Posted by : CanasOminous Dec 16, 2014


CAPÍTULO 7
Revolta

Courtney continuava a encarar o jovem com insegurança. Em sua mão direita tinha uma faca, enquanto a outra cobria sua face evitando que as lágrimas caíssem. Como sentir tanto afeto por uma criança que conhecera há poucos dias? Aquilo era impossível, mas qual era o motivo? Brendan fora a única pessoa que não julgara Courtney pelo que ela era, independente dela não saber escrever, ler, ser ignorante e grossa... A criança não enxergava os pontos ruins, tudo que ele via era a parte boa daquela mulher. Courtney sussurrava em vão, praguejava em tristeza por não poder cumprir sua tarefa e voltar a sofrer novamente. Seu choro foi capaz de acordar Brendan, que se virou na cama deparou-se com Courtney aos prantos.
— Eu sabia que você ia voltar. — disse o garoto, ainda sonolento.
Aquelas palavras faziam todo efeito na moça. Ela largou a faca no chão que foi diretamente ao encontro da madeira, ajoelhando-se e então se debruçando sobre a cama de Brendan, sem conseguir conter o choro. O garoto rapidamente ligou a luz e colocou sua mão sobre a cabeça de Courtney, preocupado por ver sua amiga chorar sem motivo aparente. Ela chorava como nunca fizera antes, não sabia se era pela dor de algo, ou se por alguns minutos ter acreditado que seria capaz de matar aqueles que amava.
Nesse instante, seus companheiros de batalha entraram nos aposentos. Provavelmente eles estavam acordados aguardando o retorno de sua chefe, e ao menor sinal de sua presença, rapidamente correram para ver se tudo ocorria bem. Pierce estava apenas de calça e parecia preocupado ao ouvir o choro de uma mulher vindo do quarto de cima. Donny usava uma regata branca e Kenji vestia um moletom de cor preta. Todos pareciam ter ouvido o choro de sua chefe, mesmo que de forma abafada.
Pierce era quem estava claramente mais irritado. Era raro ver o homem perder sua expressão descontraída e substitui-la pelo ódio, mas quando incomodavam seus amigos aquilo seria o suficiente para causar sua fúria.
— Por que a minha chefia está chorando?? Quem foi o desgraçado que fez a minha princesa chorar? — gritou Pierce.
Kenji correu em direção de Courtney para consolá-la. Brendan continuava sentado na cama preocupado e sem entender muito bem o que havia acontecido, pois sabia que Courtney era uma garota forte, e ela nunca choraria por qualquer motivo.
— Courtty, o que houve? — perguntava Brendan aflito.
Eram tantas lágrimas que ela nem mesmo conseguia responder. Tinha vergonha de mostrar seu rosto, estar naquela situação fraca era deprimente. Queria se esconder, mas ao mesmo tempo consolar-se nos braços de seus amigos. Kenji era atento, e mesmo na nebulosidade do quarto ele foi capaz de notar uma pequena marca de sangue nas vestes de Courtney. O rapaz aproximou-se dela e pediu licença para que pudesse levantar um pedaço de sua camiseta, notando então bandagens mal feitas que cobrissem uma grande quantidade de sangue.
— Senhorita, o que aconteceu? — perguntou Kenji assustado, começando a examinar a garota com os poucos recursos de primeiros socorros que conhecia.
Ao retirar as bandagens, o “M” da equipe Magma era bem nítido em seu abdômen. Os olhos de Pierce pareceram ficar dominados pelo ódio, até mesmo Donny que normalmente tinha uma personalidade calma e tranquila agora parecia furioso com algum motivo. Brendan estava pasmo, parecendo ainda não entender o motivo daquela ferida em Courtney.
— O que aconteceu? De onde surgiu isso?! — perguntou o garoto.
— Eu sinceramente não esperei que esses canalhas fossem capazes disso. — irritou-se Pierce.
A atenção de todos foi voltada para Courtney que tentava falar algo. As lágrimas evitavam que muito pudesse ser dito, mas as poucas palavras da moça conseguiam explicar tudo que acontecia.
— Minha missão era matar o Brendan... E eu não fui capaz de cumpri-la... Eu nunca serei capaz de cumpri-la, me perdoe... — disse ela aos choros, tentando esconder seu rosto novamente.
Brendan pôde notar a faca caída ao lado de sua cama. Por um momento não soube se sentia tristeza ou amor por Courtney, a garota estava incumbida de mata-lo, mas ao mesmo tempo não foi capaz de realizar tal feito.
— Courtney, isso é verdade? — perguntou Brendan, agachando ao lado da garota na tentativa de olhá-la nos olhos. Courtney apenas acenou positivamente — Quem pediu para que você fizesse isso?
— Nosso chefe, o líder do Team Magma. Eu sinceramente nunca imaginei que ele fosse capaz disso, algo tão imundo e indigno de seu feitio. — suspirou Kenji arrependido.
Pierce cerrou seus punhos com ódio.
— Eu vou lá tirar satisfação.
— N-Não!! — gritou Courtney, levantando-se no mesmo instante — Por favor, não quero que ninguém sofra por mim, eu só quero terminar com isso.
— Eles humilharam você, princesa. Eles humilharam a mulher que eu amo, eles humilharam a minha própria família. Eu não vou descansar enquanto não causar uma guerra dentro daquela corporação.
— Donny não gosta que machuquem os amigos. Donny vai acabar com eles. — disse o homem.
— Nós estamos em total desvantagem, deve ser uns duzentos contra apenas três, mas não tem problema. Estou disposto a apanhar para vingar o que fizeram em minha Senhorita. — disse Kenji, ajeitando seus óculos.
— Eu nunca permitirei o que esses caras fizeram com a Courtney. No fim de tudo ela decidiu me proteger, e desde o princípio, eu faria de tudo para protegê-la. Eu estou dentro. — continuou Brendan.

Courtney estava caída no chão. Sua verdadeira família se uniria para salvá-la, as únicas pessoas que a acolheram nos dias difíceis e lhe deram apoio. Em momentos como aquele ela percebia quem realmente estava de seu lado. As lágrimas haviam cessado, pois ela já havia chorado tudo que faltara durante sua vida. Agora era tempo de recompor-se e voltar a ser a Courtney que comandava os Magmas.
— Eu não uso mais este símbolo... — disse Courtney, rasgando o logo dos Magmas ao meio, de uma ponta à outra — Se eles querem arranjar encrenca então vamos acabar com esses caras. Estamos em minoria, mas a minha única vontade é dar um soco na cara do Maxie, pelo menos uma última vez.
— Tchê... Eu sempre quis detonar aquele lugar. — divertiu-se Pierce.
— Conheço algumas passagens secretas e pontos estratégicos, sei como entrar em nossa base e causar uma inundação por meio das fontes termais de Lavaridge, mas eu apelaria para explosivos. — disse Kenji.
Brendan aproximou-se da mulher e deu um longo abraço. Courtney retribuiu de forma calorosa, mas em seguida Pierce não perdeu chance para intrometer-se na cena.
— Ahh, agora eu também quero abraçar a chefia! Faz quatro anos que trabalho com ela e o mais perto que cheguei foi um aperto de mão. Será que dessa vez você me daria a permissão de pelo menos te abraçar? — brincou Pierce.
— Se você me abraçar arranco seus braços fora. É exclusivo do Brendan.
— Ahh, vai ser por uma boa causa!! — respondeu o homem, abraçando a mulher.
— Não seja egoísta, Senhorita. Nós só queremos o seu bem. — disse Kenji.
O grupo reuniu-se em um caloroso abraço, Donny era forte o bastante para carregar todos os seus companheiros seguidos de sorrisos e risadas confortantes. Courtney sabia que agora estava no lugar certo, que era ao lado das pessoas que amava. Um completava o outro, e apesar de cada defeito e cada buraco deixado em seus corações, eles estariam juntos até o último momento.
— Vamos nos preparar e atacar a base dos Magmas assim que possível. Estou ardendo em chamas, e não vou sossegar enquanto não acabar com eles. — disse Courtney tentando caminhar, embora a ferida em seu abdômen ainda doesse muito.
— Senhorita, sugiro que descanse por hoje. Amanhã podemos iniciar um rápido treino e montar uma estratégia para invadir nossa base. — disse Kenji.
Courtney concordou com a ideia e decidiu descansar naquela noite. Seus olhos pregavam pela longa caminhada do dia e por todas as dificuldades que passara, ela quase não conseguia se mover. Pierce caminhou até a moça e pegou-a no colo, sem maiores dificuldades, colocando-a para deitar-se na cama de Brendan em seguida.
A moça abriu seus olhos com muito esforço para ver quem a carregava, e ao ver Pierce, ela revelou um singelo sorriso:
— Você não disse que eu era muito pesada...?
— A gente faz um esforço por aqueles que ama. — respondeu ele com um sorriso.
Courtney não tardou em adormecer, e logo, os rapazes deixavam o quarto para que sua superior pudesse descansar. Brendan decidira não dormir em seu quarto, pis Courtney agora ocupava toda a cama, mas para ele não havia problemas em dormir na sala. Os três homens se mantinham quietos enquanto refletiam sobre aquele ocorrido, os Magmas também já foram sua casa, mas ver sua amiga ser ferida de forma tão cruel era revoltante, e por isso não tardariam em procurar vingança.
— Eles vão voltar e finalizar o serviço. — presumiu Kenji.
Kenji parecia estar a todo momento de olhos atentos para qualquer movimento suspeito nas redondezas, olhando para as janelas e suspeitando de qualquer luz incomum na área. Donny permanecia sentado em um dos sofás na companhia de Brendan, enquanto Pierce parecia ter saído da casa.
O garoto levantou-se em procurou pelo homem, mas não o encontrava. Quando decidiu voltar para a casa ele pôde ver alguém descansando no telhado, e lá estava Mattson Pierce. Brendan tinha dificuldades para subir o muro e chegar no telhado também, mas quando se aproximava ele pôde ouvir uma voz austera e grossa ecoando ao vento:

Bem distante, além das montanhas do norte
Nas cavernas antigas, agindo à própria sorte
Uma força exuberante, antiga e descomunal
O fogo ardente, combatendo um temporal
E vem a luz, surge a semelhança
Confinada numa torre, de eterna esperança

Brendan sorria enquanto ouvia aquele pequeno trecho da canção, mas logo o homem se deu conta de que era observado, dando uma risada descontraída na sequência. Pierce esticou sua mão para o garoto que finalmente subiu no telhado.
— Você canta muito bem. — disse Brendan.
— É uma canção antiga, conhecida pelos historiadores e sonhadores. Ela retratava a eterna luta entre os guardiões de Hoenn. — comentou Pierce, observando o céu enquanto tinha seus braços esticados atrás de sua cabeça — Foi por esse motivo que entrei nos Magmas, sempre procurei saber tudo sobre a história dos lendários guardiões. Mas hoje vejo o mal por trás desses idiotas, e acho que dessa forma todos os sonhos de minha infância foram pro água abaixo...
— Acho que você não deve ter seu sonho ofuscado pelos outros. Basta ter força de vontade e lutar por aquilo que deseja. — respondeu Brendan, deitando-se no telhado junto com o homem.
— É, pivete, amanhã vamos detonar a base daqueles caras.
— Eu já sou um soldado como vocês, aguento o que vier!
— Hah, hah, hah! Isso mesmo carinha, estou gostando de ver!
Pierce preparava-se para descer, mas neste momento ele Brendan virou-se e procurou dizer-lhe algo.
— Desculpe-me a intromissão, mas o que a Courtney é de você?
Pierce não olhou para trás, apenas deu um sorriso descontraído de costume e tornou a falar:
— Ela foi a mulher que eu mais amei na vida, mas acho que eu a perdi com todas as cagadas que eu sempre faço.

Pierce havia descido o telhado na companhia de Brendan, os dois se direcionavam à casa, mas pareciam não fazer ideia do que poderia estar acontecendo naquela noite turbulenta. Courtney permanecia adormecida no quarto, e aos poucos os soldados também começavam a ceder pelo sono. Donny já dormia sobre o sofá, enquanto Kenji cochilava sentado sobre uma cadeira, lutando para manter a vigia naquela noite. Brendan também se deitou na cama, não demorando muito para adormecer, enquanto Pierce sentou-se sobre o sofá com os braços esticados.
O homem desligou as luzes e permaneceu por um tempo olhando para fora da janela com cautela, imaginando ter visto algum vulto nas redondezas. De repente, uma rápida sombra pôde ser vista correndo pelas ruas pouco iluminadas, o que imediatamente chamara sua atenção.
— Eles estão vindo.
Pierce empurrou a cadeira de Kenji para acordá-lo, de modo que o rapaz logo desse conta do que estava para acontecer. Algo sutil movia-se na escuridão de Littleroot, quando de repente, um barulho silencioso pôde ser ouvido atrás da porta. Parecia que alguém tentava destrancá-la com imensa cautela, mas os soldados pareciam preparados para uma invasão.
Não demorou para que cinco homens vestidos de negro e vermelho entrassem na casa carregando facas e armas. Eles rapidamente avançaram contra as camas na entrada, mas aparentemente não havia mais ninguém deitado lá. Um som misterioso pôde ser ouvido de dentro da casa, de modo que um Golbat rapidamente voasse em direção dos criminosos e os espantassem para fora.
Os ladrões recuavam tentando espantar o Pokémon morcego, mas logo se trombaram com um homem gigantesco logo atrás. Donny deu uma rápida sequência de socos que derrubou dois ladrões no mesmo instante, seria Lairon servia de apoio para derrubá-los, e não permitia que ninguém se levantasse a menos que ele quisesse. Antes que os outros pudessem dar conta do que acontecia uma criatura misteriosa parecia tomar controle de seus movimentos. O Claydol de Pierce havia dominado os criminosos, dando tempo para que seu chefe e Donny rapidamente terminassem o serviço com os outros três.
— Desgraçados, eu sabia que viriam para terminar o serviço. — disse Kenji com desgosto, saindo dr seu esconderijo na casa com seu Golbat e investigando as vestes dos ladrões, chegando à conclusão de que realmente eram do Team Magma.
— O Maxie nos queria longe da corporação para que Courtney ficasse mais sucessível e eles pudessem atacá-la com mais facilidade, mas ele não esperava que nós fossemos continuar seguindo caminho com ela. — concluiu Pierce.
Donny estalou suas mãos e em seguida amarrou os cinco ladrões para deixá-los próximo da estação policial mais próxima. Brendan parecia assustado em ver criminosos invadindo sua casa com o intuito de finalizar o serviço, mas por sorte, ele tinha seus amigos ao seu lado.
— Eu e a Courtty poderíamos estar mortos se vocês não estivessem aqui. Obrigado, pessoal. — disse Brendan.
— Aí pivete, é melhor todo mundo voltar a dormir por hora. Fica tranquio porque vamos manter a guarda noturna, mas você precisa estar recuperado para amanhã. — disse Pierce.
Embora quisesse proteger Courtney, Brendan sabia que não serviria para nada se no dia seguinte continuasse exausto. Ele logo voltou para a casa, mas no caminho, pôde ver uma pequena caixinha com um envelope azulado.

“Para meu sobrinho, Brendan.”

O garoto parecia atônito, não acreditando no que acabara de ver. Aquele presente parecia ter algo muito esperado, de forma que ele quase gritasse de alegria assim que viu a caixa.
— E-Eu não acredito que ele mandou mesmo!!
Brendan pegou o presente e logo entrou na casa com um enorme sorriso em seu rosto. Aquela caixa escondia a chave para a vitória contra os Magmas, pois ela guardava uma criatura forte o suficiente para derrubar qualquer barreira de fogo. Vindo das regiões longínquas dos riachos solitários de Hoenn, aquela caixa continha um presente digno de líderes, ou de qualquer treinador campeão. A noite estendeu-se, mas logo o sol anunciaria a chegada de um novo dia e uma surpreendente batalha.

{ 5 comments... read them below or Comment }

  1. Capítulo muito bom, qual será o pokémon poderoso que o tio de Brendan havia mandado? Adorei a forma de luta de Donny, Pierce e Kenji, e sei que com toda a equipe formada, eles poderão derrotar os Grunts da Equipe Magma na certa. Estou ancioso para o próximo episódio!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 18/01/12)

    ReplyDelete
  2. Manolo, a Courtty decidiu não matar o Brandan, é ela honra seu posto. Cinco bandidos armados perderam para três pessoas? Nuss, que bando de incopetentes (claro por que são três grandes membros do team Magma) Então os Magmas irão sucumbri loso, estou doido para saber que pokémon poderoso é aquele que o tio do Brandan mandou para ele.
    Bem fico por aqui.
    Assinado: João_Victor

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 18/01/12)

    ReplyDelete
  3. dae canas!
    Um dos melhores capitulos!
    Maldito Maxie! :@
    Pierce é fodão ae! Batendo nos caras tudinho u_u (sei que foi oDonny)
    Quero ver eles fazendo fanfarra na base Magma!
    Aguardo próximo capitulo

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 19/01/12)

    ReplyDelete
  4. Canaaas, mano desculpa por demorar pra comentar. Eu esqueci que você posta os capítulos às quartas, man. Sorry T.T. Mas vou te contar... O capítulo foi show! Fico muito feliz que Courtney tenha feito a escolha certa. E Pierce conquistará sua chefe? E foi muito intrigante a chegada dos ladrões na casa do Brendan. A mãe dele deve dormir igual um Slaking! kkk. E qual seria a arma secreta de Brendan? Kiogre? Milotic? Só sei que estou ansioooso. Até mais, cara ;)

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 19/01/12)

    ReplyDelete
  5. Muito criativo esse episódio, principalmente a parte final do pokemon que poderia vencer os magmas. Bom, continue assim, que está ótimo. Dá para perceber a evolução em cada episódio.
    Parabéns!!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 20/01/12)

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -