninguém vai bater em você.
Com as mãozinhas hesitantes, a garota pegou uma única bala de papel azulado e logo a comeu. Fez uma expressão maravilhada, devia fazer muito tempo que não provava nada parecido.
— É muito bom mesmo — concordou.
— Eu adoro — o jovem logo emendou. — Qual o seu nome?
Mais uma vez a menina hesitou em responder, mas logo foi interrompida:
— Vamos lá, não quero força-la a dizer nada para mim. Eu quero ser seu amigo, já que está trabalhando aqui em casa vamos ter tempo para nos conhecermos melhor. Meu nome é Dornelles Vargas, mas meus amigos aqui da rua costumam me chamar de filho do Presidente. Um apelido um tanto quanto de alto nível, não acha?
— Eu sou a Glade... Muito prazer.
Dornelles apoiou-se sobre o encosto do sofá e sorriu.
— Você é sempre assim tão tímida? Acho isso muito gracioso em uma garota.
— N-não, é que... — ela estava ainda mais envergonhada com o elogio discreto.
Dornelles ouviu o som de passos vindo do salão de entrada. Provavelmente seus pais já tinham voltado.
Glade voltou-se para a vassoura, retomando suas tarefas no mesmo instante, enquanto o rapaz ainda olhava para trás dentre o feixe da porta, sorrindo com tamanho interesse que florescia em seu coração. Ele sussurrou bem baixinho, de modo que nem mesmo ela teria ouvido.
— Nós seremos grandes amigos, Glade. Amigos por toda uma vida.



A guerra tomava seu rumo ainda mais intenso do que nos primeiros minutos da batalha. Assim que General assumiu o campo, todos os demais soldados de seu lado afastaram-se, enquanto seus inimigos recuavam. Presidente repetiu o gesto, e foi a vez do exército do inimigo abaixar a fronte em sinal de respeito. Ninguém ousaria ataca-los, tão pouco ficar em seu caminho. Sabiam que não seriam páreos diante de tamanha força.
O duelo de diálogos feitos naquele encontro era o mais angustiante possível. Um carregava o amor, e o outro, o mesmo sentimento. Como era possível que duas pessoas lutassem pelo mesmo ideal sem que uma saísse realmente ferida?
 — Você apagou a única luz que guiava a minha vida — disse-lhe o Presidente.
— Seu amor é doentio e obsessivo. Isso ainda irá mata-lo, Vargas — respondeu General.
Presidente ergueu o seu indicador e apontou em direção do militar, de onde uma chama negra saiu e envolveu toda a arena. General desviou para a direita, vendo que no local onde estava formou-se um buraco negro que derreteu o concreto, o efeito do will-o-wisp que liberava almas do mundo dos mortos para agarrar os vivos e leva-los para as profundezas do submundo. Castelo viu que as sombras que saíam dali continuavam a segui-lo, como um animal selvagem em busca de sua presa, mas o militar era astuto, e devolvia cada uma daquelas almas de volta ao poço de escuridão de onde vieram.
— Trazendo os outros para lutarem em seu lugar, Presidente? Por que não resolvemos isso como homens de verdade, dos tempos antigos?
As almas começaram a contorcer-se, e foram aos poucos se desfazendo em cinzas. Seu oponente não havia gostado nem um pouco da intimidação de General.
— Não está nem um pouco preocupado com seus outros amigos? — indagou Vargas.
— Eles já são grandes o suficiente para se virarem sozinhos. Mas estou pensando em você, caro Presidente. Qual é a sensação de perder aqueles que ama?
— Isto é uma gozação para cima de mim? Nós dois sabemos muito bem o gosto amargo da morte. Muitas vezes é melhor morrer a ter de ficar e contemplar aqueles que nos abandonam.
General ajeitou seu uniforme, encarando-o com seriedade.
— Então por quais motivos não consegue superar uma perda que já passou, e hoje não faz mais nenhum sentido? Estamos nessa luta por nossos Mestres, eles são nossos verdadeiros líderes, mas você luta por si só, e isso o destruirá — sua voz era grave e carregava um tom intenso de seriedade. Esperava sinceramente que Glaciallis não o estivesse ouvindo. — Abandone a minha mulher, e seja livre para seguir a sua vida. Não precisamos nos destruir.
— Você até pode estar certo, não luto aqui para defender uma casa ou um título. E sim, a minha honra, meu eterno amor, minha paixão — contou-lhe Presidente. — Já amou tanto alguém a ponto de querer vê-la todos os dias? De trazer flores, de dizer coisas bonitas, de desejar viver uma vida toda ao lado dela?
— Inevitavelmente, a morte vem e abraça a todos nós.
— Sei disso melhor do que ninguém, caro General... — Vargas desviou seu olhar, observando os pilares altos e imponentes que lhe traziam lembranças. — Mas me foi dado uma chance, uma única chance... De tê-la mais uma vez. E você nunca sequer imaginará o que paguei em vida para tê-la. Dessa vez não será a morte que vai me impedir.
Presidente esticou o indicador novamente para repetir um disparo, uma técnica muito semelhante àquela utilizada por Mikau. O militar estremeceu só de imaginar como seria ter de enfrentar um homem com o mesmo nível de força do atirador da Fire Tales. General podia não ter tantas feitiçarias ao seu dispor, mas carregou seu braço como se fosse um canhão e sombras se aglomeraram em volta de seu punho, drenando toda a energia negra ao seu redor.
Shadow Punch!



Pôde-se ouvir uma explosão na arena central da batalha. Beliel desviou o olhar, pois ouvira o som que fora alto o bastante para fazer toda a base do palácio estremecer. Ao seu lado estava Manstein, um dos capitães de seu time que auxiliava no combate contra uma entidade maligna que assumia forma logo em sua frente... E esta forma era Lyndis, e Beliel podia enxerga-la.
A garota investiu com suas pernas ardendo em chamas, golpeando o chão de tal maneira que todo o concreto rachasse. Beliel desviou-se e não revidou, mas Manstein disparou tiros com sua arma que nada acertavam além de um vento vazio, incinerado pelo calor. A garota ruiva continuava em sua frente apoiando-se em apenas uma das pernas e com a outra erguida, os olhos tão vermelhos quanto fogo.
— Você a conhece? — indagou Manstein.
— Sim, e não. Conheço a voz dela, o toque, e o calor de quando estou ao seu lado. Mas vê-la assim, é a primeira vez. Mesmo sendo uma ilusão... Eu jamais tinha visto uma tão bem feita. Um cego não poderia estar mais feliz.
— Ilusão ou não, ela pode e vai mata-lo se continuar enfeitiçado pelas correntes da paixão. Nosso inimigo certamente possui um banco de dados amplo o bastante para usar tudo que amamos contra nós, não deixe sua guarda baixa.
— Ei, — gritou o fantasma, com uma voz assustadora que certamente não era de Lyndis. — Vocês conversam demais, vão me enfrentar ou não?
Beliel revelou um sorrisinho discreto, e gostou de imaginar que a própria Lyndis teria dito uma fala daquelas.
Uma bola de fogo ardeu nas mãos do Houndoom, e ele lançou um disparo certeiro contra Lyndis que por mais que fosse uma guerreira do tipo fogo, ainda foi muito afetada. Ela não era completamente imune às queimaduras, e por baixo daquela imagem onírica ainda havia um Spiritomb que resistia a qualquer investida.
— Senhor voz abafada, poderia fazer-me um favor? — indagou Beliel, e antes que recebesse um “sim” ou “não”, já tinha feito se adiantado em perguntar. — Vá dar uma olhada em minha amiga, ela é uma guerreira cibernética de peitos avantajados. Garanto que irá reconhecê-la no mesmo instante.
— Fui enviado até aqui pelo próprio General, e somente ele me dá ordens. Eu irei ajuda-lo — respondeu Manstein.
— Até o momento você só atrapalhou a minha dança. Não vê que estou ocupado? Essa dama já está acompanhada.
— O que diabos passa pela sua cabeça? — argumentou Manstein com a voz enrijecida. — Seja lá quem for esta menina, não é a mesma que você conhece! Será que todos os anos na escuridão afetam a mente de um cego?
A cauda do Houndoom apontou em direção do pescoço de Manstein como uma lança.
— Não ouse falar nada dela. Eu tinha minhas suspeitas sobre a beleza dessa moça, mas agora tirei à prova. Eu já lhe disse que essa é a batalha mais esplêndida que já tive em toda a minha vida?
— Guerreiros estão sendo mortos ao nosso redor, e você ainda tem tempo para brincar?
Beliel revirou a cabeça, inconformado.
— Meu bom amigo... Pensei que já tivesse percebido que estamos no inferno, e já que estamos aqui, por que não aproveitar um pouco mais?

Enquanto Beliel se preocupava em enviar reforços para Wiki, a mulher parecia estar se saindo muito bem sua batalha. Rommel era o segundo dos capitães enviados por General, e com sua intensa paixão pelo sexo feminino era capaz de fazer tudo pelo bem de suas damas.
— Mahh, huh! Mas que belas pernas você tem, minha donzela!! — disse o estranho esqueleto com bigode.
— Quem você pensa que é para cantar o time adversário, sua criatura abominável das profundezas?! — indagou a Mismagius, instigada a sair vitoriosa.
Seu foco não era derrotar aquele simples soldado inconveniente, e sim, a formosa mulher do time adversário.
— Eu vou desfazê-la em mil pedacinhos com minha magia das trevas! Shadow Ball! — gritou a Mismagius, vendo que Wiki nem precisou se mover conforme a esfera ilusória atravessava seu corpo.
Wiki fez uma pose provocativa.
— Sério mesmo que uma integrante da Elite cometeu um erro tão insignificante quanto a vantagens e desvantagens? Tsc, tsc... Que coisa feia — caçoou Wiki. — Mas que atire a primeira pedra quem nunca cometeu um errinho desses em um ginásio Ghost-type!
A Mismagius ficou ainda mais frustrada com a falha que ela própria cometera.
— F-foi só um descuido, afinal de contas, quem é que traz um Pokémon normal-type para uma casa do tipo fantasma?!
— Sei lá, só estou cumprindo com a tarefa que me designaram... — respondeu Wiki, indiferente a situação da batalha. — E no fim das contas, não posso fazer nada contra você também. Meus golpes não surtiriam efeitos.
— É. Faz sentido — respondeu a bruxa.
— O que fazemos agora? — indagou a Porygon-Z. — Saímos no tapa arrancando a roupa uma da outra?
Rommel ergueu seus dedos esqueléticos, indicando que apoiava a iniciativa.
— Eu adoraria ver isso de todo o meu coração, se eu ainda tivesse um! Mahh, huh, huh...
A Mismagius revirou os olhos.
— Posso não ter poderes mágicos para acabar com essa mulher, mas posso muito bem dar um jeito em você, seu esqueletozinho de merda.
Rommel sacou uma espada e desviou a esfera de energia criada por aquela bruxa com uma habilidade impressionante. Na outra mão sacou uma pistola já carregada, apenas aguardando o sinal.
— Meu senhor General enviou-me para esta batalha, de modo que a justiça seja feita. Todos nós lutamos pelo amor, seja por um amor perdido, por um que nunca existiu, ou aquele que só acontecerá em nossa imaginação mais distante. Posso não ser o mais poderoso daqui, mas eu, Erwin Rommel, sou o general da paixão neste exato instante!
Cansada de toda aquela conversação, a Mismagius desapareceu em uma fração de segundos, surgindo logo atrás de onde o guerreiro esquelético estava. Ela conjurou suas magias, explodindo o braço de Rommel que segurava a espada, mas ele continuava de pé.
— Um braço não me fará falta.
— Verdade? — caçoou a bruxa. — E quanto à suas pernas?
A bruxa mais uma vez utilizou uma magia que atingiu em cheio o esqueleto militar, derrubando-o no chão, mas ainda com força o suficiente para se rastejar. Wiki mudou o elemento de sua arma, disparando um Ice Beam diretamente contra a Mismagius que foi atingida diretamente nas costas.
— Deixa ele em paz, sua megera! Não se encontra mais cavalheiros como ele hoje em dia!
— Oh, então desenvolveu uma certa feição por alguém que nunca viu?
— Pois é, tenho esse problema de me apaixonar em questão de minutos — respondeu Wiki, carregando mais um tiro de sua arma. — Posso não poder utilizar meus ataques mais poderosos contra você, mas tenho alguns truques guardados na manga. Thunderbolt!
A onda elétrica foi criada, mas a Mismagius revidou exatamente com o mesmo ataque, criando um curto circuito que mandou as duas para longe. Ao levantar-se, Wiki viu que sua oponente estava logo em frente ao corpo de Rommel no chão, sem pernas e sem um braço, de modo que ele mal pudesse erguer-se. Mas ainda assim, não demonstrava medo algum quanto ao que lhe aguardava.
— Essa batalha poderia ir muito longe, querida, mas está na hora de terminarmos. Você teme pela vida de seu amiguinho?
A Mismagius ergueu o salto e colocou-o no crânio de Rommel com tanto força a ponto de trincar. O esqueleto rangia os dentes, trêmulo, mas sua voz tentava passar toda a tranquilidade que pudesse.
— Não se preocupe comigo, minha adorável donzela! Faça o que precisar ser feito.
— M-mas você é o esqueleto hentai mais divertido que eu já conheci, eu queria leva-lo para minha casa! — Wiki gritou. Não podia acreditar que aquele corajoso cavalheiro que acabara de conhecer poderia ter um final daquela maneira.
— Eu adoraria fazer uma visita, algum dia, quem sabe? Você poderia me mostrar sua calcinha! Muhh, hah, hah, hah-
Foi muito de repente que o salto alto da Mismagius atravessou o crânio de Rommel, ecoando um barulho terrível de tortura e fazendo-o parar de rir no mesmo instante. Wiki soltou um grito baixo, enquanto sua oponente já estava cansada de toda aquela conversa fútil.
— Essa criatura nojenta já estava me irritando.
— R-Rommel... — Wiki tentou ajoelhar-se na frente do corpo destruído, mas recebeu um chute no rosto da mulher que agora ria histericamente por sua vitória.
— Depois dessa, certamente receberei uma promoção e vou me certificar de nunca chegar ao nível de alguém como você! — Mas na segunda vez em que ia repetir o chute, Wiki segurou a bota da mulher, e com o olhar ainda baixo, seus olhos de vidro se acenderam como um holofote ilumina quilômetros de distância.
— Com tantos homens que não prestam por aí, vocês vadias sempre descontam naqueles que são os melhores.
— E de que iria adiantar? Ele já estava morto mesmo — caçoou a Mismagius.
— É verdade — respondeu Wiki, séria. — Não faz sentido apaixonar-se por um fantasma. Então deixe-me eliminar você também.
Com um soco intenso, Wiki tentou acertar a bruxa embora nada pudesse afligi-la. Mas mesmo errando, um som de números programados pôde ser ouvido. Ela finalmente conseguira completar a atualização de sua arma, e com isso, mudar o elemento de disparo. Sem que sua adversária sequer pudesse notar seus movimentos, Wiki prensou a mira da arma na testa dela e não hesitou em disparar.
Engole essa!
A explosão causada enviou tudo para os ares, fazendo com que Wiki caísse perto de um pilar. Já muito exausta, mas com a vitória em mãos.
Revirou os olhos cansados, e pôde ver o crânio de Rommel partido ao meio ao seu lado. Era uma mulher forte e não costumava chorar, mas sentiu um certo aperto no coração. Gostaria de poder tê-lo conhecido melhor, talvez em outro tempo ou outra reencarnação em uma oportunidade melhor. Ela segurou o crânio do esqueleto contra seu peito e o abraçou.
— Oh, Rommel...
Para sua surpresa, o esqueleto tossiu. A mandíbula quebrada de Rommel movimentava-se com dificuldade, mas ele ainda parecia estar consciente.
— Essa poeira está fazendo mal para meus pulmões...
— Se você ainda tivesse um, não é? — respondeu Wiki, dando uma risada adorável enquanto o abraçava com ainda mais força. — Que bom que você está bem!
— Ah, foi só para poder ter a chance de olhar mais perto este seu belo par de... olhos. Tão redondos e carentes! Você é solteira, não é...?
— Como sabe disso?
— Apenas intuição de um velho experiente... — Rommel riu, mas com a voz muito abalada por ter tido seu crânio quebrado na metade. Fez-se um curto intervalo em silêncio antes que ele continuasse. — Espero um dia reencontrá-la, minha deusa da tecnologia futura. Você faria um velho esqueleto muitíssimo feliz.
— Se algum dia isto vier a acontecer, eu irei lhe preparar uma surpresa especial, ok?
Wiki ainda o abraçava contra seu peito, quase como se desejasse que os dois se tornassem um. Rommel riu uma última vez com seus dentes podres e que nunca se alteravam. Sua voz foi desaparecendo, conforme ele sussurrou de maneira galanteadora:
— Se eu ainda fosse vivo, eu teria morrido de felicidade...!
E quando Wiki se deu conta, a caveira já tinha se desfeito em pó, deixando a mulher com os braços ao relento e nada além de sua solidão.

• • •
                      
A batalha contra o Spiritomb era infrutífera e sem sentido. As chamas de Beliel causavam um dano mínimo, e os tiros de Manstein nada acertavam além vultos no vazio.
— Ele nunca vai ceder — disse Manstein, atento ao movimento ao seu redor. — Temos de descobrir uma fraqueza, uma forma de anular este campo ilusório que nos atormenta.
— É o Trick Room — respondeu Beliel. — Não me surpreende que esse monstro esteja em seu próprio território. Movendo-se na escuridão, mais veloz do que uma sombra desaparece com os primeiros feixes de luz.
O militar emendou um comentário,
— Você tem de extinguir essa noite perpétua com o seu fogo, é a única maneira de nós o derrotarmos.
— Mas por que? Estou gostando tanto dessa batalha. — Beliel riu, mas viu que o Spiritomb repetiria seu golpe, usando a imagem de Lyndis em sua mente para desnorteá-lo. O Houndoom defendeu-se, mas dessa vez percebeu que o tiro não fora contra ele. Manstein estava ao seu lado, estático, como se algum espírito maligno tivesse entrado em sua mente.
— Gaaaaaah.... Minha cabeça, todas essas lembranças, ele está aqui dentro...! — gritou o capitão.
Ele ajoelhou-se no chão, como se tivessem usado uma chave de fenda e prensado seu cérebro aos pouquinhos. Seu grito foi tão alto que até mesmo Beliel assustou-se, até que tudo parou.
Manstein levantou-se inalterado e olhou em direção de seu companheiro. Bateu continência e apontou a própria arma contra sua cabeça.
— Desculpe-me, eu fiz o que pude — e atirou, desfazendo-se em poeira deixando apenas uma máscara de gás para trás.
Beliel ouviu um disparo, mas já era tarde demais. Não sabia de onde viera, tinha certeza de que seu inimigo não se movera, mas ao olhar para o lado podia sentir que já não existia ninguém e que Manstein estava morto. Tudo fora rápido demais para que fizesse algum sentido.
— O q-que houve? Como foi que isso aconteceu?
Em sua frente ainda estava Lyndis, aquela ilusão conturbada que fazia todos os seus sentidos falharem. A ruiva riu maldosamente ao falar:
— É simples. Percebi que os medos não funcionam com você, e que seu companheiro era a presa mais fraca. É a lei da selva, meu amigo. Os mais fortes sobrevivem. Todos vão morrer inevitavelmente de qualquer maneira.
Beliel olhou para ela com seus olhos esbranquiçados. Aquele simples gesto a intimidou por completo. O Houndoom balançou a cabeça negativamente, descontente com a falha e, mesmo não demonstrando, um pouco triste pelo ocorrido.
— Ele era um bom homem — assumiu. — Não foi tão bom jogador, e por isso terminou eliminado do tabuleiro. Digamos que eu tenha sido um jogador ainda pior por não ter acabado a partida quando tive a chance, e isso custou uma peça — disse o Houndoom. — Ah, e quem se importa? Não estamos jogando xadrez. E vidas são vidas. A brincadeira acabou.
O corpo de Beliel começou a esquentar como se toda as chamas do inferno fossem para dentro de si. Lyndis arqueou uma das sobrancelhas e preparou um Blaze Kick, mas ao golpeá-lo seu ataque nada fez além de aumentar ainda mais a intensidade do golpe que viria a seguir.
Flash Fire — sussurrou Beliel, que já reunira energia o suficiente para seu golpe final. — Agora não adianta mais você se esconder, pois nem mesmo o escuro vai te proteger. Overheat.
O calor emanado foi tão grande que os efeitos criados pelo Spiritomb deixaram de exercer controle. A escuridão se dissipou, a imagem de Lyndis desapareceu e tudo que restou foi um corpo distorcido que queimava, ele mesmo temia o que a luz revelava. O monstro contorceu-se em agonia até o fim, onde deixou para trás apenas uma pedra amaldiçoada e carbonizada, a Odd Keystone.
Beliel chutou-a para longe, olhando para a arena central onde a luta principal ainda era travada.
— Agora é com você, General. Não vá sacrificar a nossa peça principal.

• • •

Naquela manhã fria de inverno, Glade limpava os livros do casarão da família Vargas, e sempre que encontrava uma brecha, decidia folhear aqueles que achava que tinha uma capa interessante.
Agora não precisava mais de uma escada para alcançar as estantes mais altas. Já estava tão habituada com aquele corredor que depois de tantos anos tornara-se parte de sua casa. Costumava ser silenciosa em seus serviços, embora não mais do que os passos discretos que foram se aproximando por trás e chegaram exatamente no momento em que duas mãos mornas tocaram em sua cintura, fazendo com que ela imediatamente fechasse o livro com o susto.
— Folheando obras famosas novamente, senhorita Glade?
— Eu estava apenas me certificando de que as páginas não estivessem manchadas, senhor — respondeu a mulher de maneira séria, guardando os livros de volta à estante.
Dornelles a observara desde então. Mantinha os olhos sempre atentos naquela empregada de cabelos louros e olhos claros. Nada que nunca tivesse visto nas princesas e duquesas que viviam a rodeá-lo, mas naquele olhar cansado via uma história que nunca antes ouvira ninguém contar.
Glade continuava seus serviços quando Dornelles segurou uma de suas mãos com gentileza e falou:
— Você não deveria trabalhar tanto — disse o rapaz.
— Eu faço o que precisa ser feito, meu senhor. Não se preocupe quanto a isso.
Ele devolveu um olhar galanteador capaz de seduzir qualquer princesa naquele tempo.
— Você tem trabalhado demais, Glade, não acha? Poderíamos descansar um pouco e desfrutar de um bom livro, se estiver interessada.
— Seus pais não gostariam nada de me encontrar desatarefada em horário de serviço...
— Eu não diria isso, você está me acompanhando em meus horários de estudo, e desfrutando de um belo doce que eu lhe trouxe — disse ao revelar um prato de porcelana com um pedaço de pudim que pegara da festa da noite passada.
Os olhos de Glade brilharam, e seu estômago não deixava mentir. Estava faminta. Não tivera tempo para almoçar com tantos cômodos a serem limpados na casa naquela manhã, uma vez que a outra empregada havia faltado. Vargas estendeu o prato em sua direção e sentou-se longe, como se esperasse só para vê-la desfrutar-se do doce. E ele gostava do que via.
— Não se preocupe, não irei engordá-la com doces o suficiente para comê-la mais tarde. Não sou nenhuma espécie de bruxa dos contos de fada, e embora eu tenha muito interesse na área, estou longe de consumir menininhas como prato principal — o rapaz riu com gosto, mas Glade ficou a fita-lo como se não entendesse nenhuma de suas referências.
Com a boca ainda cheia, ela perguntou:
— O que quer dizer com isso?
— Vai me dizer que não conhece a história de João e Maria?
Glade balançou com a cabeça e insinuou que “não”. Vargas estranhou.
— Afinal de contas, o que você lê todos os dias que a pego folheando um livro diferente?
— Eu não sei ler — respondeu Glade, encabulada. — Gosto de ver as imagens, vejo ilustrações com mulheres que usam coroas acompanhadas de um homem muito bondoso e justo. E eles se olham... — ela sussurrou, — como se estivessem apaixonados.
— Príncipes e princesas. — O jovem ajeitou-se em sua poltrona, abrindo uma bala que estava em seu bolso. — Você iria adorar saber mais sobre essas histórias. Dar-me-ia as honras de ensiná-la a ler?
Glade abriu seus olhos e suas bochechas coraram.
— Eu não tenho direito de saber o que está escrito.
— Pois para mim, você tem — respondeu Dornelles. — Não me importo se em casa tratam os plebeus de maneira diferente, você é minha amiga de bastante tempo, vou falar para minha mãe e meu pai permitir que você frequente minhas aulas particulares. E considere isso um convite formal, eu quero que você aceite de todas as maneiras.
Terminado seu pudim, Glade limpou a boca com a barra de sua saia, olhando para todos aqueles livros que até então não significavam mais do que montes de poeiras e trabalho. Mal sabia ela que em pouco tempo aquele lugar se tornaria o santuário mais sagrado em sua vida.

• • •

Glaciallis não podia mais aguentar aquela batalha. Não estava sequer batalhando nela, mas então por quais motivos sentia como se fosse o motivo dela? Um pequeno troféu que aguardava o vencedor no final da disputa, independente de quem fosse.
O que estava esquecendo? O que não conseguia lembrar-se? Eram tantas memórias vagas em sua mente que Aerus chegou a assustar-se quando viu a maneira que sua amiga se comportava ao seu lado.
— Glaciallis, você está bem?
— Não, Aerus, eu não estou! — ela respondeu com um grito, os olhos repletos de dúvidas e a ansiedade do momento. — O que devo fazer? Como posso lembrar de algo que parece nunca ter existido? Você já conversou com alguém que diz amá-lo tão intensamente a ponto de lhe dar a própria vida?
Aerus recuou. Naquele instante, aquela era a batalha particular que Glaciallis teria de travar com suas próprias lembranças.
Com o rosto vermelho e exausto, a Froslass deu os primeiros passos em direção da arena de batalha, mas o Garchomp a impediu de ultrapassar os limites seguros. Ela se mantivera forte até agora, havia segurado todas as lágrimas. Ele sabia que Glaciallis não poderia entrar na luta, ou General ficaria muito limitado sempre procurando proteger sua amada antes de qualquer outro.
Ele a segurava pelo braço sem fazer força alguma.
— Por favor, Aerus, solte-me... Eu não aguento mais, eu preciso entrar nessa luta...
Mas o rapaz ainda a segurava. Ela tentava ir, e ao mesmo tempo não queria. Sabia o que a aguardaria se tentasse, mas também sabia que General estava comprometido desde a luta contra Atômico na Primeira Casa pelas feridas e o veneno que recebera. Não iria resistir por muito tempo.
Então, Glacillis correu e entrou nos limites da arena. Aerus ameaçou segui-la, mas se entrasse estaria dizendo que assumia seu posto como um combatente, e poderia sofrer injúrias antes da hora.
Vendo que uma mulher se aproximava do outro lado, Presidente ficou sério e aflito.
Castelo!! — gritou ela.
— Minha dama... — General recuperava o fôlego. — É melhor você não ver isso, pois eu irei destruí-lo. E continuarei a protegê-la.
— Já está dizendo bobagens? Nossa luta ainda não acabou — Presidente afirmou de forma cínica. General levantou-se de onde estava, meio atordoado e cansado, mas sem nunca dar as costas ao seu oponente. — Esta mulher precisa de alguém para defendê-la, mas não você.
— Não diga bobagens, ela nunca precisou.
Presidente soltou um suspiro, revirando os olhos enquanto encarava aquela triste cena. Enquanto não desse uma lição e provasse para sua mulher o quanto a amava, ela nunca iria entender.
— Agora que a plateia chegou, creio que possamos entrar no desfecho de nosso espetáculo. Está preparado para ouvir o som dos aplausos? É uma pena que não sejam para você.
























      

{ 18 comments... read them below or Comment }

  1. Generaaaalllll nuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!! CANAS PROMETA MAX REVIVES NO FINAL DE TUDO ;-;

    by:Koala

    ReplyDelete
    Replies
    1. Já estou no Underground Path faz alguns meses tentando escavar Max Revives para todos eles kkkkkkkkkkkk Mas pode deixar Koala, o difícil vai ser aguentar a dor da batalha, mas sei que meus leitores são fortes e vão conseguir. Depois que tudo terminar, garanto um final feliz para todos eles! \õ (E se não for um final feliz, pelo menos vai ser um final ÉPICO kk) Abraços!

      Delete
  2. Esse cáp foi emocionante!!!Gostei muito das batalhas!!Mas...ver o General caido me deixou tipo assim:Como que o presidente derrubou o General,um dos mais poderosos membros da Fire Tales????

    E Canas,o Rommel foi baseado no Brook(One Piece)?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, Omega! Obrigado pelo elogio cara, acho que a Parte 2 sempre é uma das mais emocionantes de cada casa, porque é onde atingimos o clímax da história kk

      Dessa vez tentei elaborar bastante as batalhas, principalmente porque elas podiam acontecer todas ao mesmo tempo, diferente de outros capítulos onde funcionou como um torneio dos games, 1x1. Quando encontro a oportunidade de mudar o sentido da batalha tenho um repertório bem mais amplo para trabalhar com os personagens. Também curti bastante o resultado!

      Sim, sim, o Rommel é baseado no Brook, desde um pouco da parte pervertida sobre ver calcinhas até os comentários toscos do tipo: Ah, mas eu não tenho coração kkkkkkkkkkkkkkk O nome dele foi tirado de um marechal da segunda guerra mundial, Erwin Rommel. Apesar de ter uma função bem secundária nessa casa, acredito que esses dois esqueletos/zumbi fizeram uma excelente participação junto com os demais personagens, não acha?

      Dando continuidade... O General é forte, muito forte, talvez um dos mais poderosos da guilda, mas temos de levar vários fatores em conta. Ele já estava muito machucado desde a luta contra o Atômico na Primeira Casa, é exatamente como nos jogos, digamos que eles não puderam recuperar o HP nesse meio tempo. Outro ponto é que ele é um líder, o General trabalha bem ao lado de outros soldados, sabe como liderá-los e mostrar o caminho para a vitória. Ele pode até funcionar sozinho, mas não com tanta eficiência. Uma brincadeira que faço com os leitores é pedir para eles voltarem e verem o histórico do General com batalhas na fic. Acredita que ele nunca ganhou nenhuma? kkkkkk Ele perdia todas as batalhas que entrava, porém, o General preparava o cenário para que o segundo cara que viesse pudesse terminar o trabalho. Contra o Atômico nas duas vezes foi assim, ele precisou de ajuda do Chaud e dos demais para finalizar, mas sua presença foi extremamente necessária. Sozinho, ele não teria ganhado. Digamos que na parte estratégica General é o típico entry-hazard, ele arruma todo o cenário, para que no fim das contas de uma maneira ou de outra seu time saia vencedor! :D

      Valeu pelo comentário cara, abração!

      Delete
  3. NÃO VOU CHORAR,NAO...VOU...CHORAR!!

    Ta, e aqui estamos, essa casa maravilhosa que já me fez repensar sobre a morte e o amor uma milhão de vezes.

    Meu ESQUELETO HENTAI, faz isso não. Prevejo homens sentindo inveja dele, ta morto e recebe uma peitada dessas xD

    Só eu esperei a Mismagius e a Wiki brigarem até tirarem a roupa ( efeito semana R16 :v )

    Beliel, consegue ser foda, nada de anormal :33 Nada a declarar.Mas...

    GENERAL!! Poxa, poxa, como um sentimento tao lindo gera uma guerra dessas ?
    Nhaaw, Glaciallis invadindo a porra toda, como eu esperei isso <3
    Mas, sobre essas memórias, como eu amo a infância típica do século XVII ou XVIII, as crianças sao tao fofas e inocentes.
    Pudim! <3 E esses doces, depois tem diabete e reclama :v

    NÃO, NAO, O GENERAL NAO! Desisto! Brincadeira :v Poxa, General, aí eu choro. Ç.Ç Nao vou surtar, nao surtarei :33

    Bem que você me disse que esse capítulo seria meio shoujo.Padrão de qualidade continua a mesma. E foi um capítulo incrível :33 De fato, deu gostinho de quero mais, mesmo tendo um final...trágico.
    Parabéns pelo incrível capítulo.E que venha a vitória! Honraremos nosso General o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, Star! \õ Eu também estava torcendo para que a Wiki e a Mismagius saíssem no tapa, mas não foi dessa vez, precisei tentar preservar a seriedade dessa casa kkk Oportunidades é que não vão faltar, é como cheguei a comentar com você, ela sempre rouba a cena por onde quer que passe kk Não foi aquele tipo de batalha só para encher linguiça, acho que cheguei a comentar disso com o Omega aí em cima, deu um trabalhão desenvolver todas as lutas em conjunto, mas o fluxo delas foi ótimo. E foi um treino excelente para mim, principalmente pelo fato da Quarta Casa ser 6x6, ou seja, É TRETA PRA TODO CANTO KK

      Imagino que alguns leitores estejam se perguntando: E agora, como vai ser sem o General? Esse capítulo é decisivo para a Liga, o General era o pilar central, e como vamos ficar sem ele? O Presidente é um adversário inteligente, mas o que o torna ainda mais forte é o fato dele lutar por amor, isso o tornou praticamente invencível... Será que agora o resultado da enquete muda um pouco? kk

      Bem, e pode ficar de olho que a sensação Shoujo vai continuar, ainda falta bastante romance, drama e tristeza na batalha entre o Presidente e a Glaciallis. É agora que veremos o suposto "felizes para sempre" que ele acreditava kk Beijos senhorita Estrela, see ya!

      Delete
    2. NOTAS DO LEITOR
      -Everything comes with a price.
      Rumplestilskin gold , , once upon a time , chapter 5,The price of the gold,

      (ALARM!) (ALARM!) TRETA IS COMING... TU...TU MATOU O GENERAL, SEU MALDITO! JÁ BASTASSE A SOPHIE E O SONNEN MORRENDO JUNTOS, VC TINHA QUE MATAR A PORRA TODA!
      *Treta revolts mode off
      acho q ngm sacou, mas ...what time is it ? OP GLADE TIME!
      É ISSO AÍ , PRESSINTO TRETA (e treta inclui a glade estapeando o presidente)
      whatever, what time is it ? FUNNY MOMENTS TIME WIMEY STUFF !
      (whovians(fans de doctor who) entenderão)

      *— Com tantos homens que não prestam por aí, vocês vadias sempre descontam naqueles que são os melhores.*facepalm*
      *— E de que iria adiantar? Ele já estava morto mesmo — caçoou a Mismagius.

      — É verdade — respondeu Wiki, séria. — Não faz sentido apaixonar-se por um fantasma. Então deixe-me eliminar você também.* wiki used doubleslap...it hited 5 times!
      * Se eu ainda fosse vivo, eu teria morrido de felicidade...! *insira aqui uma carinha yandere que acaba de descobrir como destruir seus inimigos*
      *— N-não quero... Não posso.

      — Como assim? — ele sorriu. — Toda criança gosta de doces, você deveria pegar um. Vamos lá, sou eu que estou oferecendo, ninguém vai bater em você.*momento em que vc percebe quão preconceituosa é a sociedade q eles viviam* CM ASSIM ? CM ASSIM VC NUNCA COMEU UM DOCE ????!!!! deixe me mostrar um mundo magico...
      *Eu não tenho direito de saber o que está escrito.* É UMA RARIDADE ! ENCONTREI ALGUEM COM MENOS AUTO ESTIMA DO QUE EU ! CM ASSIM VC NUNCA LEU UM LIVRO ? me deixe mostrar um mundo AINDA MAIS magico...
      what timey wimey is it ? GOODBYE TIME !
      By : Lemon 4 ever ( Lucarioiz)

      Delete
    3. Diga ae, Lucarioiz! Obrigado por compartilhar um pouco de seus pensamentos confusos kk Muita treta ainda está por vir, pior que dá a impressão de que essa Terceira Casa já terminou, mas precisamos ver a Glaciallis e o Presidente saírem no tapa antes dela terminar kk Acho que ele não teria coragem de encostar um dedo nela.

      Enfim, valeu pela presença cara, no próximo capítulo ainda teremos um pouco mais das memórias e do passado da Glade junto do Presidente, então vamos nos preparando desde já para ficar com um gosto amargo de tristeza na boca, rs. Abraços ae (:

      Delete
  4. PUDIM! SUAHAHAHHAHAHAHAAHAH
    PUUUUDIMM!!!
    THE BEST! 4EVER!
    Cade os max revives? KARL CADE AS SUAS ERVAS?
    Ok agora irei fazer um atentado terrorista. 8D
    PQQQQQ??????? PQ MATOU MEU PERSONAGEM FAVORITO?
    (masulino, Titania, cof cof)
    O pior é que mais um monte vai morrer ;-;
    Vou cryiar '-'
    Um final épico e feliz! sim precisa T_T
    Estou bolada '-' #partiucryiar
    Cryiar :v
    Por favor, acabe com eles FT! Ò.ó Shauhaahhaahahahh!
    Quando sai o proximo? tem uma data prevista? :v
    Cyao!
    WV

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, WV! É incrível como uma única palavra consegue roubar tanta atenção em um capítulo com mais de 5.000 palavras kkk É algo do tipo: Blá, blá, blá, blá, PUDIM, blá, blá, blá HUEHUEUHAE Quando tento ler o trecho do Presidente a única coisa que penso é Pudim também kk

      Vamos fazer uma pequena comparação... Você adorava o senhor Adam Malkovich (Lindão! *-* kkk #emorreu), e agora, nada mais justo do que o General ter um final tão digno quanto ele, não é?? :D kkkkkkkkkkkk Okay, é só brincadeira, nos dois casos temos todo o direito de ficar tremendamente indignados, mas Adam/General sempre permanecerão vivos na mente daquelas que os amaram,Samus/Glaciallis kk

      Já que Metroid nunca tem um final feliz, pode deixar que dessa vez vou realizar todos os desejos like a Shooting Star, então esses dois ainda terão um momento digno deles, pós Max Revive kk Eu a Nyx estamos tentando manter um prazo de cerca de 3 semanas para cada capítulo, então vamos continuar nos empenhando para dar tempo! Valeu pelo comment senhorita WV, nos vemos por aí.

      Any objections, Lady?

      Delete
  5. sophie,...... sonnen ..............general e o que vem depois mikau?aerus?
    voçê não tem coração

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ahh, geralmente escritores desenvolvem uma espécie de manto de pedra em volta do coração, eu acho kkkkkkkkkkkk Pelo menos quando é com personagens deles, talvez a proximidade e a intimidade com tudo que criamos nos faz sentir-se assim, rs.

      E não se preocupe meu caro, ainda tenho 12 Pokémon do Luke e 12 do Lukas para usar kkkk O lugarzinho do Aerus tá reservado lá no final, mas até lá vou tentar me conter heheh... See ya :D

      Delete
  6. "A Nossa Promessa" permita-me dizer que desde o título já to sobbing e isso não é legal
    Enfim
    Bibliotecas <33 E, se bem deduzo, essa deve ser a Glaciallis........... NÃO VAI ME DIZER QUE FOI O PRESIDENTE QUEM A ENSINOU A LER, VSF
    Serviçal?? Mds, colocam uma criança pra trabalhar, qorror ç_ç
    Oh. Ela foi trabalhar pra ajudar a família. Sempre tão bbza ç-ç
    E ele desde sempre viciado em doces aehauheuhauehaeuahe (esse é dos meus /qqqq)
    Não perde tempo o cara, ein :v (só vai piorar a timidez dela, sossega aí Vargas /q)
    Os dois líderes dos exércitos entrando em batalha SHIT HAS BECOME SERIOUS
    Um carregava o amor, e o outro, o mesmo sentimento > Nope, um carrega o amor e o outro a obsessão. É diferente (e um tanto mais perigoso >.> )
    — Seu amor é doentio e obsessivo > Obrigada por tirar as palavras da minha boca, General ^~^
    o efeito do will-o-wisp que liberava almas do mundo dos mortos para agarrar os vivos e leva-los para as profundezas do submundo > .......... eu nunca mais verei esse ataque da mesma maneira
    — Não está nem um pouco preocupado com seus outros amigos? > Não gostei dessa insinuação t-t MAS O GENERAL TÁ CERTO, AQUI É FIRE TALES, ELES VÃO SAMBAR EM GERAL /O/
    Não precisamos nos destruir. > HAHAHAHAHAHAHA diga isso pro canas /q
    E você nunca sequer imaginará o que paguei em vida para tê-la > Tenho medo de descobrir e me apiedar de você ç-ç (não quero me apegar a mais um, talok, é bem capaz de ele morrer logo depois t-t )
    Já falei sobre como amo os desenhos da Nyx hoje? Pq MDS O CLOSE NOS OLHOS FICOU MUITO PFTO
    BELIEL MEU AMORZINHO ah mas lá vem essas cenas com ar de belyndis sai daqui e---e
    ISSO, ATACA, DESTRÓI LOGO ESSE SPIRITOMB E SUA ILUSÃO DOS INFERNOS E_E
    — O que diabos passa pela sua cabeça? > BOA PERGUNTA MANSTEIN faz favor dá um pancadão na cara dele (eu deixo /q) e desperta essa criatura
    e olha beliel meu caso tá grave mesmo tu tá um mané mas ainda me arranca suspiros VSF
    Algo me diz que a luta da Wiki vai me fazer só rir AHEUAEHUAEHUAEHUEHUAEH O CARA CANTANDO A ADVERSÁRIA AHEAUEHUEHAUEHAUE
    MISMAGIUS COMO TU PODE FAZER UMA BURRADA DESSAS?? olha eu ainda tava com dó de você (after all, um dos pokés que mais gosto), mas agora to apenas esperando tua derrota u-u
    wiki tu não tem mesmo nenhum ataque que não seja normal-type no teu arsenal???
    — O que fazemos agora? — indagou a Porygon-Z. — Saímos no tapa arrancando a roupa uma da outra?
    Rommel ergueu seus dedos esqueléticos, indicando que apoiava a iniciativa. > AHEUAHEUEHUEHAUEHAUEHAUEHAUEHAUEHAUHAUE
    Rommel, um daqueles clássicos tarados que ainda assim se revelam ótimos guerreiros quando precisam
    Wiki mudou o elemento de sua arma, disparando um Ice Beam diretamente contra a Mismagius que foi atingida diretamente nas costas. > EU DISSE QUE TU TINHA MAIS ATAQUE QUE NORMAL-TYPE, COMO TU ME ESQUECE DISSO??
    Mano, mas até eu to com dó dele, SE AFASTA, TUA MEGERA t-t
    devo dizer que matar alguém com o salto alto é uma das coisas mais a+ MAS CARAI, ROMMEL T.T
    — É verdade — respondeu Wiki, séria. — Não faz sentido apaixonar-se por um fantasma. Então deixe-me eliminar você também. > OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    WIKI ARROMBANDO, ISSO MESMO, FAZ ELA ENGOLIR QUANDO TE DESPREZOU /O/
    MDS ELE AINDA TÁ VIVO ou morto slá MAS ANYWAYS QUE BOM \O/
    ah não foi só pra ter despedida pra mexer com meu kokoro OLHA ISSO NÃO SE FAZ
    PORRA BELIEL, SÉRIO, PARA COM ISSO, DESTRÓI LOGO ESSE TRECO E-E
    MANSTEIN O QUE HOUVE MASOQ?????
    (btw convenhamos que o spiritomb usa uma das minhas técnicas preferidas (acho que é a preferida, in fact) E ISSO SÓ ME FAZ DETESTÁ-LO MAIS, TORTURA PSICOLÓGICA SÓ É AUTORIZADA AOS F*DÕES, NÃO A NOJENTOS COMO VOCÊ E_E )
    Digamos que eu tenha sido um jogador ainda pior por não ter acabado a partida quando tive a chance, e isso custou uma peça > PELO MENOS A MORTE DELE NÃO FOI EM VÃO, OBRIGADA ARCEUS E GIRATINA POR TEREM DESPERTADO MEU BB
    Ah, e quem se importa? Não estamos jogando xadrez. E vidas são vidas. A brincadeira acabou > YEEEEESSS, AGORA SIM!!
    TOMAAAAAAAAAA, CHUPA ESSA TEU SER ABOMINÁVEL, EXTINÇÃO AOS SPIRITOMBS /O/

    ReplyDelete
    Replies
    1. — Agora é com você, General. Não vá sacrificar a nossa peça principal. > ........não gostei disso
      Gente, a Glaciallis (no caso, Glade) cresceu trabalhando pra essa família? E nem sequer teve um update de poder parar um pouco e ler??
      Por um lado, é bom que ele tenha se encantado por ela, pelo menos ele a trata como gente, e não como uma máquina de limpeza (por outro lado, algo me diz que os dois se ferraram com isso)
      EU DISSE, MDS QUE SACANAGEM, FOI ELE MESMO QUEM A ENSINOU A LER olha canas sério se você me fizer shippar esses dois também eu vou aí na tua casa te surrar
      — Eu não tenho direito de saber o que está escrito. > MDS QORROR, sério vargas ensina logo ela pq mds como maltratam essa garota ç_ç
      Não estava sequer batalhando nela, mas então por quais motivos sentia como se fosse o motivo dela? > Porque é /qqq
      Um pequeno troféu que aguardava o vencedor no final da disputa, independente de quem fosse. > and that's why i really don't like presidente's """"love""" OLHA COMO ELA JÁ TÁ SE SENTINDO, TÁ SE ACHANDO UM OBJETO!!! olha, sinceramente, se o presidente ganhasse (o que tá fora de cogitação, plmdds), eu faria questão que tu desse um chute nele :v
      O que estava esquecendo? O que não conseguia lembrar-se? > Eu tenho medo de que tu consiga lembrar :'D
      — Glaciallis, você está bem? > CLARO QUE ESTÁ, O AMADO DELA TÁ LUTANDO COM UM DOIDO QUE DIZ QUE FOI O AMOR DA VIDA DELA (E QUE ELA NEM SEQUER LEMBRA SOBRE), MUITOS MOTIVOS PARA ESTAR BEM
      mas também sabia que General estava comprometido desde a luta contra Atômico na Primeira Casa pelas feridas e o veneno que recebera. Não iria resistir por muito tempo. > COMASSIM EU ACHEI QUE ELE TAVA CURADO NÃO POISONED PARA ESSA COISA AGORA E____________E
      E ELA ENTROU MESMO NA ARENA oh giratina por favor não permita a minha tese se tornar verdadeira ç____ç
      Enquanto não desse uma lição e provasse para sua mulher o quanto a amava, ela nunca iria entender. > cara sério tu é doido tu vai provar a ela que a ama matando alguém que ela muito estima na frente dela ?????
      (btw impressão minha ou ele tava esperando que ela entrasse pra dar tudo de si??)
      TAQUIPARIU O GENERAL SE REERGUENDO E COM ESSA FALA ÉPICA ASAKSDASKDASKDAKDSAKDSAKDSAKDASK DESPENCA O FORNINHO EM CIMA DO VARGAS, CARA!
      AIMDS MEU CORAÇÃO QUASE PAROU AQUI QUANDO A GLACIALLIS DE REPENTE CORTA A LINHA DE PENSAMENTO MDS EU NÃO QUERO CONTINUAR ESSA LEITURA Ç_Ç
      .............mas eu preciso. GOD DAMNIT, COMO FUI ME METER NESSA??
      TAQUIPARIU CHEGA, ISSO TÁ DOLOROSO DEMAIS, EU DEVERIA TER ME RETIRADO DESSE FANDOM ENQUANTO AINDA ERA TEMPO Ç_Ç
      MDS E AINDA TEM AQUELES PENSAMENTOS FEELS MDS NÃO POR QUE ?????? Ç_________________Ç
      AH TAQUIPARIU SINCERAMENTE !!!!!! Ç__________Ç
      AS ÚLTIMAS PALAVRAS DELE, EU NÃO TO SABENDO LIDAR, PQP
      olha pelo menos tem um lado bom nisso tudo: GLACIALLIS VAI ARROMBAR ESSE FORNINHO COMO SEMPRE SOUBE QUE ELA PODERIA FAZER
      AH MAS TAQUIPARIU SÉRIO COMASSIM ACABOU AQUI???? ESSE CAP FOI SÓ PRA ME DEIXAR EM PRANTOS, ISSO MESMO???? QUE DESGRAMA Ç_______Ç

      Delete
    2. Diga ae, Tsuki! \õ Quais exatamente eram as outras possibilidades para o desfecho dessa casa que você tinha pensado? Que eu poderia ter matado a Glaciallis? kkk Sabe, ao mesmo tempo que ela foi o motivo de toda essa rivalidade entre o General e o Presidente, se ela tivesse morrido aqui acho que tudo teria sido MUITO diferente. Uma coisa é ver a Glaciallis irritada por perder o futuro marido, e outra completamente diferente é ver o General irritado MESMO kkk Talvez o Luke terminasse a Liga inteira usando só o General, e outras "futuras, possíveis mortes" também poderiam ser evitadas se ele estivesse no comando... Não que eu gostaria de fazer esse terror psicológico com os leitores, mas são só alguns comentários jogados ao vento kk

      Você mesma citou o fato deles terem perdido o verdadeiro líder da Fire Tales, isso vai pesar daqui pra frente. Falta uma única casa para finalmente chegarmos no campeão, então só nos resta torcer para que eles consigam sair ilesos de lá. Batalhas em dupla não são fáceis, um sempre vai depender do outro, é 6x6. Acho engraçado pensar como vocês imaginam que será a luta da Glaciallis contra o Presidente, (talvez ele já tenha perdido no momento em que matou o General). Bem, vamos ficar sabendo nas próximas semanas se o Presidente seria capaz de vencer seu amor obsessivo e feri-la, mas esta com certeza será a batalha mais dramática de todas, com lágrimas e tapas kk

      Valeu pelo comment, Tsuki! :D A Vanessa me avisou que você lançou o episódio inicial da Moonlight, também estou ansioso para ver como você vai trabalhar com eles daqui para frente com desenhos e tudo o mais. Vamos bolar um button mais tarde também, para ir alavancando a divulgação, beleza? \õ Mas é melhor deixarmos vocês se recuperarem desse capítulo antes, se eu sair de minha base secreta escondida no Nepal é capaz de já terem uma mira de sniper na minha cabeça kkkkkkk Beijos, see ya! \õ

      Delete
  7. suor saem dos olhos ;-;

    ReplyDelete
    Replies
    1. São os hormônios da masculinidade kkkk
      Acho que o treinamento da tristeza já começou na Segunda Casa, daqui pra frente a tendência é só piorar. Ainda me pergunto qual será a casa mais triste de toda a Liga, no final vou esperar uma resposta por parte dos leitores, mas me parece que essa está ganhando kk

      Delete
  8. Fico feliz de ver que a Glaciallis agora terá um destaque. Ela é uma personagem que chamou minha atenção desde que entrou, lá no Old Chateau (saudades). Ela já era uma personagem que mostrava ser mais complexa. Tinha nome, era poetisa... E todo o passado dela tornou-se ainda mais denso agora, com uma paixão de infância. Essa história que envolve o Presidente e o General é muito intrigante. Confesso que não esperava por esse desfecho no capítulo, tinha a imagem do Castelo no final derrotando o Vargas e provando ser "digno" do amor de sua dama. Fiquei realmente surpreso e interessado para ver como essa história vai terminar. Fiquei meio sentimental mesmo Ç___Ç

    As outras batalhas também foram muito bem desenvolvidas. Adorei esse ship Wiki x Rommel. Velhos hentais nunca saem de moda AISUDHAIUSHDAIUEHAIUS E muito legal também você ter trazido o Spiritomb (o famoso número 11) de volta. Ele se mostrou um guerreiro traiçoeiro, apelando até para os sentimentos do Beliel. Tendo derrotado dois dos mais importantes membros da Guilda, vamos ver como vai ser com o líder do exército.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -