Posted by : CanasOminous Feb 3, 2015


Esta é a história da última aventura do dragão guerreiro...
A gente já sabe, Aerus... Você já repetiu isso no título.
— Que saco, Mikau! Eu odeio quando vocês me interrompem, e toda vez que eu tento começar minha história algum infeliz sempre tem que me interromper...
Alguém quer pipoca?!
Aerus nem conseguiu diferenciar de quem era aquela voz quando recebeu uma enxurrada de pipocas em sua direção. Teve de se desviar e fazer como fazia quando estava prestes a entrar em uma batalha, usava de sua agilidade para impedir que as pipocas o acertassem na medida que cortava todas em pequenos pontinhos brancos sortidos, utilizando suas lâminas afiadas. Uma pipoca escapou então e acertou bem no meio de sua garganta. Ele caiu no chão, debatendo-se histericamente.
Augh! Gaaah, ugh... Quase engasguei, cara. Fui derrotado por uma pipocada na cara — grunhiu o dragão, remoendo-se. — É o fim, nós fomos derrotados... E justo quando estávamos tão perto da vitória!
— Chega de drama, parceiro — Mikau reclamou, puxando-o pela gola e dando alguns tapas em suas costas para ver se a pipoca saía, ou só pelo gosto de bater nele. Aerus voltou a sentar-se ao seu lado. Em seguida, recebeu uma taça de vidro requintada com uma agradável coloração azulada, especiaria preparada pelo próprio Kingdra com um sabor de framboesa.
— Qual o teor alcóolico? — perguntou Aerus.
— Para alguém que terminou sendo derrotado por pipocas, irrelevante — o atirador respondeu, cruzando as pernas e esticando os braços enquanto apreciava a vista daquela noite estrelada.
A lua brilhava lá em cima, e nenhuma nuvem os impedia de vislumbrar as obras da galáxia de Arceus. Este era um evento especial para a Fire Tales, um luar que era festejado todo fim de ano, embora dessa vez fosse comemorado por conta de uma certa ocasião especial. Sua vitória! Não apenas os membros das guildas, mas amigos próximos e conhecidos foram convidados. A Fire Tales tinha motivos de sobra para comemorar depois de tudo que haviam passado.
Aerus virou o drink de uma vez, subiu em cima da mesa de forma meio desengonçada, bateu palmas e falou alto para que todos o ouvissem.
— Ei, ei! Eu exijo um minuto de atenção, fui eu que convidei todo mundo para ouvir a minha história, e ninguém quer me deixar terminar!
— Acho que a memória dos nossos amigos ainda está fresca, porque da última vez que você tentou contar uma história ela não recebeu a maior das aprovações... — comentou Watt, discreto.
— Galera, galera, atenção! É o líder de vocês falando aqui! — Aerus continuou, mas a barulheira era tanta que as conversas só cessaram quando um homem de capa e cavanhaque levantou-se e deu um berro, batendo com o punho forte na mesa.
— SILÊNCIO!
A voz austera ouvida partiu diretamente de Ereon, um dos dragões mais poderosos e respeitados da região. Ele e sua esposa haviam sido convidados pelo próprio Aerus que muito os estimava, e quando o Salamence falava, os demais demonstravam respeito e se calavam. O Garchomp estava com as mãos unidas, observando tudo contente e ao mesmo tempo amedrontado. Imaginou se algum dia seria temido e respeitado o bastante para que conseguisse fazer aquilo.
Caham... Pois bem. Dessa vez pretendo seguir com a minha história sem interrupções, se me permitirem... — Aerus falou meio sem jeito. Pelo menos não o interromperam mais. — Então, ela começa agora.
Esta é a história da última aventura do dragão guerreiro.
Em terras ermas e de calor insuportável, surgiu a criatura mais poderosa do mundo. O corajoso, astuto, sublime, incrível, o mais foda personagem que já foi lembrado em qualquer livro ou história milenar... O Dragão Guerreiro.
— Dragão Guerreiro não é o nome do Kung Fu Panda? — perguntou Sly, o Machamp, que geralmente só era visto de boca fechada e quando abria era para fazer algum comentário desnecessário como aquele.
Aerus não deu trégua e logo continuou.
O Dragão Guerreiro era uma criatura solitária que já passara por tudo na sua vida. Vira as montanhas mais altas e explorara os oceanos mais profundos do mundo, mas nunca encontrou a paz que procurava... Pelo menos, não sozinho.
Certo dia ele percebeu que chegava a hora de expandir seu legado, e assim, passar todo seu aprendizado para um filho ou herdeiro. Andou procurando por princesas desaparecidas no buscapé, e achou uma de aparência bem aceitável num lugar não muito longe dali, perto da praia, então ainda teria tempo de pegar um bronzeado antes de salvá-la. Estava disposto a resgatar a doce princesa que vivia aprisionada em uma torre bem alta, muito além das nuvens, onde aguardava a chegada não de seu príncipe encantado, mas de alguém capaz de fazê-la feliz para sempre, que nem os contos de fada e toda a viadagem que possuem.
— Cara, isso foi grosseiro... — comentou Marco.
— Verdade — acompanhou Mozilla. — Por que sempre tem que ser uma donzela em perigo? Por que não invertemos os papéis e colocamos um príncipe meigo preso na torre, enquanto uma feiticeira das trevas segue junto de seu exército sombrio para uma batalha interminável para roubar o coração do príncipe da princesa esnobe que de fato não o merece?
— Agora sim a história está ficando interessante — continuou Wiki.
Everyone must DIE at the end — respondeu Vista.
— Calem a boca porque a história é minha e eu conto ela do jeito que eu quiser — resmungou Aerus. — E tem mais, ainda nem cheguei na melhor parte.
— Me acorda na hora da guerra — disse Mikau, virando-se de lado para tirar um cochilo.
— Uma torre em uma praia, interessante. — Al Capone parecia realmente curioso sobre o enredo. — Por um acaso a princesa estava aprisionada em um farol?
— O farol deve ser assombrado, tive muitos amigos que decidiram morar em faróis — continuou General.
Karl levou a mão até seu rosto.
— Meus ouvidos nem merecem ter que ouvir essa história inteira, mas só vou ficar porque se não a Sophie vai mandar eu ir dormir cedo.
— A princesa podia estar presa em uma gruta fedorenta — sugeriu Eva.
— Ieeck! E se aparecerem polvos marinhos para capturá-la? — pensou Tom Sawyer.
— Aí é onde eu entro na história, porque tentáculos são tudo de bom! — continuou Wiki com certo ar malicioso.
— Continua logo essa merda! — Mikau voltou a gritar, os ouvidos tampados.
Enfim... Protegendo o castelo da princesa existia uma serpente chata e muito maléfica que engolia os soldados e destruía qualquer um que tentasse se aproximar, e...
— Não era uma torre? — o comentário de Sly se perdeu na barulheira que veio a seguir.
— UH! Eu sei quem é! — Eva ergueu-se animada, mas Chaud abaixou a mão da menina insinuando que seria melhor ela ficar quieta.
Um silêncio formou-se na roda de amigos, apenas a brasa da lareira se movimentava. Foi então que alguém lá do fundo se manifestou:
— Repetindo a mesma história da primeira vez, Aerus Draconeon? — indagou Titânia, apoiando-se em seus joelhos enquanto descansava a cabeça. — Ainda me lembro da primeira aventura desse Dragão Guerreiro bobinho e, pelo visto, ele ainda não aprendeu nada depois de tanto apanhar da serpente.
— Desencana, Tih! Dessa vez eu bolei um final alternativo que vai fazer todo mundo se surpreender.
— Você morre no final? — perguntou Mikau.
— O Duke morre no final — concluiu General.
— TODO MUNDO MORRE NO FINAL! — gritou Vista.
— NÃO! Parem de tentar adivinhar o fim da história e ouçam, porra!
Então... O Dragão Guerreiro foi até a torre/castelo/farol amaldiçoado e tentou derrotar a Serpente de Ferro. Ele apanhou tanto, mas tanto, mas tanto que até perdeu o rumo da casa. De que adiantava ser conhecido como uma lenda e explorar o mundo inteiro, se não conseguia nem ganhar de uma serpentinha de merda? (Lembrando que ela era gigante, tá?) O comentário fazia os demais rirem ao seu redor, só que isso só incentivou o jovem dragão a tentar mais uma vez, e quando ele aproximou-se o suficiente para ataca-la despercebida, ele percebeu que a serpente estava profundamente triste e solitária.
Aquilo fez seu coração amolecer. Lá no fundo, tudo que a serpente malvada queria era companhia, mas fora aprisionada a proteger os outro, então ninguém nunca valorizava seu esforço, e esta era a sua sina.
Decidido então a resgatá-la de tal tormento, o Dragão Guerreiro decidiu por iniciar uma demanda de salvação.
Ele retornou para seu vilarejo e reuniu os melhores guerreiros que uma vez o auxiliaram em suas aventuras no passado. Eles formaram então a Sociedade Itinerária de Salvação das Serpentes Negligenciadas pela Organização dos Humanos, também conhecida como operação S.I.N.N.O.H. Tanto é que, ao apanhar da serpente na primeira vez, o dragão percebeu que quem ele realmente queria nunca fora a princesa...
— Aquela serpente ainda será minha — dizia o Dragão Guerreiro.
— Ohh, ele não é fofo? Está apaixonado! — disse Milena.
— O quê? Claro que não, estou só tentando contar uma história que eu inventei da minha cabeça... Tipo, não é como se isso tivesse acontecido ou se eu quisesse que acontecesse. E tem mais, qualquer semelhança com pessoas conhecidas é mera coincidência!
— Não caia nessa história de paixão. Você sempre termina com filhos pra cuidar — respondeu Milady, meio emburrada. — E eles crescem, e começam a virar criancinhas barrigudas e catarrentas, e sua vida começa a virar uma...
— Uma maravilha! — interrompeu Isaac. — Os filhos certamente são a maior benção em nossas vidas, principalmente quando podemos acompanhar seu crescimento e vê-los se tornarem importantes para o mundo.
— Filhos?! Qual é, ninguém tá nem falando de filho — rugiu Aerus, com o rosto extremamente ruborizado. Ele notou que Titânia também desviara o olhar, mas dava aquele sorriso encabulado que só ela conseguia dar, principalmente porque depois tentava disfarçar e acabava ficando mais na cara ainda. — Podem parar, vocês estão confundindo a minha história toda... Nem lembro mais onde eu parei. Ah, sim.
— Aquela serpente linda... um dia será minha!
— Por que você não vai lá contar para ela o que sente então? — disse uma segunda voz que assustou o dragão.
— Quem é você? E quem lhe deu permissão de aparecer na minha história?!
— O senhor recrutou vários guerreiros poderosos para a operação S.I.N.N.O.H., então eu vim para ajudar. Meu nome é Bola de Pelos, e eu sou um esquilo com poder sagrado da Explosão de Fofura que ninguém pode resistir.
— Isso é fofo demais! Desculpe ter levantado a voz e duvidado de você. Diga-me, nobre bolinha felpuda, quem trouxe consigo nesta demanda?
— Então, é uma lista meio grande... Eu trouxe um pinguim que serve de saco de pancada, um cavalo marinho que atira pelas mãos (mesmo sem ter mãos), uma cobra d’água que pode ficar fora d’água, uma mariposa que tem medo de fogo, um dinossauro fossilizado, uma lesma, uma rosa murcha, dois fantasmas, uma libélula, um sapo sádico, um ovo falante, uma macaca dançante, uma enfermeira gostosa, um corvo sem um olho, dois disquetes usados, um computador sem CPU, um unicórnio de pedra, um cachorrinho fofo do sertão, uma gatinha com poderes psíquicos, um extintor de incêndio do inferno e um dragão de ouro.
— Puxa vida... — o Dragão Guerreiro parecia impressionado. — Já temos um verdadeiro exército para marchar e resgatar a serpente!
— Certamente, meu senhor, então só falta chegarmos lá e domarmos seu coração! — continuou o esquilinho.
MAS, como toda história que se prese e recebe um plot twist pouquinho antes do final, justamente quando o Dragão e a Serpente perceberam que poderiam ficar juntos eis que surgiu uma galerinha do mal para badalar essa turminha do barulho! E eles também eram conhecidos como... Retarded Five. Os cinco retardados.
O silêncio se formou, e todos os membros da Fire Tales viraram-se para onde estavam seus convidados, os integrantes da própria Remarkable Five.
iDie estava sentado de pernas cruzadas ouvindo a história atentamente (ou recarregando as baterias sem que ninguém notasse); Sonnen e Davy Jones atacavam alguns petiscos espalhados na mesa para o lanche; Tashiki fumava um cigarro e a última coisa que deveria estar ouvindo era a história de Aerus; Bonna preocupava-se mais com a pequena Elba que caminhava para o colo de todos os desconhecidos, enquanto Presidente estava próximo demais de Glaciallis para sentir qualquer coisa que não fosse um friozinho no coração.
Titânia soltou um suspiro, movendo os lábios para seu companheiro como se insinuasse: Pega leve. Aerus logo retomou o rumo de sua história, mesmo que ninguém estivesse prestando atenção.
Os Retarded Five eram um grupo bacana, mas sendo legais ou não, eles ficavam no caminho do dragão para conquistar o coração de sua amada serpente. Em sua composição havia o temeroso cavaleiro fantasma, uma cobra peçonhenta de veneno mortal, um espadachim que movia-se tão depressa que parecia ter cinco braços, uma velha água-viva com tentáculos intrigantes e um tanque de guerra... E para piorar, a princesa ficou muito brava por não ser a mulher mais desejada do mundo e revelou-se por ser na verdade uma Feiticeira das Chamas.
Resumindo: Enquanto o grupo do Dragão Guerreiro tinha pinguins bobos, esquilos fofos e cavalos-marinhos folgados, seus inimigos tinham um poderio equivalente a uma bomba atômica.
— Quem é a princesa das chamas? Não estou reconhecendo — comentou Sonnen, até que Davy Jones cochichou em seu ouvido. — Ahhh, sim... Então é uma espécie de princesa disfarçada de bruxa?
— Minha filha não tem idade para ouvir esse tipo de história, senhor Aerus Draconeon... Você vai se responsabilizar por qualquer efeito colateral no crescimento dela — comentou Bonna Party.
— Titio Aerus, vai todo mundo morrer na sua história? — perguntou Elba.
— Claro que não, minha doce menina — Presidente comentou de maneira acolhedora. — Toda história deve ter um final feliz, e se não tiver, a gente mata o autor.
— A gente pode envenenar a bebida dele, ou ameaça-lo de morte e obriga-lo a fugir para as Sevii Islands — sugeriu Tashiki, tragando seu cigarro. — E depois jogar fogo nas ilhas, porque ele não teria como escapar.
Aerus estava fazendo uma careta de espanto ao ouvir todas aquelas ideias.
— Acho que... Acho que é melhor eu mudar o final então.
E assim, iniciou-se uma guerra intensa onde cada um lutava pelo ideal que possuía. O grupo da S.I.N.N.O.H. ansiava por roubar a cobra que protegia a princesa malvada, e os Retarded Five a protegiam sem imaginar que na verdade a facção inimiga só queria levar a serpente embora.
O Dragão Guerreiro, poderoso e temido como era, estava para detonar geral quando optou por dar uma trégua e reunir todo mundo em sua casa pra fazer um churrasco e falar mal da vida alheia no domingo. Interessados na proposta, a guerra logo acabou sem mortes. Ninguém morreu, e quem morreu reviveu depois (pronto). Ele pegou a serpente, colocou-a no ombro, e saiu pulando contente, de volta para seu ninho do amor onde eles possivelmente viveriam felizes para sempre.
— Tecnicamente, dragões e serpentes podem acasalar? — questionou Watt.
— Talvez nasça um esquilo desse amor — continuou Seth, escondendo uma risada.
— Cara, e cadê o resto dos personagens?! Já acabou essa merda de história? — resmungou Karl. — E o Ovo Malandro Falante? E a Macaca Animada Dançante?
— Filhote, sem rimas toscas, por favor. Só eu fico envergonhada quando isso acontece no meio de algum parágrafo mesmo que sem querer? — perguntou Sophie.
— Eu não aceito que termine assim, tem que ter mais! — gritou Lyndis.
— ISSO! Quem sabe uma segunda temporada? — Tom Sawyer parecia empolgado com a ideia. Adorava todo o tipo de história, e enquanto só precisasse ouvi-las não teria trabalho algum. — Mais uns 200 capítulos das Aventuras do Dragão Guerreiro estaria ótimo. Eu peguei a história da metade, mas tava achando muito batuta, sô! Quero mais.
— Calma, galera, calma... Eu só queria fazer suspense, a melhor parte nem chegou! — Aerus revelou, retomando de onde havia parado. Ele engrossou a voz, e por fim anunciou:
E foi então... que o Duke morreu.
FIM.
— HAHAHAHAHAH! Porra, cara, o Duke tem que sempre morrer no final! — Mikau riu alto, sem conseguir se segurar.
— Quem é Duke? — Beliel perguntou olhando para os lados.
— Mamãe, eles estão fazendo bullying comigo... — O pobre pinguim choramingou, puxando a barra da saia de uma mulher ao seu lado.
— E-Eu não sou a sua mãe, querido... Eu sou a Milena.
— O QUÊ?! A Milena teve um FILHO?!! — Mikau levantou-se pasmo com um grito. Quase engasgou ao pensar ter ouvido algo que não gostaria.
— Depois desse final acho que eu fiquei até com dor de barriga... — disse o pobre Marco, deitando de bruços na grama.
Let me get outta here before I kill someone... — reclamou Vista, indignado.
O Garchomp se divertia com a ira de seus amigos e como eles haviam odiado o final de sua história, mas logo todos começaram a se dispersar para ir embora. Talvez a revolta tivesse sido grande demais, talvez tivessem coisas mais importantes a serem feitas.
— Ei, galera, calma aí! Não vamos contar mais histórias? Eu queria contar para vocês a verdadeira Última Aventura do Dragão Guerreiro. Quem quer ouvir?!
— Meu caro Aerus — Ereon o chamou e colocou o braço em volta dos ombros do mais novo. — Devo reforçar que você tem habilidades terríveis para contar histórias, e que deveria aposentar-se do ramo antes que causem uma revolução e o tirem do poder à força.
— Tá brincando? Eu demorei um tempão pra bolar tudo!
Aerus desesperou-se ao ver que seus amigos realmente estavam indo embora. Demorara tanto tempo para juntá-los, e agora não sabia como entretê-los a continuarem junto. Isso sem contar os convidados, que deveriam estar pensando como a Fire Tales era um tédio, e fazer feio na frente de gente respeitável como Ereon e os Remarkable Five era a última de suas intenções.
— Pessoal, espera só mais um pouco, a história de hoje era só brincadeira! — disse Aerus sem receber atenção. — Na verdade, eu reuni todo mundo aqui pra... Ficarmos um pouco juntos. Ao mesmo tempo que vivemos tão próximos uns dos outros, sinto que deveríamos passar mais momentos juntos. Tem aquela frase que diz: Nunca se sabe quando será a última vez. E a gente, sei lá... Nunca sabe mesmo, né?
Os demais se entreolharam, e compreendiam perfeitamente o motivo. Mikau foi o primeiro a erguer sua voz e comentar num tom divertido:
— E você acha que nós iríamos abandoná-lo? Esteja tranquilo, meu caro, só íamos buscar mais pipoca pra acertar sua cara depois de uma história horrível como essa.
— Pense bem, é melhor do que tomates. No meu tempo arremessavam tomates nos atores que faziam peças ruins. Isso quando não os enforcavam — comentou General
Ereon caminhou em direção de Aerus e levou a mão até seu ombro, sorrindo.
— Por que não vamos até minha casa? Imagino que lá tenha mais espaço para todos nós, e posso pedir para meus criados irem preparando um banquete especial. Quero que sejam meus convidados, poderemos comer e beber à vontade, iremos nos divertir juntos, e quando a madrugada chegar, descansaremos somente quando o último não aguentar mais ficar de pé.
Aerus olhou para Watt, que prontamente concordou. Ele sempre consultava o esquilo antes de tomar qualquer decisão. Ereon era mais experiente, sabia como ser um bom anfitrião e dar uma festa de verdade onde ninguém ficasse empanturrado em salas jogando vídeo games e comendo salgadinhos (não que isso que fosse ruim, de fato). Aerus poderia aprender muito com o homem que tanto o ensinara, e não importava o quanto tivesse crescido, ele sempre teria mais alguma coisa para aprender.
Ereon levou a Fire Tales e os demais até uma chácara que tinha em seu nome, construída há muitos anos para seus familiares e amigos, usada até seu limite quando ele era mais novo. Nos dias atuais ficava abandonada e restrita às férias. A viagem foi bem rápida, quando avistaram o lugar Aerus e seus amigos ficaram encantados com tamanha magnificência. A iluminação noturna era impecável, parecia que haviam chegado a um hotel cinco estrelas. Piscinas, saunas, banheiras para deitar e relaxar com os amigos, telões de cinema particular, e uma das paisagens mais lindas que se podia imaginar. Aerus só conseguia imaginar observar um nascer do sol naquele lugar, e logo percebeu qual seria o seu plano:
— Quem vai ficar acordado comigo até de madrugada?!!
Todos gritaram juntos, pois aquela seria a melhor noite de suas vidas.
Wiki, Mozilla, Marco e Vista encontraram a adega de Ereon, e o velho Salamence liberou alguns de seus melhores vinhos e whiskies para serem provados. Seus convidados se deleitaram. Wiki embebedou-se e gritava mais animada do que o costume, prestes a arrancar suas peças de roupa em um jogo de strip poker. Vista e iDie sentaram-se juntos, um gesto raro, e conversaram sobre bebidas refinadas até um discordar do outro ao afirmar que Royal Salute da safra de 21 anos era melhor do que uma Platinum Label da Johnnie Walker, e logo começaram a se destruir onde o derrotado seria obrigado a tomar a garrafa inteira do outro (que por sinal nem eram deles).
Yoshiki e Jade estavam com Tashiki na sala de massagem, onde puderam sentar e conversar sobre os tantos rumos que tomaram, e a Arbok se enchia de orgulho ao ver como eles haviam crescido. Yoshiki inventou de testar suas novas técnicas de acupuntura em Tashiki, e desesperou-se quando o braço esquerdo da mulher parou de funcionar, mas o problema logo foi resolvido.
Mikau e Milena aproveitavam a jacuzzi aquecida até Bonna Party e Davy Jones se juntarem a eles, e logos todos se sentiam estranhos com a presença de um Tentacruel na banheira, mas a conversa fluiu bem com assuntos sobre filhos e futuros projetos, enquanto os homens aguardavam a hora em que suas companheiras parassem de tagarelar.
General e Glaciallis fizeram uma caminhada pelo luar e foram surpreendidos quando Presidente pediu encarecidamente por uma única dança com a mulher de sua vida. Ao som da bossa nova que saía de todas as caixas de som espalhadas pelo ambiente, os dois reviveram um momento único em suas vidas pós-morte, e perceberam que só precisavam ter paciência. Quando a música acabou, Presidente retomou sua caminhada solitária e desapareceu a noite toda. Talvez estivesse chorando, seja de alegria ou de tristeza.
Sonnen se divertia muito com Karl e Lyndis. Todos pareciam ter a mesma idade. Al Capone e Sophie brindavam uma taça de vinho, mas mantinham um olho nas “crianças” que logo aprontariam algo contra eles, era só questão de tempo.
Eva, Chaud e Tom Sawyer se maravilhavam com a biblioteca particular de Renée Whitecloud. Milady e Isaac tiraram um tempo para conversar com a formosa Altaria, esposa de Ereon, que mesmo nunca tendo um filho sonhava com o dia em que teria uma criança e poderia finalmente ser chamada de “mãe”. O senhor Atros, Malbora e Magnum foram dispensados do trabalho e tiraram a noite para beberem com os outros e comemorarem. Tiveram a ideia de cantar karaokê, o que foi uma tremenda maldade para cima de Malbora que não podia cantar por motivos óbvios. Coffey ficava andando tranquilo no gramado enquanto observava as estrelas, com seus próprios mistérios e rumos quando aquela jornada terminasse.
Akebia e Panetto faziam social com outros amigos de Ereon que estavam muito interessados em ouvir histórias antigas sobre a Fire Tales; Sly dançava loucamente sem ninguém para acompanha-lo; Seth caminhava de grupo em grupo, tomando conta de todos como se fosse o responsável da família. Era acompanhado de perto por Beliel que se sentia em paz pelo simples fato de estar em um lugar tão tranquilo onde poderia esquecer todos os seus problemas e, de fato, descansar sua mente.
Aerus continuava com os olhos atentos em tudo... Estava à procura de uma única pessoa especial.
— Belíssima noite, não? — ele ouviu uma voz ao seu lado, e virou-se ao ver um sujeito esquisito com olheiras profundas e cartola.
— Eita. E quem é tu?
— Ora essa, que ultraje! Fui um membro da Fire Tales por um tempo, porém, não efetivo, e imaginei que fosse lembrar-se de uma figura tão marcante como eu... Eu sou Alexay, o Faísca Negra!
— Malz. Ainda não sei quem você é e nem o que está fazendo aqui... — Aerus teve de ser bem sincero. — Mas você não é o cara que morreu no FT 35 e ninguém nem lembra?
— Não entraremos em detalhes aqui, meu nobilíssimo amigo... — Alexay segurou em um dos braços de Aerus enquanto os dois faziam uma rápida caminhada sob o céu noturno. — Vamos ao que interessa. Está à procura da mulher dos olhos de cigana oblíquos e dissimulados, não? Oh, os adoráveis olhos de ressaca, como diria nossa clássica obra literária! Impossível não cair por seus encantos.
— Tá falando da Tih...? — ele perguntou, meio discreto, e Alexay balançou a cabeça com compreensão.
— Sim, sim! E agora vá, meu bom companheiro, pois a mulher de sua vida o aguarda no final da torre, quando todos os desafios forem superados e nada mais o impessa de tê-la somente para si!
— Onde ela está?!
— Basta subir as escadas, mas peço que seja discreto para não assustar a sua princesa... Ela já esperou tempo demais para esse encontro, não acha? Tenha um encontro não apenas maravilhoso, mas que ultrapasse todos os superlativos absolutos de nossa boa gramática. Que esta seja a sua noite perfeita!
Alexay girou sua cartola e empurrou Aerus para as escadarias que levavam ao terraço. Ele podia sentir o coração batendo muito mais freneticamente em seu peito. O vento começara a soprar delicadamente, como se até mesmo desejasse dar uma trégua. Olhou para frente, e mesmo com pouca luz pôde enxergá-la, uma estrela brilhante que agora estava ao seu alcance. Um sorriso brotou em seu rosto.
Titânia estava sentada sozinha. Obviamente aproveitava a festa, mas por algum motivo decidira afastar-se em sua individualidade óbvia para quem quisesse ver. Ela também o esperava.
— E ae, Tih — Aerus fez o primeiro cumprimento, aproximando-se dela e pedindo um pequeno espaço onde pudessem ficar sentados perto um do outro.
Titânia sorriu, mas desviou o rosto sem dizer nada.
Não sentia vergonha ou qualquer emoção semelhante, apenas estava contente em poder ficar ali com ele, no silêncio profundo de suas respirações, onde por um instante eles pareciam ser os únicos no mundo, longe de todo o barulho e agitação que a vida lhes trouxera.
Aerus balançava as pernas de um lado para o outro e sentia suas mãos suarem. Olhou para o pulso e lembrou-se que não tinha relógio (mesmo já sabendo que não tinha relógio, pois só queria ter um assunto para começar a falar).
— Tem horas?
— Deve passar das três da manhã. Estou ansiosa para ver o sol nascer daqui — continuou Titânia.
— Acho que ainda está meio longe... — o dragão comentou.
— Pois é. Terei de esperar — ela assentiu, mas não como se aquilo fosse um problema.
— Posso acompanhar você, então?
— Se você não estivesse aqui, provavelmente eu teria ido chama-lo.
Mais uma vez eles mergulharam no silêncio. Assim que Aerus virou-se para a mulher, foi surpreendido por um gesto de carinho e afeto inesperado de sua parte.
— Titânia, eu queria dizer que... — e ela o abraçou com os dois braços fortes envolvidos, o rosto afogando-se em seu peito definido, os olhos fechados e as maçãs do rosto avermelhadas de paixão.
— Eu sinto sua falta todos os dias. E nunca deixarei de sentir.
Aerus agora retribuiu o gesto e a abraçou, ainda meio sem jeito, mas tentando dar-lhe o mínimo de conforto. Ficou pensando um tempão em quais palavras poderia escolher, e depois de sua experiência terrível com a narrativa do Dragão Guerreiro percebeu que era melhor só ficar quieto. Tentava imaginar o que passava pela mente da companheira.
— Eu queria que nossas horas juntos parassem de passar. Que ficássemos presos no tempo — disse Aerus. — E pensar que se eu fechar os olhos, pode ser que você não esteja mais ao meu lado, como fez das últimas vezes...
— Mas não hoje, meu adorado Dragão Guerreiro que veio me resgatar das prisões profundas de castelo frio e cinzento! Vocês pintaram a minha vida, todos os membros da Fire Tales, mas você foi o meu artista preferido.
— Não era um castelo, era uma torre — ele a corrigiu e deu a risada desinibida que Titânia tanto adorava.
— E mesmo assim, não é como se eu estivesse precisando de ajuda, heh.
— Fazer o quê, não gosto de salvar donzelas em perigo. Prefiro mais é entrar na pancadaria com as guerreiras de armadura pesada.
— Mas não estou vestindo armadura hoje... — respondeu Titânia, revirando os olhos e levado suas mãos até seu corpo. Ela vestia apenas um vestido simples cinza, mas era acompanhada de belos sapatos e acessórios incomparáveis. Era incrível como por alguns momentos ela parecia forte e robusta como as guerreiras de outrora, e em outras escondesse a mulher mais meiga e delicada do mundo.
— Acho que eu preferia que você não estivesse usando nada.
As bochechas dela ficaram ruborizadas de vergonha. Aerus tirou os óculos escuros e revelou as estrelas douradas que escondia. Titânia segurou em seu rosto porque adorava vê-lo sem eles.
— Fica para uma próxima. Ainda sou difícil — a serpente deu uma risadinha.
— Vou esperar até o nosso banho, quem sabe — o dragão riu, bastante paciente.
— Preciso te contar uma coisa importante antes.
— Diga.
— Você é horrível com histórias.
E os dois riram. Quando estavam prestes a dar continuidade para um possível beijo discreto, Watt subiu no telhado e levou um enorme susto com a cena que viu, quase caindo para trás na escada.
— WAAAAAAH! Qual é, pessoal! Vão procurar outro lugar pra fazer isso!
— Sai daqui, bola de pelos! Você ainda é criança.
— Eu já tenho 17 anos, irmão.
— 17 ANOS?! — Aerus afastou-se de Titânia e caiu no chão com tudo, o que a fez rir de maneira doce. — Minha boa Cresselia, como eu estou ficando velho... E se eu estou ficando velho, a Tih deve estar ficando ancestral!
— Não me venha com essa história de velha, ainda mais agora que realmente sinto que estou ficando para titia — Titânia retrucou.
— Mas é uma titia que eu pegava fáciiiiiiiiil...
A mulher tentou chutá-lo, mas Aerus a segurou e puxou-a de modo que ela caísse em cima dele e quase o esmagasse com seu peso. Watt correu para socorrê-lo, mas acabou escorregando sem motivos e os três terminaram no chão um em cima do outro, rindo sem parar.
— Nossa, quando foi a última vez que o trio diamante tinha se juntado dessa maneira? — perguntou Aerus.
— Tirando os momentos tensos da Liga onde um estava disposto a matar o outro, reuniões estratégicas ou visando assuntos de guildas, longe de todo o resto da equipe que está sempre por perto para fazer algum comentário fora de hora... Uau, não consigo nem lembrar da última vez! — continuou Watt.
— O importante é que aqui estamos nós — foi a vez da mulher falar com um longo suspiro de satisfação.
Aerus respirou fundo.
— Espero que não seja a última.
— Claro que não, meu querido — Titânia puxou-o para perto de si, dando um beijo em sua testa. — Ficaram sabendo que hoje é um dia previsto para ter chuvas de meteoros?
— Não costumo acreditar nessas coisas que não vejo — e quando Aerus terminou de falar, viu uma estrela cadente passar no céu. — CACETADA! É a primeira vez que vejo uma estrela cadente, meu Arceus do Céu, pra mim isso nem existia!
— Que droga, eu queria ter visto... — Watt decepcionou-se, mas logo apareceu outro risco brilhante cortando o horizonte, e dessa vez ele estava olhando exatamente para o lugar certo. — Eu vi! Eu vi!
— Tá chovendo Jirachiii, caraleooo!! — Aerus gritou.
— Fizeram um desejo? — perguntou Titânia, apressada.
— Agora que a gente já ganhou da Liga nem sei mais o que pedir...
— Uma montanha de doces! — gritou Watt.
— Peitos maiores na Tih!! — Aerus aproveitou-se da situação.
— Que continuemos juntos para sempre — a mulher encerrou.
Mais uma estrela atravessou o céu. E outra, e mais uma. Era uma verdadeira “chuva de meteoros”. Nenhum deles nunca tinha presenciado algo como aquele evento, e certamente nunca mais voltariam a vê-lo.
— Minha nossa senhora, já vi tanta estrela cadente que vou começar a pedir chiclete pra elas — Aerus riu.
Titânia foi até a beirada do terraço e gritou para que seus amigos ouvissem as notícias sobre a chuva de estrelas cadentes que ocorria. Um a um eles foram saindo e se surpreenderam com o evento surreal. Nem mesmo Chaud que vivera milênios ou General em suas incontáveis eras vividas vira algo parecido. E mais o importante é que estavam todos juntos e reunidos. Muitos pedidos foram feitos naquela noite, os Jirachis teriam trabalho de sobra para os próximos anos. Provavelmente o único que não vira absolutamente nada fora Duke que caíra no sono antes do evento começar, mas Beliel compartilhava dessa tristeza, e resumia sua felicidade em ver seus amigos felizes (dizem que mais tarde Seth fora buscar uma estrela para ele).
Nenhum deles jamais esqueceria aquele dia. Se contassem para qualquer outra pessoa, parecia impossível de se acreditar. Fora tão incrível e perfeito que nem palavras poderiam descrever, e somente os olhos que ali estavam presentes puderam apreciar o que viram naquele exato instante, para sempre gravado em suas memórias.

• • •

Estava amanhecendo. Aerus limpava as cinzas da fogueira da guilda sozinho, apoiado em seus joelhos enquanto balançava a cabeça com pensamentos muito, muito distantes.
— E assim, terminou a última aventura do Dragão Guerreiro... — o dragão sussurrou para si próprio. — Não se sabe se ele realmente ficou até o fim de sua vida junto da serpente, mas é certo que eles se amaram até milhares de novas regiões serem descobertas, até seus nomes caírem no esquecimento, até o mundo se transformar e perder sua forma original. É. Então acho que foi tipo um “para sempre”.
Continuou remexendo alguns gravetos que ainda queimavam.
— Seus amigos viveram ao seu lado e nem mesmo o infinito ciclo das estações puderam separá-los. Alguns disseram que um a um eles foram abandonando este mundo, mas cada um deles fora eternamente ligado pela amizade e pelo amor à guilda mais famosa da região que jamais deixou de existir, seja nas histórias, em lembranças, ou em meras palavras compartilhadas com as futuras gerações. Alguns poucos ouvintes, e embora poucos, que de fato souberam apreciar.
Uma última fagulha se apagou, e a fumaça branca começou a subir.
— Se me perguntarem se um dia as aventuras terminaram, então direi que é mentira. Porque cada dia foi seguido de uma nova, sempre em busca de estrelas. Certa vez em uma noite estrelada percebi que as estrelas cadentes eram como sonhos. Longes e distantes, mas que se muito batalhar por eles podem de fato ser alcançados. E depois de realizados, o que vem a seguir? O que fazer depois de ver uma estrela cadente? Percebi que o jeito é continuar esperando por uma próxima.
Aerus foi surpreendido quando Watt chegara ao pátio da Fire Tales e se deparara com o líder da guilda mais famosa da região fazendo a limpeza do local.
— Nossa. Acordado a esse horário? — Watt sorriu.
— Só pensando em algumas histórias.
— E falando sozinho?
— Pois é, limpando as sujeiras do fim de semana... De vez em quando é bom renovar as energias para então começarmos tudo de novo.
Watt sentou-se ao lado dele.
— E o que vamos fazer agora?
Aerus olhou para a fogueira apagada e sorriu.
— Acender de novo.

{ 6 comments... read them below or Comment }

  1. OAHHHHHHHHHHHHHHHHAHAHAHAHAH
    MUCHO LOKO
    *Me deu uma vontade de comer uma paleta .-.*
    Quero mais Fire Tales! Eu sei, sim, sim, mas queremos mais. Hu3
    Eu me diverti pakas *-*
    Aerus, um dia, você consegue. Um dia. Se a Tih deixar :v Fato da vida.
    Canas, faça mais alguns FTs, vou sentir saudade ;-;
    Poderia ser Infinite...se não houvesse uma dimensão em que a Elizabeth-Sempai não morresse definitivamente. Você acha que acabou quando descobre que são pai e filha, e ainda descobre que ela é mais diva, e ai morre.
    Spoilers de Bioshock Infinite <3333333
    *como pode ler, sou fã da trilogia*
    Podia ter uma segunda temporada né Canas?
    HueheuBrbr
    Capitulo Best Ever(domino ingles)
    Não é a despedida!
    Cyao!
    WV

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fico feliz que tenha curtido, WhiteVir! Atingi meu objetivo com a comédia, eu queria justamente trazer um momento descontraído após todas as batalhas da Liga, e não afundar todo mundo em ainda mais lágrimas e cadeiras vazias. Me encontrei nesse dilema de fazer algo bonito e dramático ou simplesmente manter a essência dos Fire Tales, então decidi retomar a maneira como tudo isso comentou e voltar para a boa e velha comédia! (:

      Na próxima temporada, na imaginária Sinnoh 2.0 e no Capítulo 217 talvez o Aerus tenha se tornado um bom contador de histórias kkkkkkk Olha, especiais e supports como esses que não tem ligação com o enredo, poderiam muito bem continuar a serem escritos, então nada me impede de bem de vez em quando trazer uma coisinha ou outra pra vocês se divertirem! :D

      Eiiiiiii, não me venha com spoilers de Bioshock Infinite! kkkkkkkkkkkkk Poxa, esse eu não joguei ainda, curto só os dois primeiros e por causa do livro, ainda não tive essa oportunidade kkkk ELIZABETH MORRE?? Prefiro não entender perfeitamente esse final, mas quem sabe um dia eles decidam lançar um livro do Inifinite para contar essa história toda com mais detalhes, porque já ouvi muita gente dizer que é um dos melhores enredos já feito!

      Pois bem, agora vamos esperar só mais um pouquinho até o Capítulo 100, só pra trancar as portas e dar o último adeus! A chave de ouro já foi com o Capítulo 99, agora é hora de respirar, e... se emocionar de novo kk Beijos, see ya!

      Delete
  2. Canas, incrível esse capitulo da Fire Tales :3
    "A ultima aventura do dragão guerreiro"
    "Dragão Guerreiro não é o nome do Kung Fu Panda?" meu Deus kkkkkkkkkk, Esse Sly kkkk um dos meus preferidos, exceto o Vista claro, o melhor <3 Tipo Metalicos os melhores *--*
    Mas tá, espero que Aerus em um futuro próximo consiga contar uma boa história, sem que seja ameaçado kkkk Mas teve um final épico certo? " E o duke morreu"
    tadinho do Duke :v Se bem né...Nunca pegava piplup quando jogava Platinum, pegava tudo menos ele u.u e ainda confunde a Milena como a mãe dele...gente...
    Demorei para comentar aqui, ainda mais agora que as aulas voltaram e tenho que acordar cedo, e minhas séries resolveram sair tudo de uma vez do Hiatus...Que vida!
    Mas tá, já é quase meia noite :v
    Até mais canas, e mais uma vez adorei o capitulo :3
    Me fez rir demais kkkk
    Até o próximo comentário Canas o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Cara, e eu ainda me lembro de quando saiu a primeira aventura do Dragão Guerreiro, lá no FT 1. Eu fiquei um tempão pensando: Caraio, onde eu já ouvi esse nome? Aí outro dia eu tava de boa lá almoçando e passou Kung Fu Panda na Globo kkkkkkk Impossível não associar agora!

      O Duke morrer é clássico já :v kkkkkkk E pior que se pararmos pra ver na Liga ele teve a proeza de ficar vivo, então acho que o Duke deveria chegar encarando todo mundo e falar: Eu não morri, mas e vocês? kkkkkkkkk Duke vai se aposentar com o recorde de 0 derrotas. INVICTO! Hahahahah Fico feliz que tenha curtido esse episódio de despedida cara, agora falta só mais um pouquinho kkk Um grande abraço! See ya.

      Delete
  3. não gente que dor só de olhar o título já UGH
    (curiosamente, está tocando mercy bem agora. hahahahahahah playlist dos infernos ç_ç )
    Enfim
    Mikau sempre sendo muito agradável :v
    E GENTE, PIPOCA DANDO NOCAUTE AEHAUEHAUEHAEUAHEUAHEAUHEA
    Mikau reclamou, puxando-o pela gola e dando alguns tapas em suas costas para ver se a pipoca saía, ou só pelo gosto de bater nele > nítido brotp, olha que lindo :v aehauehaeuaheue
    fiquei com vontade de provar o drink do Mikau SE VIRA E POSTA A RECEITA, EU QUERO
    socorr gente pulei de primeira fogueira pra comemoração de vitória, to sofrendo muito
    O AERUS SEM RESPEITO ALGUM AEHAUEHEAUHAUEHAEUAHEAUEHAUEHAEUAHEUAE fazer FT (e ainda tem mais gente além da guilda) ficar calada é desafio ultimate :v
    por um momento confesso que tinha sido a Tih (pq né ela consegue isso tranquilo), mas Ereon também tá nesse lvl de respeito, sem dúvida
    Dessa vez pretendo seguir com a minha história sem interrupções > HU3 QUERO VER TU TENTAR, VAI LÁ
    esse dragão é tão modesto, noss :v aehauehauehaeue
    — Dragão Guerreiro não é o nome do Kung Fu Panda? > AEHAUEHAUEHAUEHAEUHAEUHAEUAEH VERO, PENSEI NISSO TAMBÉM
    ugh, que história ridícula, aerus e-e MUITO MAIS A VERSÃO DO MOZILLA
    (in fact MDS A VERSÃO DO MOZILLA TÁ FODA DEMAIS, QUERO UMA HISTÓRIA DESSA PRA LER)
    ai gente a FT toda reunida de novo
    toda INTEIRA de novo
    eu to chorando
    to pulando de euforia
    vontade de abraçar todo mundo pq meus bbs ;u;
    GENTE SIM, ESSA HISTÓRIA MUCH PRIMEIRA HISTÓRIA DA FT AEHAUEAHEUAHEUAEHAUEHAUEAEUAE
    (E MDS A TIH DE VOLTA EM TERRAS DA FT ALJDALUDHASFKUAGGAUSDADUAS)
    O FINAL ALTERNATIVO, EU TO GRITANDO
    Sociedade Itinerária de Salvação das Serpentes Negligenciadas pela Organização dos Humanos, também conhecida como operação S.I.N.N.O.H. > CARA, QUE GENIAL! AKLSDNASJDASHDUASHD AMEI <3
    E TIERUS [SCREAMS]
    SÓ HISTÓRIA FICTÍCIA DA SUA CABEÇA, SEI (AQUELA CARINHA)
    e Isaac sempre tão gracinha, nhaaaa <3
    não sei se morri mais com Aerus corado ou Tih sorrindo e corada ALKSDNASDUSADHSAUDHASDUASDHUSADHSAUDHAS BBZOS <33
    O WATT AKSNDSALDHSADUSAHDSAUDSADUSAD EXPLOSÃO DE FOFURA QUE NINGUÉM PODE RESISTIR, SIIIIIMMM <33
    GENTE, AS DESCRIÇÕES METAFÓRICAS DO PESSOAL DA FT AEHAUEHAUEHAUEHAUEHAEUAHEUAHEAUEHAUE EU NÃO CONSIGO APRAR DE RIR
    eis que surgiu uma galerinha do mal para badalar essa turminha do barulho! > ué nçao sabia que tava vendo comercial da sessão da tarde /qqqq aahheauehauehauehaueae
    RETARDED FIVE
    TO RINDO DEMAIS AEHAUEHAEUHAEAUEHAUEHAUEA
    E MDS ELES AINDA POR CIMA ESTÃO LÁ AEHAUEHAUEHUEHAUEHAEUHAEUAE AERUS VIDA LOCA SEMPRE
    btw que tristeza ver aquela máquina e aquele tarado vivos de novo mas né tudo tem seu preço
    vamos olhar pelo lado bom BBZA BONNAAAAAAAAAA ASKDNASDASUDHSADUSADHASUD E O SONNEN E A TASHIKI E O PRESIDENTE UGH TÃO BOM VER VOCÊS DE NOVO <333
    que isso, Bonna, a história até que tá tranquila, bb Elba pode ouvir :v

    ReplyDelete
    Replies
    1. Toda história deve ter um final feliz, e se não tiver, a gente mata o autor. > QUE BOM QUE TU SABE DISSO, EIN, CANAS
      (btw presidente cuidando da elba, meus feels por presidente/bonna estão voltando NÃO FAZ ISSO)
      — A gente pode envenenar a bebida dele, ou ameaça-lo de morte e obriga-lo a fugir para as Sevii Islands — sugeriu Tashiki, tragando seu cigarro. — E depois jogar fogo nas ilhas, porque ele não teria como escapar. > ................. [arrumando esconderijo secreto]
      — Acho que... Acho que é melhor eu mudar o final então. > INDEED
      nunca apreciei tanto um churrasco de domingo pra falar mal da vida alheia /q
      PLS UMA SEGUNDA TEMPORADA PLSSSS
      MDS AUEAHEAUHEAUEHAUEHAUEHAUEHAEUAHEUAEHAUEHA REALMENTE, O DUKE SEMPRE TEM QUE MORRER NO FINAL
      O MIKAU ENTRANDO EM PANE PELA MERA POSSIBILIDADE DA MI TER UM FILHO QUE NÃO DELE AKSDNSADLASHDSAIDHSAIFLSAJFSAÇFASJDKKSAFOAPJASDOSADSAD [COLLAPSES TO THE GROUND]
      É, Aerus, não foi dessa vez. Mas liga de novo, quem sabe consegue o pleisteixon? /naopera
      Nunca se sabe quando será a última vez > lições que AeS deixaram marcadas como ferro em brasa, yep
      Esteja tranquilo, meu caro, só íamos buscar mais pipoca pra acertar sua cara depois de uma história horrível como essa. > totally brotp, yep
      GENTE OS GRUPINHOS NA CHÁCARA
      EM DÚVIDA SE TO SURTANDO OU GRITANDO OU RINDO MAIS AEHAUEHAUEHAEUAHEUAEHAUE
      Vista e iDie explodindo tudo MUITO A+
      YOSHIKI E JADE SE REUNINDO COM TASHIKI [SOBBING]
      porra davy jones eu to tentando te perdoar MAS AÍ TU EMPACA A VIDA DO MEU OTP vá a merda, cara e-e
      MAS OLHA gostei muito de Mi e Bonna se tornando migas <333 gostei mesmo <3
      ain, a última dança de Presidente/Glaciallis ;-; não, eu não os shippo, mas acho que todos sabem o quão importante isso foi para o Presidente. que esse tenha sido o primeiro passo para uma cura (e quem sabe, né.... (anne pare com seus crackshipps just stahp))
      SONNEN MUCH BRO COM KARL E LYNDIS, GRITEI AQUI
      GENTE QUME FOI O SEM CORAÇÃO QUE TACOU A MALBORA NO KARAOKE, MANO AEHAEUAHEAUEHAUEHAUEHAUEA
      Coffey [sobbs] Ele merecia estar na companhia de uma galerada, poxinha ;u;
      BB BELIEL (tive que gritar, primeira vez que o vejo de nvoo, TU NÃO IMAGINA O QUE EU PASSEI)
      ALEXAY MDS, QUANDO TU VOLTOU??? OH WHATEVER, BOM TE VER DE NOVO!
      TIH OLHOS DE CIGANA [SCREAMS]
      ai cara meu coração meus feels não sei se guento
      já to fazendo uns not-human noises, socorr
      aerus todo nervoso e sem jeito askldsandsadashsafhsadlasuafa
      — Posso acompanhar você, então?
      — Se você não estivesse aqui, provavelmente eu teria ido chama-lo. > [SCREAMS]
      — Eu sinto sua falta todos os dias. E nunca deixarei de sentir. > COLOQUEM ISSO NA MINHA LÁPIDE PLS
      Vocês pintaram a minha vida, todos os membros da Fire Tales > frase da minha vida, de vdd ç_ç EU VOU SENTIR TANTA FALTA DAQUI, PUTA MERDA (DON'T TOUCH ME, AES TÁ ACABANDO, NÃO DÁ PRA LIDAR, NÃO. DÁ.)
      Tih toda elegante aimds minha garganta vai sair ferrada de tanto gritar
      — Acho que eu preferia que você não estivesse usando nada. > QUASE DERRUBEI O NOTE, QUE MOLEQUE ABUSADO
      O AERUS TIRANDO OS ÓCLOS PRA ELA SDKASNDASLDUHSAFUASLDSAD,LSAFAS
      POXA WATT mentira, tu tá autorizado, é filhote deles mesmo ahauheauehauehauehae <3
      OLHA A ZOERA DO 17 AEHAUEHAUEAHEUHAEAUEHAUEA
      E se eu estou ficando velho, a Tih deve estar ficando ancestral! > MDS AEHAUEHEUAHEUAHEUAEHAUEHAEU QUE MALDADE, CARA
      O TRIO DIAMANTE JUNTO E RINDO
      QUE DIA LINDO PRA SE ESTAR VIVA, PUTA MERDA
      AH, CARA, NÃO
      TU NÃO ME TACOU ESTRELA CADENTE NO MEIO DISSO TUDO
      COM CERTEZA TU TÁ OUVINDO MEUS GRITOS E MEUS SOLUÇOS PQ PUTA MERDA
      TO CHORANDO FORTE EIN
      — Que continuemos juntos para sempre — a mulher encerrou. > [SOBBING HISTERICALLY]
      e as palavras finais do aerus, mds, eu to chorando muito
      (e ainda por cima lembrou final da minha saga preferida de todas "It wasn't a happy ending, but a happy middle" <3 )
      cara, não
      pq tu sempre consegue acertar tão fundo nos meus feels, mano
      vai te catar
      <3
      cara, sério
      esse final foi perfeito
      absurda, dolorosa e precisamente perfeito
      de novo: vai se ferrar <3

      Delete

- Copyright © 2011-2016 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas Eroles) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -