Posted by : CanasOminous Jan 19, 2015


CAPÍTULO 9
Delírio e Loucura

Maxie não ousava dizer nada, como se já suspeitasse de uma possível invasão. O homem sacou uma de suas pokébolas e encarou Courtney de forma severa, lançando um Pokémn que tomou a forma de um grande morcego de quatro asas. As criaturas dos líderes eram sempre as mais fortes, mas isso não assustava Courtney, que tinha seu companheiro Swellow em mãos. Estava um clima tenso na sala, Courtney sabia que tinha um tempo escasso para trocar palavras e estaria satisfeita apenas em derrotar seu líder, embora Maxie não demonstrasse sinal de fraqueza em momento algum.
— Você me parece tão cansada, tão indefesa e incompetente... Diga-me, Garota Flamejante, o que fizeste nas últimas semanas que trouxeram-lhe tamanha situação precária? Lembro-me de seu olhar sedutor do passado, coberto de furia e raiva. Mas o que temos aqui agora? Uma mocinha infantil procurando brigar com os mais velhos. É deprimente... — debochava Maxie.
— O Senhor está velho, arrogante, e principalmente, infeliz. Posso estar mais delicada, mas pelo menos não me tornei um ignorante delirante que tem medo de uma garotinha, não é? — dizia Courtney, causando um ódio ainda maior no antigo chefe.
A moça segurou uma de suas pokébolas enquanto afagava os cabelos de Brendan ao seu lado.
— Vamos deixar essas conversas chatas de lado e partir para a violência? Nunca tive paciência com os velhos. — disse Courtney.
— Serei obrigado a dar-lhe educação, menina. — respondeu Maxie de modo austero.
— Venha tirar à prova, então. Swellow, use o Aerial Ace no oponente!
— Crobat, revide o golpe com o Wing Attack!

Um rápido vento surgiu na sala, de modo que das sombras das paredes de rocha uma criatura ameaçadora surgisse. Dotado de quatro asas e garras afiadas, a própria respiração daquele Pokémon era de se temer. O Crobat de Maxie era muito bem treinado, e era evidente que agora o Swellow de Courtney teria problemas em revidar qualquer investida de seu ligeiro oponente.
O Pokémon morcego era mais rápido do que a ave de Courtney, embora Crobat ainda não fosse capaz de esquivar-se dos golpes precisos de seu oponente e receber fortes danos a cada investida. Brendan sacou sua pokébola e laçou seu Mudkip em combate, que apesar de estar sonolento ainda estava disposto a seguir qualquer comando de seu treinador. Maxie deu um rápido passo para o lado enquanto esquivava-se dos ataques aéreos, encarando seus dois oponentes.
— Veja só, a criança causadora de tantas intrigas agora veio até a nossa rede. Devo dizer que este foi o maior problema interno causado dentro dos Magmas, e você é a responsável, Garota Flamejante. — disse Maxie.
— A loucura dominou sua cabeça, sinto em dizer que já chamei esse lugar de lar, mas hoje percebo como fui tola ao pensar que tudo aquilo podia ser chamado de felicidade. — respondeu Courtney.
Maxie deu uma leve risada.
— Tola, não reconhece suas fraquezas quando se deparo com alguém superior? Esta é a minha hora, e já que eu estou vendo que você não vai voltará atrás... Presumo que esteja disposta a encarar a morte.
Maxia pareceu mexer uma espécie de microfone como se chamasse alguém.
— Tabitha, chame seu batalhão completo e apareça em minha sala de comando. Está me ouvindo?
Courtney assustou-se ao ouvir o recado de reforços. Ela poderia lutar contra Maxie sozinho, mas de forma alguma seria capaz de batalhar contra todos os integrantes de uma corporação inteira. O silêncio prevaleceu por um tempo, mas logo, Courtney pôde ouvir a voz de Pierce através do rádio.
— Vá à merda.
Maxie empurrou o aparelho com força para fora de sua mesa, o objeto se quebrou totalmente ao espatifar-se nas paredes de rocha. Seus cabelos vermelhos que outrora sempre estavam arrumados agora estavam bagunçados e estampavam claramente o fato de que o grande líder estava decepcionado. A raiva era evidente, e Maxie não poupou tempo em ordenar um novo golpe.
— Crobat, use Air Cutter naquele verme azul desprezível!!
—   Mudkip, acumule energia com o Bide!
O pequeno Pokémon recebia os poderosos danos do oponente aguentando cada golpe com perseverança. Courtney conhecia pouco de batalhas, mas o tempo que passara com Brendan fora o suficiente para que ela aprendesse algumas técnicas, e assim, ajudar o garoto na batalha.
— Swellow, proteja o Mudkip na batalha e não deixe que os golpes o acertem! Use o Quick Attack para que o Crobat tenha sua atenção desviada!
O Pokémon morcego não conseguia encontrar uma brecha para qualquer movimento, e quando menos esperava, pôde ver o Mudkip exalar uma forte fumaça de seu corpo e partindo diretamente ao encontro oponente. Aquele golpe armazenava energia para em seguida libertá-la com força total para cima do oponente. O Crobat foi lançado contra a parede e teve uma série de rochas caindo por cima de suas asas, fazendo com Maxie ficasse cada vez mais irado.
— Camerupt, ataque!!
O Pokémon do líder era sem sombra de dúvidas o mais poderoso da espécie, o Camerupt de Courtney era bem treinado, mas não passava de uma simples pedra no caminho da lava exalada por um vulcão incandescente. E ainda assim, a moça tinha esperança da vitória.
— Camerupt, acabe com eles utilizando o Lava Plume! — ordenou Maxie em toda a sua ira.
Aquele golpe trazia lembranças para Courtney, ele acertava todos os oponentes em batalha com um magma muito quente. Swellow não conseguia esquivar-se, e nem mesmo Mudkip que tinha uma pele mais resistente era capaz de aguentar tamanho impacto.
Courtney e Brendan também pareciam sofrer com a nuvem de lava que estava formada. O fogo ardente queimava e derretia a mais pura rocha, e o golpe de fogo havia acertado até mesmo Courtney que se esquivava em vão. A moça aos poucos sentia a dor da queimadura em seu abdômen, Brendan tentava ajudá-la, mas sua concentração estava direcionada a ouvir uma risada sinistra vindo de Maxie que parecia perder o controle.
— Vocês serão derrotados!! Derrotados!! E depois serão mortos para que os vermes comam de sua carne embaixo da terra pela eternidade!
— Vai se cuidar cara, você não bate bem na cabeça! — encarou Brendan lançando uma segunda pokébola — Vou fazer você silenciar-se para sempre depois de ter acabado com você. Milotic, vá!
O Pokémon marítimo causou uma grande surpresa em Maxie no momento em que fora lançada, mas o homem não teimava em cada vez mais ordenar que seu Camerupt golpeasse o oponente que aguentava os golpes com um escudo aquático.
— Milotic, use o Water Pulse!
—   Camerupt, continue com o Lava Plume! Queime tudo à sua volta, derreta a terra para que todos sejam aprisionados no abismo do mundo!
O ataque não surtia muito efeito na serpente, mas ainda assim causava um imenso estrago na sala que aos poucos começava a ficar mais quente pelas correntes de magma que se formavam. Maxie parecia ter perdido a razão, e agora apenas ordenava que seu Pokémon destruísse ainda mais aquilo que ele mesmo havia construído.
— Milotic, use o Water Sport para diminuir o dano!
— Você vai morrer, garoto! E depois vai arrepender-se por ter acabado com todos os meus planos! Mas não pense que esse é o fim dos Magmas, pois nós seguiremos com nossos ideais e logo reconstruiremos tudo novamente!! Camerupt, utilize o Magnitude!!
O Pokémon camelo partiu com suas patas diretamente ao encontro do chão, causando um enorme terremoto na cratera. O Magnitude era um golpe de sorte, e pelo visto causara o impacto mais forte possível. A estrutura da caverna parecia estar caindo quando os jovens puderam ouvir o barulho de uma explosão. As pedras que caiam ativaram algumas bombas que pouco a pouco começavam a explodir na caverna e causar enormes estrondos.
A Milotic de Brendan estava assustada, mas Maxie nem mesmo tinha consciência do que fazia para si mesmo, ele apenas ria enquanto glorificava-se da queda dos Magmas. Brendan retornou seu Pokémon e tentou levantar Courtney que mal conseguia mover-se pela dor que ainda sentia. A mulher tinha uma feição de ódio estampado em seu rosto, ela levantou-se com as últimas forças e partiu para cima de Maxie, segurando-o pela gola e dando um soco em seu rosto, forte o bastante para deixá-lo inconsciente.
— Queime com tudo que você criou, seu desgraçado.
Courtney correu para o lado de Brendan que acompanhava a mulher na maior velocidade possível para deixar a área, embora suas pernas não pudessem se mover muito bem pela queimadura que recebera na batalha contra o Camerupt.
— Vamos Courtty, o tempo está acabando e as bombas estão explodindo por conta do terremoto causado!! Ele danificou a estrutura do lugar, a caverna pode explodir a qualquer momento! — gritou Brendan.
A moça apenas apoiou-se na parede sem conseguir respirar muito bem. O ar abafado dos corredores escuros fazia com que ela se sentisse ainda mais exausta. Courtney caiu no chão de joelhos como se desistisse de tudo por um momento, mas Brendan aproximou-se dela e tocou em seu rosto com os olhos umedecidos.
— Por favor, Courtney!! Precisamos ir logo antes que o local exploda!
A mulher deu um leve sorriso, mas em seu rosto era evidente que ela já não estava muito sã do que acontecia a sua volta. Ela também segurou o rosto do menino da mesma forma e encarou-o nos olhos.
— Importa-se de dizer agora aquilo que você havia dito que contaria quando chegasse em sua casa?
— Não, não!! Eu disse que só contaria quando nós dois chegássemos juntos em casa, e eu não vou contar enquanto você não estiver lá comigo! — respondeu ele de modo eufórico.
— Temo que eu nunca mais vá chegar em casa. Acho que não teremos mais como aproveitar as noites escuras em seu quarto para ler livros, da mesma forma que não nos divertiremos mais ao lado dos idiotas do meu batalhão...
Brendan abraçou a mulher não conseguindo conter o choro, Courtney parecia ser como uma irmã para ele, pois o garoto não passava de uma criança aos seus braços.
— Eu não vou sem você! De forma alguma!!
Courtney procurava uma passagem, mas não tinha nenhuma evidência na caverna. Brendan era pequeno, e por isso não teria tempo de carregar a mulher o caminho todo até escapar da base. Provavelmente Pierce os procurava incondicionalmente, mas na velocidade que as pedras caiam era possível que todas as passagens já tivessem sido cobertas. Não havia escapatória.
— Diga àquele desgraçado do Pierce que eu quero que ele tome conta de você até o dia em que você não aguentar mais aqueles três na sua cola. Ouviu? É a minha última ordem para ele, e se você aparecer com uma ferida de novo e juro que acabo com ele. — respondeu Courtney ofegante, como se já não conseguisse respirar muito bem pela grande quantidade de cinzas e poeira naquele corredor.
— O que está dizendo?! Quer que eu a deixe para trás?? Independente do que as pessoas dizem, você tem de ouvir seu coração! Não existe nenhuma barreira para quem realmente deseja algo!! Lembra do livro?! A garota não conseguiu juntar-se ao grupo que sempre sonhou? E no final ela terminou junto o personagem que gostava!!
— Era só um livro, Brendan... Meu coração já foi consumido pelo fogo há muito tempo, não tem como reconstruir.
— Mas é possível emoldurá-lo. Eu esperaria todas as noites para vê-la como uma estrela no céu, mas eu nunca me contentaria em te ver apenas de longe, quero tê-la ao meu lado como todos esses dias que você fez dos melhores em minha vida.
Courtney manteve-se quieta enquanto encarava as rochas caírem ao seu redor. Não sabia se sentia medo, ou se estava simplesmente aguardando que a sua hora chegasse. Ainda era tão nova, e criança em seus braços era mais ainda. Os dois teriam tanto a aproveitar da vida, e aquela situação a chateava. Brendan olhou para a mulher e segurou seu rosto novamente, não conseguindo conter o que já guardava por muito tempo.
— Courtney, eu te amo! Por favor, você foi a única pessoa que despertou tamanho sentimento em mim, e eu sinto que gostaria de ter você ao meu lado para sempre! Por favor, não me abandone!!
Os olhos de Courtney derramavam lágrimas, mas ela não tinha coragem até aquele momento de dizer como realmente se sentia. Ela virou-se na direção de Brendan e deu um leve sorriso.
— Você esperaria quatro anos? Esperaria o tempo que fosse necessário para ficar ao meu lado? — perguntou ela.
— Quatro anos. — afirmou Brendan.
Courtney sorriu e logo deu um rápido beijo no rosto do garoto. Um simples beijo delicado como alguém que pretendia retornar em breve. Ela levantou-se, em seguida encarando uma parede que estava em sua frente com um explosivo aparentemente inativo.
— Siga sua vida e faça o que te faz feliz.
Courtney em seguida retirou seu Swellow que ainda parecia ter pouca energia, mas o suficiente para seguir sua treinadora até o fim. Ela partiu em direção da bomba, de forma que somente fosse capaz ouvir uma grande explosão. Brendan apagou, sua audição estava atordoada pelo forte barulho da explosão. O menino estava muito machucado pelos estilhaços e pedras lançadas; o garoto não teve tempo de negar, não teve tempo de associar o que acontecera naquele instante, tudo que pôde ouvir foi uma grande explosão, e logo, um intenso clarão surgia em sua frente.
Brendan pôde ver um homem carregando-o no colo para fora da base. Ele também estava muito machucado e tinha a parte direita do corpo toda ensanguentada. O homem corria muito rápido, e no momento em que ele pôde sentir a claridade novamente eis que surgiu uma segunda explosão, mas muito maior e de mais intensidade. Brendan agora estava caído no chão de fora da caverna enquanto delirava, pensando ser aquela a última vez que veria as estrelas no céu. 


{ 6 comments... read them below or Comment }

  1. Não entendi a historia dos 4 anos. Ela vai ressucitar?! =D
    Ela morreu mesmo?
    Pierce vai morrer depois de salvar Bredan?!
    SÃO tantas as perguntas eu preciso ler logo o final!
    Ps: Adorei a batalha desse capitulo! Pierce respondendo o radio muito troll XD

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 01/02/12)

    ReplyDelete
  2. Eu acho que entendi a história dos 4 anos. É porque Courtney é muito velha para Brendan, tanto que deveria esperar mais 4 anos para namorar com ele, já que quatro anos depois completaria 18.

    Esse episódio teve uma aventura totalmente extrema! Eu queria que o Milotic desse uma rabada naquele Maxie! Episódio bem bolado!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 01/02/12)

    ReplyDelete
  3. Nossa, cara, quanto suspense, kkkkk. Mas está ótimo, cara. Asssim que é bom. Quanto aos quatro anos, interpretei da mesma forma que o Master. Só não sei se é iss mesmo. Espero que o Maxie tenha morrido, kkkk. Provavelmente, sim, porque com essa explosão...
    Está ótimo o capítulo, e espero ansiosamente pelo próximo!!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 01/02/12)

    ReplyDelete
  4. wow! Que capítulo legal, Canas! Finalmente o Brendan teve a oportunidade de se declarar, ein? Oh, e a maravilhosa Milotic em ação, então? Adicionou bastante elegância à batalha repleta de emoção! Gostei muito do capítulo, e o mistério no final deixou tudo mais emocionante. Está de parabéns, cara. Até mais õ/

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 01/02/12)

    ReplyDelete
  5. A questão do 4 anos é porque Brendan é muito novo, né?
    Cara, que capitulo incrivel e triste =(
    Será que a Courtney morreu? Acho que não, né? Personagens principais quase nunca morrem XD
    Pierce todo ensanguentado D: Maxie se #*&#¨&, Kenji e o Gigante, cade esses dois? MUDKIP!!!!
    O próximo capitulo é o ultimo? D:
    Quando acabar Burning Love, vc vai fazer outra fic aqui na arena? Espero que sim! Suas fics só estão ficando cada vez melhores meu caro amigo.
    Não paro de pensar na Courtney D:>

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 02/02/12)

    ReplyDelete
  6. Manolito, esse episodio foi o melhor até agora, drama, ação, suspense, romance foram tanto os genêros que mal poso esperar pelo próximo capitulo. 4 anos, 4 anos de espera pela volta da Courtney, e o Pierce, foi muito troll a resposta pelo radio: "Vá a Merda" rsrsrs, e o Brendan, ele deve estar muito acioso pela volta de sua futura amante... Espero o próxmimo capitulo com muita ansiedade.

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 02/02/12)

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -