Archive for 2015

Conheça a Multi.Player Store!

Diga ae, galera! Venho aqui compartilhar com vocês um novo projeto que estou trabalhando, a Multi.Player Store é uma loja virtual onde visamos vender vários apetrechos geek, mas por hora estamos trabalhando apenas com beads, já ouviu falar? Bom, deem uma olhada nas imagens abaixo para ter uma noção do que temos disponível em nossa galeria!


Gostou? Temos plushes das lulas de Splatoon, fazemos chaveiros, imãs, colares e diversos outros tipos de artesanato com os beads, e estamos procurando espaço para continuar inovando e trazendo novos produtos para fãs de todos os tipos.

Se você se interessou por alguns de nossos itens, ou se curte pixel art e jogos retrô, por que não conversa com a gente para fazermos um orçamento? A loja está crescendo e a sua curtida na página seria de grande ajuda, não deixem de conferir. Um abraço, galera!


Conheça meu Novo Projeto!

Em Abril de 2014 eu apresentei à vocês uma pequena postagem como prévia de um novo projeto que estava a caminho. Este projeto nada mais era do que um livro que venho escrevendo enquanto Sinnoh ainda estava longe do fim, mas a verdade é que comecei a planejar essa história desde 2005, quando eu ainda era moleque e vivia desenhando coisas aleatórias sobre um universo que um dia eu sonhava em compartilhar com outras pessoas.

Venho mostrar hoje aos leitores que tanto prezo o link que redirecionará vocês para o blog pessoal que usarei, onde contarei minha trajetória nessa difícil missão de lançar minha primeira obra. Tenho um projeto em mãos e quero publicá-lo, já tenho a história pronta, mas não conto com um editor, não sei para qual editora mandar e não tenho muita experiência na área, estou tão perdido quanto o Duke no meio dos Fire Tales. Posso ter passado anos com as fics até criar um nome forte aqui, mas no mundo dos livros eu não sou mais que um novato em busca de oportunidades. E então, vamos embarcar juntos nessa?

O blog Reino de Sellure será usado principalmente para narrar a minha trajetória, da mesma forma que também disponibilizarei alguns spoilers sobre como anda o projeto, trarei rascunhos e anotações, ideias descartadas e capítulos ocasionais para que os interessados possam ficar de olho. Se você curtia as aventuras dos Irmãos Wallers e da Fire Tales  aqui, certamente vai gostar de acompanhar essa nova trama de minha autoria que traz a mesma essência de nossa infância e tudo que criei para o Aventuras em Sinnoh, um mundo nós aprendemos a amar tanto. Mais uma vez lhes agradeço por tudo que fizeram, agora, rumo à nova fase!

E se Dawn não tivesse cozinhado batatas gratinadas?

Neste fim de semana de feriado tive a oportunidade de fazer uma vídeo conferência com a galera da Aliança Aventuras. Já conversamos outras vezes pelo skype, mas é a primeira vez que fazemos por vídeo, e foi muito divertido. Nas sete horas que ficamos conversando (sete horas! Mais ou menos das oito da noite às quatro da manhã!), nosso companheiro Dento, um leitor bem antigo e que atualmente segue preparando-se para o Aventuras em Johto, levantou uma questão que me deixou intrigado...
Vamos voltar ao Capítulo 1 do Aventuras em Sinnoh. Nessa época os Irmãos Wallers não passavam de crianças, e a Dawn se destacava praticamente como a protagonista. Lembram-se do episódio das batatas gratinadas queimadas? Cara, como esquecer um dos começos mais épicos e inocentes das fanfictions?

Tendo em mente o capítulo que deu início a tudo isso que conhecemos, o Dento fez-me a seguinte pergunta, como um assíduo leitor:

E se a Dawn não tivesse feito aquele derradeiro almoço para os Irmãos Wallers? O que teria sido diferente?

O que vocês acham? Como autor, eu passei o feriado todo pensando nisso. Acho que TUDO teria sido diferente. Apesar da Dawn não desempenhar um papel muito importante no decorrer das temporadas finais, no começo ela foi primordial; a responsável por todo o amadurecimento dos gêmeos, uma irmã mais velha para eles, um par romântico indispensável que sempre esteve ali, torcendo e criando fãs que torciam pelo melhor casal. Até mesmo o Duke, nosso adorado Piplup idiota, era alguém importante (tudo bem, ele ainda é um pouquinho). Duke estava lá quando a Fire Tales nem pensava em existir, enfrentando a Titânia que ainda era um Onix selvagem, caçoando do Aerus que não passava de um Gible folgado que mordia a cabeça das pessoas. E se a Dawn não fosse companheira de jornada deles, quem teria assumido seu lugar? A Vivian? O Stanley? Alguma outra personagem feminina bobinha que teria feito exatamente as mesmas coisas, tomado as mesmas decisões? Aquela primeira cena do beijo entre Luke e Dawn no Capítulo 19 (um dos meus favoritos até hoje) não teria existido!

Pense comigo: se a Dawn não tivesse feito o almoço para os Wallers nós não teríamos o Duke, não teríamos a Milady e nem o Isaac, e com isso a própria Eva não estaria na história; o Chaud ficaria triste e deslocado, quem sabe ele realmente tivesse saído da equipe numa época que cogitei seriamente isso; sem o Chaud o General não teria derrotado o Atômico na Ilha de Ferro, e sem o General, bicho... A FIRE TALES NÃO TERIA GANHADO A LIGA! Céus, o que teria sido do Aventuras em Sinnoh se não fosse pelas malditas batatas gratinas marrom glacê?! Não quero nem mais pensar nas hipóteses.

Nada disso existiria, pelo menos não como conhecemos. Talvez tudo fosse diferente de uma maneira melhor ou pior. Isso me levou a iniciar um bate papo sobre destino com a galera da equipe, algo muito maior do que simples escolhas em uma fanfic. Foi o destino que organizou tudo e nos colocou aqui, foi o destino que formou a equipe que hoje tanto prezo, que fez alguns irem embora e novos chegarem. Nunca imaginei que um dia estaria me reunindo numa sexta feira à noite com pessoas que se conhecem apenas pela internet, só para rir e falar bobagens. O destino está presente em tudo, e não apenas no que é de nosso interesse. Você leu essa postagem entre tantas outras, você encontrou o blog entre tantos outros, você decidiu acompanhá-lo e eu decidi escrevê-lo até o fim, e aqui estamos, quase cinco anos depois do início da boa e velha Sinnoh...

Depois dessa, eu adoraria me deleitar com um bom prato de batatas gratinadas, ( e que de preferência não seja preparado pela Dawn). Será que isso vai mudar o meu destino? Bom, por hora a única certeza que tenho é que vou ficar um pouco mais gordo.

A Última Casa [Artbook]

A Nyx estava amargurada por não ter conseguido entregar um desenho para a batalha decisiva do Aerus da Titânia, como as demais imagens que ela fez para o Artbook. Apesar do último capítulo ter sido postado lá em Janeiro, acredito que até agora ela ficou mantendo essa vontade de ilustrar, nem que fosse uma última vez, os personagens que vieram representando a nossa jornada, rs.

Este desenho veio como uma verdadeira surpresa para mim, na manhã derradeira que antecedia o aniversário do blog. Chegamos no dia 17, e antes tarde do que nunca, aqui está a última imagem da batalha contra o campeão da Liga. Aerus, Watt, Tih... Nunca deixarei de me impressionar com eles, com o momento decisivo em que eles entrelaçam as mãos e partem, para algum lugar de nossa imaginação, onde sempre estarão a nos acompanhar. Nossa, e já estou começando a sentir falta!

Autor(a): Nyx
Técnica: Aquarela e Lápis de Cor
Resolução: 1600 x 1178
Tamanho: 364 kb
Marcadores: Aventuras em Sinnoh, Pokémon Gijinka, Fire Tales, Aerus Draconeon, Titânia, Watt Fuarrint, Pokémon, Pokémon League, Blue.

4 Anos de Aventuras em Sinnoh!


...reza a lenda que o décimo sétimo dia de todo mês traz algo realmente surpreendente para nossas vidas, contanto que saibamos notar.

Neste mês de Maio de 2015 comemoramos a tão especial data que iniciou esta aventura, e embora tenha sido em 2011 que vocês conheceram esse blog e a Aliança Aventuras como a conhecerem, sabiam que na verdade nossa história começou lá por volta de 2010. Quando Sinnoh não passava de meras ideias no papel, acredito que foi no dia 17 desse mesmo mês, há exatos cinco anos, que começavam a surgir os primeiros manuscritos de dois irmãos gêmeos que começariam a explorar o continente que mais bombava no momento com o recente lançamento dos jogos Diamond e Pearl. Ah, e quantas saudades tenho dessa época em que minha maior preocupação era não errar o nome  dos Irmãos Wallers!

Se você está aqui, lendo essa postagem, é porque provavelmente passou os últimos meses continuando a acessar o blog mesmo que soubesse que a história já terminou (ou então quem sabe você está tentando ler tudo que ficou atrasado! *risos*)
Mas devo compartilhar aqui com vocês, leitores, que eu também continuei viajando para essas bandas todo santo dia, embora eu não saiba ao certo o motivo. Continuei respondendo comentários, pensando em tantas ideias onde minha mente dizia: Caramba, e não é que isso ficaria legal para a Wiki e o Marco? Juro que surgiram inúmeras propostas para continuações, supports, desenhos, personagens... Mas então, quando eu tirava alguns minutos para refletir, eu percebia que... acabou. Simplesmente acabou. Não posso continuar, não devo. Dei os devidos finais para cada um desses personagens, será que eu deveria continuar criando histórias para eles até que não aguentassem mais? Eu sou o autor da história, eu as escrevia, então por que diabos eu ainda entrava todo dia esperando novidades?

Muitas vezes compartilhei com vocês que terminar o Aventuras em Sinnoh seria como estar "livre". Eu julgava que depois de 5 anos "aprisionado" nessa história e 4 anos nesse blog, minha vida voltaria a andar quando tudo terminasse (como se ela estivesse parada, como se o mundo tivesse me esperado). Não mudou. Mas eu senti a diferença porque algo estava faltando. A verdade é que o tempo passou e minha rotina continua a mesma , a única diferença é que agora não tenho mais aqueles capítulos que eu tanto adorava escrever para postar nas sextas... Ah, e como sinto saudade disso! As sextas voltam a ser apenas o dia que precede um fim de semana de tédio. E repito, como sinto saudade disso.

Eu tinha 15 anos quando comecei a escrever Sinnoh, era um jovem que não tinha nem mesmo de se preocupar com ensino médio e vestibulares, hoje passo pela fase de procurar um bom emprego, começar a juntar grana para um carro, aproveitar a vida... O ciclo continua, e não sinto como se tivesse faltado algo. Esse blog, caramba, esse blog está acompanhando todas as fases de minha vida! Minha infância inteira está praticamente registrada nele, os Pokémon, a aventura em seu nível mais puro e inocente... O blog acabou, e hoje percebo que eu nunca vou me libertar dele, porque de certa forma já estamos conectados, eu e a Sinnoh. Mesmo que eu não traga mais postagens, continuo a visitar a casa desta amiga tão especial pelo simples fato de que me sinto bem aqui. Algumas oportunidades que eu poderia ter não puderam ser aproveitadas, mas estou certo de que outras portas se abriram e continuarão abrindo. Talvez, no futuro, quando tivermos algumas histórias para compartilhar com nossos filhos e amigos, vamos nos lembrar da velha Sinnoh que cada ano fica mais velha junto conosco, em nossos corações.

Foram 4 anos de blog. 5 anos de história. Mas arrisco dizer que foi como uma eternidade!
PS. Agradecimentos especiais à Nyx pelo desenhos que coloriram ainda mais esta data! 

"Eternamente não é o que dura para sempre, mas sim o que dura um segundo e é capaz de nos marcar tão fundo, que se faz impossível de esquecer!"
Carlos Drummond de Andrade.



The Mega Evolutions [Artbook]


Passando-se alguns anos após a vitória de Luke Wallers na Liga Pokémon, o jovem segue viagem por outras regiões como um andarilho junto de seu irmão Lukas. Eles descobrem o poder das Mega Stones em Kalos. A Fire Tales volta a reunir-se após alguns anos fora da ativa para encararem uma nova ameaça que pode voltar a ameaçar o equilíbrio entre os mundos.

Tudo bem, agora chega de zoeira. Era só brincadeira! (Hah, hah...) Se quiserem culpar alguém, culpem a Nyx que foi a responsável por este desenho maravilhoso das Mega Evoluções de Aerus e Titânia. Supostamente essa imagem iria ilustrar o nosso header no topo do blog para divulgar a luta desses dois no Capítulo 99, mas acabei decidindo não confundir a cabeça de vocês ao misturar a 4º e 6º Geração (e também porque não deu tempo de eu terminar de colorir, rs).

Ah, essas aventuras que parecem nunca terminar... Não se esqueçam que era só brincadeira hein, não teremos mais 200 capítulos de história e especiais, e nem adianta pedir! Bom, mas nada nos impede de dar uma passada em Kalos de vez em quando para ver o que o Haos nos reserva para o futuro, afinal, a Aliança Aventuras ainda continua ativa, e eu continuo aqui de olho em vocês. Novas postagens e ideias podem aparecer quando vocês menos esperarem.

Autor(a): Nyx part. Canas Ominous
Técnica: Pintura Digital
Resolução: 1600 x 976
Tamanho: 2,57 mb
Marcadores: Pokémon, Mega Stone, Mega Evolution, Mega Steelix, Mega Garchomp, Gijinka, Titânia, Aerus Draconeon, Aventuras em Sinnoh, Fire Tales, Fanfiction.

As Últimas Notas do Autor (Capítulo 100)

Por um tempo estive cogitando o que dizer nessas notas, e percebo que talvez as "últimas notas do autor" nada mais seja do que comentários aleatórios e pensamentos, como venho fazendo desde o primeiro capítulo do Aventuras em Sinnoh, rs.

Afinal, era esta a função do blog desde o comecinho, não? Um refugio para quem procura uma fuga, um  quarto ou um cantinho especial para quem não tem um, enfim, creio que para cada leitor ele assumiu uma forma diferente. E para mim? Vi esse blog como uma missão a ser cumprida, uma mensagem que devia ser transmitida, ou seria apenas um passatempo? Nesses cinco anos é difícil medir o quanto aprendi com tudo isso, e mesmo assim, se me perguntarem precisamente o que foi, não saberei dizer. Apenas sinto. Sei que sou uma pessoa mais madura, com uma nova mentalidade, novas experiências e pronto para deixar o nível de Beginner para finalmente engajar no Advanced.

Uma vez que esta seria a única nota a não apresentar nenhuma frase que marcou a minha vida, farei uso de um dos momentos mais importantes para mim do Capítulo 99, onde Luke diz: Obrigado, Titânia, por acreditar em mim quando todo mundo duvidou.

Então, eu digo à vocês, caros leitores: Obrigado, por acreditarem em mim quando todo mundo duvidou. Um autor escreve para ser lido, e por isso nunca apoiei ficwriters que escrevem fics para ficarem guardadas em pastas ocultas. Textos devem ser lidos, apreciados ou criticados. Nós escrevemos para nos sentirmos bem e fazermos as pessoas bem, e nessa longa trajetória o maior presente que tive foi justamente o de conhecer tantas pessoas maravilhosas. Provavelmente não nos veremos daqui para frente, mas quem garante o que o destino nos aguarda? Vocês poderão ouvir meu nome ser citado em obras dos mais variados tipos, ou na pior das hipóteses o blog continuará aqui por um tempo para todos aqueles que quiserem reviver os bons tempos de jornada.

Continuarei aqui para acompanhar o progresso de meus companheiros e responder comentários sempre que possível. Pode ser que tenhamos algumas surpresas para a Aliança Aventuras nos próximos meses, pode ser que não! Pode ser que venham tantas postagens novas que vocês nem percebam que Sinnoh acabou, pode ser que não! O futuro é incerto, e estou trabalhando em diversas outras ramificações agora que concluí o percurso principal. Daqui em diante, deixarei o rio me guiar, e que as águas me levem em suas correntezas rumo ao desconhecido, mas com um final que, espero eu, traga inspiração para todos nós.


The Last War [Artbook]

Segue abaixo uma coletânea de todas as imagens utilizadas por Nyx e Leeca na construção do vídeo que deu vida à última abertura do Aventuras em Sinnoh, a Saga Platina. As imagens estão todas em boa qualidade, e foram disponibilizadas para que lembremos de todos esses bons momentos que tanto nos marcaram.







Epílogo

O Epílogo visa relatar não apenas fatos contínuos ou especiais de nossa história, como as últimas cenas, aventuras e relatos de nosso roteiro; este Epílogo tem como função não deixar que nenhum espaço fique abandonado em nossa longa trajetória. É hora dos Pokémons que tanto amamos entrarem em cena uma última vez e acompanharmos o percurso que cada um deles seguiu em sua vida após o término da Liga Pokémon.

Quando planejamos o roteiro veio a ideia de que Luke Wallers deixaria o seu time e abandonaria o ramo de treinador, mas não passaram de opções e histórias mal planejadas, fiquem tranquilos. Aqueles que se encontraram com os famosos Irmãos Wallers em jornada tiveram a oportunidade de presenciar batalhas autênticas e fabulosas. Sua equipe apenas teve um tempinho de férias para que cada um construísse sua vida conforme desejasse. A chama dos Fire Tales nunca se apagou. Quando um chamado é feito e todos eles são convocados,  não há um que hesite. Os membros da guilda mais famosa da região se unem sob uma liderança, pois seus corações continuaram na família de loucos que construíram, cada qual completando o espaço que faltava no outro e, por conta disso, suas aventuras se estenderam por incontáveis anos até que eles não passassem de meras palavras nos livros e canções. Mas, principalmente, no coração daqueles que as ouviram.

O pequeno trio aventurou-se pelo mundo, deixando para trás a proteção de seus lares em busca de aventuras e o que fosse que o destino reservasse para eles. Chaud manteve-se como o eterno protetor das duas crianças, eles eram praticamente seus filhos, os quais treinou e viu crescer sob a promessa de que seriam grandes um dia. Quem se surpreendeu foi o professor por rapidamente ser superado, mas ele podia manter o coração tranquilo por saber que quando não encontrasse mais forças para caminhar sempre teria os dois pequenos para guiá-lo. 

Chaud e acompanhou o crescimento tanto de Eva quanto de Tom Sawyer, quando não estavam viajando pelo mundo eles regressaram para a Mansão de Milady ou a fazenda da mãe de Sawyer, só para dizer que tinham para onde voltar. Mas é na Fire Tales onde eles construíram seu legado como dois dos maiores guerreiros da nova geração. Eles saíam em viagem e só voltavam muito tempo depois, de mês em mês, repletos de histórias e presentes para seus amigos. Apesar das longas viagens, seus corações nunca deixaram a Fire Tales.

Com a aposentadoria de Don Corleone, Al Capone foi quem assumiu o controle da máfia, apesar de ser o irmão mais novo entre os cinco. Sendo ele o mais capacitado e experiente, Virgil, Clemenza, Bonasera e Carmine facilmente concordaram que o caçula deveria assumir a liderança. Guiado também por Sophie, a sempre cuidadosa e atenciosa Gardevoir, Al foi capaz de elevar os contatos de sua família e manter o bem estar de todos como um verdadeiro pai de família.

Karl e Lyndis continuaram juntos, assumiram um namoro oficial após alguns vários meses de enrolação e amizade colorida entre eles. Lyndis montou uma academia de lutadores onde ficou conhecida por toda a região, enquanto Karl optou por, bem, montar uma igreja. Junto dela Karl construiu também uma Casa de Cura onde pôde aprender técnicas de enfermagem junto de Sophie para curar e salvar os feridos que já saíam destruídos da academia de Lyndis, logo, eles funcionam bem juntos. Os dois mantiveram o coração jovial, e embora Al e Sophie desejassem netinhos a enrolação foi enorme e nada oficial saiu disso. Don Corleone adorou a ideia de se tornar bisavô

Akebia foi uma das primeiras integrantes a deixar oficialmente a Fire Tales, pouco antes da Liga Pokémon efetivamente começar. Em uma viagem para Kalos, ela conheceu uma pequena Roselia que muito a lembrava de quando era uma criança. Sofrendo de uma crise de identidade e sem pensar duas vezes, Akebia deixou tudo para trás e partiu para uma ilha desconhecida onde a pequena Roselia dizia viver, e lá elas continuaram com suas vidas. Akebia deixou a fama dos contests e apresentações para trás, dizem que teve uma vida simples, porém, próspera; junto de sua versão jovial elas seguiram para onde se sentisse bem, longe de olhos críticos ou dos pesares do mundo. Tendo encontrado sua plena paz, preferiu nunca mais voltar.

Após a partida de Akebia, o velho Panetto por um tempo ficou perdido e demorou a retomar o curso de sua vida. Manteve a boa forma e esforçou-se para ser um membro conhecido da Fire Tales. Tornou-se famoso por muitos pratos e comidas exóticas que aprendeu em suas tantas viagens pelo mundo, e quando voltou foi recebido como cozinheiro oficial, afinal, comida boa é sempre bem vinda! Mesmo cultivando um simples hobbie, Panetto conseguiu seguir fazendo o que mais amava, servindo de inspiração para muitas pessoas.

Mikau simplesmente desapareceu após um tempo. Continuou firme na Fire Tales. O “Melhor Atirador do Mundo” como o chamavam era o suficiente para que seu ego atingisse o limite e ele não se preocupasse com mais nada. Com o passar dos anos Mikau percebeu que tudo que conquistara não era suficiente, e após alguns meses vivendo em harmonia com sua esposa, partiu sem um rumo exato.

Mikau e Milena tiveram três filhos: Aysha, Milita e Midas, os quais foram recebidos com muito carinho e ternura pela família e também pela guilda, uma vez que a Fire Tales os recebeu com mais euforia que os próprios pais. Aysha era uma menina forte e determinada, decidiu que seria atiradora para um dia superar o pai; Milita era a mais meiga e tímida, exatamente como a mãe, mas com uma doçura incomparável; e o mais novo se chamava Midas, aquele foi a grande surpresa. Um pequeno Horsea de cabelos arroxeados, o que logo despertou atenção de muitos por ser  shiny.

Midas conheceu o seu pai ainda quando era menino, e desenvolveu muito de sua personalidade, mas Mikau foi muito ausente nessa fase. O atirador tornou-se uma espécie de herói em todos os cantos de Sinnoh, muitos diziam vê-lo e um número ainda maior o desafiava para combates, buscando seu título. Mikau também foi convidado para tornar-se membro dos Remarkable Five, mas o convite nunca recebeu uma confirmação. Ocasionalmente, Milena afirmava que seu marido retornava para o conforto de seus braços, embora desaparecesse pouco depois sem deixar rastros, mais uma vez.

General foi convidado para tornar-se um dos novos líderes dos Remarkable Five, convite aquele que foi recusado após pouca espera. Ele aposentou-se do ramo de batalhas, de forma que pudesse ter uma vida calma e tranquila ao lado de sua esposa em uma casinha distante no topo da colina, mas ainda próxima o bastante para que o Aerus batesse em sua porta sempre que precisasse de ajuda.

Apesar de aposentado, General continuou a ensinar as gerações mais novas da Fire Tales e tornou-se muito conhecido e respeitado em outras regiões. Glaciallis, a Dama de Gelo, viveu eternamente ao seu lado como seu mais puro amor. Ela escreveu um livro de poesias e seguiu no ramo, publicando obras e ganhando prestígio como uma renomada escritora que tem todo o tempo do mundo para dedicar-se completamente ao trabalho que tanto adora.

Milady tornou-se ainda mais famosa por sua relação com a Fire Tales, e não demorou em ficar mais rica do que já era (Ela é rica, riiiiiiica!) Junto de seu marido, Isaac, eles continuaram a viver em sua mansão no topo da colina, e ficaram por lá tempo o suficiente para que Milady se tornasse uma velha rabugenta que só reclama e Isaac o velho que não sai do sofá da sala e fica fazendo palavras cruzadas. Porém, já que Eva decidiu por sair em viagem e Duke ocasionalmente ficava fora, eles tiveram muito tempo para irem viajar para as praias de Unova e visitar os hotéis mais refinados de Kalos, aproveitando que ainda eram novos para, bem, vivenciar seus dias de ouro no Day Care Center.

Duke continuou sendo o filhinho da mamãe preferido de Milady. Recusou-se a evoluir, pois sempre soube que perderia a sua identidade caso tivesse de lidar com a fama e o poder do nome de sua família. Mesmo assim, foi feliz. Por incrível que pareça, tornou-se muito inteligente a ponto de assumir os negócios do pai. Viveu seus dias como um lorde respeitado e cortês, e quando lhe sobrava tempo o que mais adorava era arrancar a gravata e o paletó para vestir o chinelos e pescar nos riachos próximos. Certo dia contou para seus amigos na Fire Tales que pescou a sereia mais linda que já existiu, e que ainda por cima se apaixonou por ele com toda sua simplicidade. No fim, eles quaaaaaase viveram juntos, mas, sabe como é... A sereia escapou.

Sly juntou dinheiro com seus trabalhos na mansão de Milady para que pudesse abrir uma academia de dança onde as pessoas dançassem só de roupas de baixo. E foi o maior sucesso!

O velho Atros serviu Milady até o fim de seus dias. Sentia-se orgulhoso pela menina que viu crescer, que tornou-se uma adolescente rebelde para, enfim, ser uma mulher linda e respeitável, como sua mãe um dia fora. Atros sofria de doenças do coração, mas aguentou firme pois sua senhora recusava-se a liberá-lo de seus serviços, e Atros amava o que fazia mais do que qualquer outro. Malbora e o senhor Magnum assumiram seu lugar na proteção da família, convidaram novos recrutas e foram responsáveis por descobrir grandes talentos que surgiram nos anos seguintes. O senhor Atros ficou com a família de Milady e, por fim, faleceu fazendo o que mais amava numa noite tranquila de inverno ao lado de sua senhora.

Jade e Yoshiki retornaram para seu vilarejo no Great Marsh onde ninguém soube de seus feitos e os trataram como a dupla esquisita que sempre foram. Todavia, com as economias que juntaram eles foram capazes de melhorar e muito a vida dos vizinhos e habitantes ao seu redor que nunca tiveram conhecimento de onde o dinheiro vinha, mas agradeciam em suas preces e a comida boa e proteção. 

Os dois seguiram com sua rotina monótona e nada fora do comum por um tempo, com exceção dos sons estranhos e gritos de dor que os vizinhos alegavam ouvir da casa, o que logo escandalizou os mais variados boatos. Seguiram com uma vida ainda mais pacata e simples do que antes, mas de uma simplicidade que amavam, longe das correrias da vida e de qualquer preocupação. Yoshiki ainda atendia alguns pacientes no novo escritório do Dr. Knife, mas poucos saíram inteiros de lá. Ele e Jade tiveram um pequeno filho chamado Toshi, um menino de cabelos arroxeados brilhantes como os de Tashiki.

Marco estudou os próximos anos com muito fervor para se tornar um engenheiro mecatrônico, e surpreendeu-se com a própria inteligência.Reconstruiu o corpo de Wiki e Mozilla de um jeito ainda melhor. Wiki pediu alguns upgrades nos peitos e na bunda, e nunca esteve mais feliz. Viveu os dias mais prazerosos de sua vida com sua "família", cada qual completando o outro. Todos os dias eles davam festas das mais variadas, em camas ou banheiras; às vezes convidavam Glory e outros amigos da Fire Tales, empolgação é o que não faltava. Depois de um tempo, Marco ficou famoso por ser considerado um cirurgião plástico, o que não agradou Mozilla em nada. Seu laboratório começou a encher-se de pacientes mulheres, as quais Wiki recebeu muito bem. Apesar de não ter se casado no papel, ela compartilhou quatro alianças com Marco, Mozilla e Vista, seus três maridos. Eles se casaram na banheira da casa.

Vista também foi reconstruído por Marco, e ao retornar estava mais rabugento e poderoso do que nunca. Vista tornou-se tão inteligente e juntou tanta informação e sabedoria na internet que suas capacidades ultrapassaram qualquer limite da realidade, então, decidiu aposentar-se e deixar as novas gerações fazerem as próprias descobertas. Nunca deixou de tratar Marco como seu aluno, sendo que o Mothim tornou-se ainda mais inteligente e capacitado do que o próprio mestre. Vista permaneceu criando armas para os Fire Tales e consagrou-se como um gênio. Viveu ao lado de Wiki e Mozilla e Marco, e frequentemente fazia alguns testes em seus cobaias que aceitavam tudo de muito bom grado.

Coffey simplesmente desapareceu e não deixou nenhum rastro de que tenha existido, como um anjo que veio ao mundo para proteger seus amigos e depois de cumprir sua tarefa foi-se embora para observá-los lá de cima.

Quando Aerus, Mikau, Milena ou qualquer membro da Fire Tales perguntava sobre um gigante que lutara ao lado da guilda na Liga, aqueles que assistiram as batalhas afirmavam que nunca houvera ninguém parecido. Coffey tornou-se uma história passada de geração em geração, palavras que até hoje não foram comprovadas ou não passaram de alucinações, mas quem o conheceu não se esqueceu do jeito bondoso e dos olhos amendoados sempre cansados. Ah, o Grande Coffey! Uma criança presa no corpo de um gigante, uma verdadeira dádiva de Arceus. Que nem a bebida, só que escrito diferente.

Paula continuou a cumprir sua função como Guardiã do Espaço, mas foi condenada pelo conselho dos Lendários por envolver-se com um humano (mais uma vez).

Seu relacionamento com Lukas perdurou muito tempo, e embora o conselho não tenha tomado nenhuma atitude drástica para separá-los, ela foi amaldiçoada pelos próprios poderes e os de seu irmão Dialga. E sempre soube disso. O tempo e o espaço. Inevitavelmente com o passar dos anos o jovem Lukas viria a falecer, e Paula continuaria sozinha, aguardando o dia em que sua reencarnação voltasse e ela se apaixonasse pelo mesmo jovem, desde o princípio, eternamente. Seu amor sempre foi correspondido, mas sua maldição foi maior do que qualquer poder que as divindades do mundo Pokémon pudessem romper. Ainda assim, seu amor perdurou por toda uma eternidade, e este também não pôde ser rompido.

Seth iniciou sua viagem pelo mundo em busca de um sentido e de experiências para chamar de suas. Ocasionalmente convidava Watt e o roubava por um tempo dos Fire Tales, e Aerus não gostava nada de suas visitas. Teve o Dragão de Ouro como rival pelo resto da vida, mas eles nunca mais batalharam. Um criou respeito tão grande pelo outro que ambos se viam como verdadeiras lendas. Seth explorou as mais diversas regiões do Mundo Pokémon, e até mesmo as ainda não descobertas, mas só contou para algumas poucas pessoas e as levou para os cantos mais lindos do mundo para contemplar experiências autênticas.

Lyndis não teve sinais de Beliel após o fim da Liga Pokémon, mas dizia ouvir boatos sobre uma sombra que movimentava-se em noites silenciosas, como se a protegesse dos perigos. Apesar de não precisar ser protegida, Lyndis insistia em deixar recados na guilda para qualquer que visse Beliel por lá, convidado-o a fazer parte da máfia de seu pai, onde ele poderia de fato ser um espião muito capacitado e respeitado. Porém, Beliel jamais aceitou ter outro dono, permaneceu como um andarilho solitário, em busca de um novo mestre digno de valor a ser seguido. Quando desaparecia por muito tempo era porque Seth o levava para outros mundos e narrava cada detalhe que sua visão não pudesse ver, como dois grandes amigos.

Membros Remanescentes da Grande Criação
(Neon Photorine, Barão, Eleanor, Delfort)

Após a derrota dos clones na Ilha de Ferro, Eleanor partiu para as Ilhas Laranja disposta a encontrar sua antiga treinadora que continuava viva somente em suas memórias.

Neon, o Barão e Delfort construíram um circo em sua ausência, que por sinal deu muito certo e trouxe atrações que não os visse como aberrações, mas que trouxessem a felicidade e dessem possibilidade de jovens participarem e serem um deles. Alguns meses mais tarde obtiveram respostas de Eleanor, e com isso migraram o circo primeiro para as Ilhas Laranja e a partir daí optaram por continuarem fazendo viagens por outras regiões como Johto, Unova e Kalos. Dizem que eles inclusive se encontraram com guildas bem famosas...

Atômico, o Mal em sua Forma

Muitos anos se passaram até que Atômico finalmente conseguisse juntar seus pedaços e reassumir sua forma original, ainda que extremamente debilitado e com tamanho reduzido. Cada parte sua espalhou-se pelo mar, e durante muito tempo ele foi apenas uma massa disforme que habita as profundezas onde ninguém possa encontra-lo. Se por ventura algum dia Atômico for capaz de reunir seu tamanho e força originais de volta, certamente seria uma ameaça a ser reconhecida, mas atualmente reside perdido e desconhecido nos oceanos mais profundos onde nem a luz pode alcançar.

Primia e Drinian,
Fortaleza de Perseverança e Amor

Primia e Drinian se casaram e viveram anos felizes juntos. Primia comprometeu-se a cuidar da perna manca de seu marido, mas ele superou todas as dificuldades e seguiu em frente, continuando a tentar vencer e superar barreiras em prol de seu mestre e sua família. Dizem que Drinian conseguiu vencer o Torneio das Guildas alguns anos mais tarde e deu um verdadeiro trabalho para os Remarkable Five, mas acabou derrotado. Sua performance foi tão incrível que ele recebeu um convite para entrar na equipe lendária, mas acabou recusando, afinal, tinha uma família a cuidar. Apesar de não poderem ter filhos, Primia deu a ideia de adotarem um menino e uma menina quando já estavam estabilizados. 

Fenrir, Tesla e Violet Hunter,
Sabedoria e Força

Fenrir continuou reservando tempo para suas tão adoradas férias no campo na fazenda da família de sua irmã, mãe de Tom Sawyer. Lá ele tinha toda a paz do mundo para ler e estudar, onde formulou teorias e teve muitas ideias mirabolantes para melhorar sua guilda. Violet Hunter esperou por Tom Sawyer por alguns anos, mas não chegou a encontra-lo mais, e por isso seguiu com a vida mantendo para sempre oculta a paixão de infância que sentia pelo amigo. Tesla iniciou trabalho em uma usina para fornecer energia de graça para a região inteira, um projeto que foi recebido muito bem pelo governo. Fenrir e Tesla continuaram com a rivalidade, e por conta disso um ajudou o outro a treinar e tornarem-se cada vez mais poderosos, sendo duas das guildas mais respeitadas da região.

Conde e Glory,
Honra e Glória

Conde e Glory continuaram a viver como o casal mais majestoso de Sinnoh. Obviamente, o romance não durou. Conde era cabeça dura, egoísta e egocêntrico; enquanto Glory voltou a interessar-se por, bem, mulheres. Apesar de seguirem caminhos distintos, continuarem se ajudando nas batalhas e se deram bem como companheiros de trabalho que ocasionalmente compartilhavam algumas noites. Conde nunca conseguiu seu convite para ser um Remarkable Five, mas tornou-se respeitado entre os Pokémons Aquáticos. Glory manteve suas visitas à Fire Tales e quase tornou-se um membro efetivo. Criou uma aliança com a guilda de Wiki e não se distanciou mais deles.

Alexay, Faísca Negra,
O Grande Adorador de Superlativos

Alexay, o Belíssimo, finalmente teve sua tão aguardada viagem para Kanto, embora sozinho. Conheceu as cidades maravilhosas da região que a tudo originou, e encantou-se por completo. Amou cada pedaço de terra, e por isso nunca mais voltou.

Ereon e Renée,
Lendas Eternas

Ereon consagrou-se como o que sempre foi: Uma Lenda. Mesmo depois de aposentado, decidiu que a vida era curta e retomou o controle do governo, agora separado do cargo de campeão e dos Remarkable Five. Continuava sendo um homem de respeito e influência na região, e o povo o recebeu de braços abertos. Dizem que um dia Aerus o desafiou para um duelo, de pai para filho, mas ninguém jamais disse quem ganhou, e julgando que Aerus manteve-se quieto logo imaginamos a resposta.

Renée e ele tiveram uma linda filha, apesar de serem de espécies diferentes. Uma pequena Swablu chamada Azus. Aerus Draconeon prometeu que a adotaria como sua irmãzinha quando ela ficasse maior e que a convidaria para a Fire tales, caso ela não fosse a herdeira legítima da Legacy. Ereon continuou vivendo seus dias ao lado de seus amigos Bartolomeu, Machado, Luna, Don, Njord e Akagi, os guerreiros lendários que, mesmo apesar de velhos, vez ou outra saíam por aí para se divertirem um pouco sem nunca perder a essência de quando eram jovens.



Tashiki
Senhora da Lua. Mestre dos Venenos.

Tashiki retornou para os pântanos do Great Marsh, depois de muito hesitar. Percebeu que os vilarejos locais continuavam muito pobres e perigosos, então com a fama e dinheiro que conseguiu tornou-se protetora oficial do local. Ocasionalmente visitava uma certa casinha ali perto onde passava os fins de semana sem pensar em mais nada, espalhando suas roupas sujas para todos os lados e fazendo brincadeiras perigosas com as duas pessoas que mais amou. Os três ficavam sempre assim, deitados e olhando para o teto, tinham a vida mais perfeita que poderiam pedir.

Bonna Party, Davy Jones
pequena Elba. A Nova Geração.

Bonna Party pretendia deixar os Remarkable Five para cuidar de seu pequeno tesouro, a menina Elba, principalmente porque detestaria abandonar sua filha sem que ela estivesse preparada para encarar o mundo. Ao deixar o posto, Thanatos assumiu o comando em seu lugar. Quando Elba atingiu maturidade e tornou-se mais forte, finalmente Bonna aceitou reassumir cargo de bom grado. Foi a vez de Davy Jones aposentar-se, o velho assumiu o  posto de mentor da menina, sempre cantando as novas secretárias e protegendo sua garota como um verdadeiro pai.

Elba cresceu e tornou-se uma das mulheres mais poderosas da região junto de seu amigo Minos. Ela escondia um amor platônico por Presidente quando menina, o homem que sempre estava junto de sua mãe, e ficou muito triste quando um a um viu que os mais velhos que a acompanharam quando criança davam espaço para que a nova geração começasse. Os anos se passaram e as equipes mudaram, mas Elba continuou firme como uma peça fundamental na Elite. Quando assumiu o lugar de sua mãe, ela guiou os Remarkable Five pelo melhor caminho, mas, obviamente, ainda recebia algumas lições do velho iDie.

Presidente,
Aquele que Nunca Mais Amou

Dornelles Vargas finalmente desistiu de sua busca por sua esposa em vida e passou a abrir-se para novas oportunidades. Conheceu muitas mulheres maravilhosas, mas jamais apaixonou-se por nenhuma como gostaria. Decidiu que não amaria mais ninguém e que passaria a aproveitar mais os pequenos momentos da vida com as pessoas que amava de verdade, dedicando-se em completo por elas. Nunca realizou seu desejo de ter uma filha.

Sonnen,
Mestre das Espadas e Irmão Irritante.

Sophie ocasionalmente recebia as visitas de Sonnen na máfia, e o rapaz ia de muito bom grado visitar a irmã nos feriados prolongados. Al Capone abriu exclusividade para que ele entrasse, mesmo sendo um rival de fora da família, mas aceitou muito bem o cunhado, apesar de alguns empecilhos. O espadachim, junto de Karl e Lyndis, acabaram por se entenderem e Sonnen acabou se tornando um irmão mais velho para eles, sempre participando das aventuras e treinando junto, incentivando-os a se tornarem mais fortes. O problema surgiu no momento em que, acidentalmente, a irmã de Al Capone, Carmine, acabou apaixonando-se por Sonnen. O rapaz  saía em disparada toda vez que a avistava nas redondezas.

iDie, o Andarilho Fantasma,
Imortal.

As peças e o corpo de iDie demoraram um tempo para serem reunidas e reconstruídas novamente. Após mais uma derrota crítica, cada vez mais perdendo sua essência, iDie soube compreender que seu tempo havia chegado. Decidiu por abandonar os Remarkable Five, optou por ser desligado e nunca mais despertar. 

Porém, seus planos mudaram quando Titânia renunciou ao poder e deixou de liderar a Mithril, e de quebra abandonou a guilda, deixando-a sem líderes e nem administradores. iDie assumiu novamente o controle temporário, mas estava cansado e farto de sua imortalidade eterna, precisava parar. Logo deixou o poder  dos cinco notórios para Bonna Party, que encarregou Davy Jones de comandá-los, que odiava compromissos e passou para Presidente, que caiu fora antes que sobrasse para ele e deixou o posto para Sonnen, que, amedrontado, devolveu para iDie.

Irado, iDie decidiu que governaria os Remarkable Five por mais 100 anos. O maior azar de sua vida seria guiá-los como tutor e mentor para sempre, a famosa Máquina que continuou a funcionar até o mundo mudar. Ele precisou de uma eternidade para perceber que amava imensamente o que fazia.

Aerus reuniu seus pertences, juntou tudo numa trouxinha e jogou para trás do ombro. Respirou fundo e arrumou o par de óculos escuros todo remendado com cola e fita adesiva. Estaria saindo em uma nova jornada, e o que esperar? Não era muito organizado, muito menos quanto à longa viagens pelo mundo sem um rumo específico, e nem sabia por onde começar. Fazia tanto tempo que não sentia aquela sensação! Após o fim da Liga, a Fire Tales decidiu que daria um tempo no ramo. Chega de missões, de treinos, torneios e lutas para todo lado. Teria algum tempo em paz para descansar a mente, se é que poderia chamar de descanso.
Quando estava prestes a deixar seu quarto, deparou-se com Watt na porta. O esquilo já parecia aguardá-lo com as malas em mãos.
— Está pronto para uma nova aventura? — indagou Watt com seu sorriso tão cativante.
— Opa! — Aerus concordou com uma risada. — Só acho que... Vou sentir falta daqui, de toda a galera. Meus dias estavam resumidos a vê-los todos os dias, meio que já fazia parte da minha rotina brigar com o Mikau, incomodar o General enquanto ele lê livros e estuda novas táticas, então... Sei lá, vou sentir saudade!
Aerus pegou as duas malinhas de Watt e eles foram andando para fora, descendo as escadas do dormitório. Estava tudo estranhamente silencioso. Talvez todos já tivessem ido embora, cada um para seu canto, e quem saberia dizer quando é que voltariam?
Assim que o dragão abriu a porta, para sua surpresa, deparou-se com General e Glaciallis a aguardá-lo logo na entrada. Mikau e Milena também estavam ali, assim como Chaud, Eva e Tom Sawyer que fizeram questão de que sua primeira jornada seria ao lado dos amigos; Wiki, Marco e Mozilla também já garantiram presença com todo seu entuasiamo; todos os demais membros da Fire Tales estavam presentes, desde os mais ativos até aqueles que só participaram poucas vezes, mas garantiram seu espaço.
Aerus derrubou as malas tamanha a surpresa.
— O que pensam que estão fazendo?
— Vamos sair em uma aventura, não vamos? — indagou General.
— E você quase cometeu o grave erro de não nos convidar... — Mikau balançou a cabeça negativamente num tom de brincadeira.
— Mas, tipo, galera, tipo, mano, caramba! — Aerus começou a gaguejar, segurando os olhos cheios de lágrimas pra não chorar na frente dos amigos. — Eu pensei que iria cada um pro seu canto, que vocês já tinham torrado a paciência de me ver todo dia berrando, e que agora iriam sair por aí viver suas próprias aventuras!
— A gente até ia, até porque entre passar um fim de semana só com a Milena ou um com esse monte de macho e gente esquisita, e com certeza escolheria a primeira opção! — brincou Mikau. — Brincadeira, sei que vocês precisam de mim, caso contrário iriam sentir tanta falta que a viagem perderia o sentido. Hah, hah. Só eu que nunca enjoaria de me ver no espelho todo dia.
Milena aproximou-se de Aerus e segurou em seu ombro.
— Na verdade, estamos aqui sob pedido de uma amiga. Ela fez questão de que os primeiros dias de suas novas férias seria junto das pessoas que ama.
— Quem? — Aerus perguntou, mas sentia que já sabia a resposta.
Watt a avistou primeiro, e seus olhos ficaram cheios de emoção e ansiedade. Uma mulher caminhava em sua direção, trazendo de volta sua bagagem como uma viajante há muito perdida que retorna para seu lar. Mas ela nem teria tempo de desarrumar as mala, porque uma nova vida a aguardava antes de retornar para a boa e velha Fire Tales, seu verdadeiro lar.
A mulher sorriu e parou em frente ao dragão. Pegou as malas dele e as de Watt e jogou para trás do ombro, nem se importando com o peso. Na medida que todos os outros membros da guilda já começavam a rir e conversar, cada um planejava onde passariam juntos suas primeiras férias de verdade, sem pensar em absolutamente mais nada. Logo, aquelas férias acabariam durando mais do que o esperado para completar o percurso especial que cada um desejaria traçar. Eles provavelmente dariam uma volta ao mundo, um grupo de pessoas que, ao olhar de longe, chamava atenção de quem quer que estivesse por perto. Eles se completavam como um quebra cabeça que nunca está pronto caso uma peça seja perdida, tendo todas elas a mesma importância.
— T-T-Titânia... — Aerus olhava para ela num misto de sensações, não sabia se a abraçava ou se batia nela, suas mãos e seu corpo tremiam tanto que os óculos quebrados chegaram até a cair.
A moça agachou, pegou-os do chão e colocou-os no rosto do pequeno esquilo que estava ao lado. Watt saiu correndo na frente, sem rumo e sem direção, apenas sentindo a brisa soprar.
— Vamos logo, senhor Draconeon? Como você demora para tomar decisões, sou eu quem vou ter que voltar a traçar o destino que a Fire Tales deve seguir daqui em diante?
Aerus sorriu e correu para acompanhá-la.
— Seja bem vinda de volta, sua serpente desgraçada! Eu amo todos vocês!!!

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -